POR NILDO OLIVEIRA 
QUEM GOVERNA SUA VIDA?

"Quem é dominado pela carne não pode agradar a Deus. Entretanto, vocês não estão sob o domínio da carne, mas do Espírito, se de fato o Espírito de Deus habita em vocês. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, não pertence a Cristo." Romanos 8:8-9

1. O INÍCIO DE TUDO!

Quando o homem se torna cristão, ele adquire uma nova mentalidade e com essa nova mente um novo conjunto de metas e motivações; o mundo e suas luxúrias não o atraem mais, porém o repelem. Ele não ama mais “o mundo nem as coisas do mundo” (1 Jo 2:15). Às vezes, ele pode ser atraído para atividades mundanas, mas ele não está fazendo o que ama, mas o que odeia (Rm 7:15). Isso porque a nova vida em Cristo dá ao crente um amor por Deus e pelas coisas espirituais.

Depois do novo nascimento o cristão inicia o processo de santificação, o Espírito Santo começa a trabalhar nele o fruto do Espírito. (Mt 7:16; Gl 15:22; Ef 5:9) É importante lembrar que a a origem do fruto produzido pelo cristão vem diretamente do Espírito Santo de Deus. O homem por si mesmo não tem como produzir o fruto descrito em Gálatas, mas por meio de uma ação divina é que essa benção maravilhosa se torna abundante em sua vida.

2. O EFEITO DO CRISTÃO NO MUNDO:

O cristão que se deixa passar por essa transformação do Espírito ele se torna diferente de tudo no mundo, ele se torna igual o sal que tem poder antisséptico, quando se coloca sal nas carnes ou alimentos ele preserva dos microorganismos. O verdadeiro cristão são purificadores morais em um mundo de baixa moral. O cristão deve ter uma vida disciplinada que transmita essa qualidade moral, se isso não acontecer ele perderá o seu poder e sua influência. Essa qualidade é em todos os aspectos, seu falar deve ser temperado com sal, para que os outros possam sempre querer lhe ouvir. (Cl 4:6)

O cristão deve fazer de tudo para que a luz de Cristo que habita nele seja vista no mundo (Pv 4.18; Fp 2.15; Ef 5.1), fazendo isso o mundo perceberá a presença da verdadeira luz em sua vida. Um detalhe importante é que o cristão ao testemunhar de Cristo não busca sua autoglorificação, mas seu desejo é que somente Cristo seja glorificado através de sua vida.

O Pastor Osiel Gomes disse certa vez que: "O Espírito Santo é o vigia da vida do crente. Ele passa a nos controlar de tal modo que não deixa entrar em nossa vida aquilo que contraria a vontade de Deus e age também para que não entre aquilo que não satisfaz a Deus. Quem não vive dominado pelo Espírito Santo não pode crescer, visto que ainda está dominado pelos desejos pecaminosos, os quais produzem um estilo de vida baixo, comprometido e que foge dos padrões divinos."¹

3. COMO AGRADAR A DEUS?

Não agradamos a Deus realizando grandes sacrifícios, não agradamos por meio de muitos trabalhos, nem por sermos religiosos, agradamos a Deus quando obedecemos a sua vontade, quando o seu Espírito atua em nossa vida.

Rodrigo H. C. Oliveira em seu estudo sobre Caim e Abel fala sobre a oferta que Caim fez e porque Deus não se agradou dela, veja: "Seu coração já havia sido entregue ao Diabo e suas obras eram más e injustas diante do Senhor (I Jo 3.12). Movido pelo ciúme e pelo ódio, Caim matou deliberadamente e sem provocação alguma a seu irmão, Abel. Nós sabemos, pois, que nenhum homicida tem a vida eterna permanecendo nele (I Jo 3.15). Seu amor era disfarçado e falso, presente na aparência mas não no coração. Ele amava por palavra, mas não por obras (I Jo 3.18). Caim não se fez do Maligno por matar seu irmão, Caim matou seu irmão porque já era do Maligno."² 

Veja esse estudo completo: "A oferta de Caim e Abel" 

Caim é um exemplo de alguém que estava dominado pela carne. Caim que queria agradar a Deus, mas tudo foi em vão, porque quem mandava em sua vida era o maligno, por isso suas ações eram motivadas com outras intenções.

Caro irmão, coloque em sua mente que jamais você poderá agradar a Deus com o que você faz; na verdade, o que agrada a Deus é um espírito contrito, arrependido, que se deixa moldar pelo Espírito Santo (Sl 51:17). 

4. CONCLUSÃO: 

Jesus disse que aqueles que o seguem não são do mundo, assim como Ele não era do mundo. Estão devemos nos mover para fazer a vontade Dele. É por isso que Jesus pediu especificamente ao Pai que nos afastasse do maligno (João 17:14-16). Somos vulneráveis a sermos absorvidos para o sistema maligno do mundo, mas nosso amor é para com Deus. Esse amor é o que irá redirecionar nosso foco para as prioridades do Reino. 

Você ama a Deus, a Sua verdade, o Seu reino e tudo o que Ele defende? Se você rejeita o mundo e seus desejos maléficos, isso é uma forte indicação de que você tem uma nova vida em Cristo. Que Deus te abençoe e o Espírito Santo continue moldando seu coração para uma vida reta diante de Deus e dos homens.



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

¹ OBRAS DA CARNE - Pastor Osiel Gomes, Editora CPAD, Pag. 26.

²  AS OFERTAS DE CAIM E ABEL - Site Palavra Revelada Oficial - Rodrigo H. C. Oliveira 









POR NILDO OLIVEIRA
ASPECTOS SOBRE O TEMOR AO SENHOR

"O temor do Senhor é o princípio do conhecimento, mas os insensatos desprezam a sabedoria e a disciplina." Pv 1:7

Como lemos acima, a Bíblia nos ensina que o temor ao Senhor é o princípio da sabedoria. Temor é diferente de medo. Temor é sinônimo de respeito e reverência a Deus. Quando o crente consegue observar esse princípio bíblico, ele descobre uma maneira diferente de viver. A obediência e o temor estão ligados e é indispensável na vida de todo cristão. Isso significa estar sujeito e submisso a vontade de Deus.

POR NILDO OLIVEIRA 
AS TRÊS FASES DA SANTIFICAÇÃO

Primeiramente precisamos entender o que é ser santo? A palavra ‘santo’’ não significa algo inalcançável, mas simplesmente “aquele que é separado do mal”. Dessa forma, a pessoa que está no caminho da santidade luta para não cometer pecado, foge da aparência do mal, vigia, ora e lê a Bíblia.

Como uma forma didática no meio teológico a SANTIFICAÇÃO é dividida em três fases diferentes. Você sabia disso? São eles: a santificação inicial, a progressiva e a final.

 POR HERNANDES DIAS LOPES


"Bem-aventurados os que... não praticam iniquidade e andam nos seus caminhos" Salmo 119.3

A felicidade sempre tem dois lados: o negativo e o positivo. Somos felizes por aquilo que deixamos de fazer e por aquilo que fazemos.

Do lado negativo, o indivíduo bem-aventurado é aquele que não pratica a iniquidade. A iniquidade tem a ver com o que é sujo, reprovável e detestável. A iniquidade é o oposto da santidade e da pureza. O homem infeliz é aquele que respira iniquidade e vive na sua prática.

O pecado não é apenas um acidente, mas um estilo de vida. Aqueles que concebem o pecado, amam o pecado e na prática do pecado podem ter momentos felizes, mas não são felizes. Podem rasgar a cara em ruidosas gargalhadas, mas não têm paz de espírito. Não há felicidade na cidadela do pecado. Dentro dos muros da iniquidade só floresce a erva daninha da infelicidade. 

O lado positivo da felicidade é andar nos caminhos de Deus. Esse caminho é estreito, mas seguro. É apertado, mas conduz à vida. É pouco trafegado, mas seu destino é a vida eterna.

Andar nos caminhos de Deus é uma prática diária. Significa percorrer a estrada seguindo as placas de sinalização dadas por Ele. Não é apenas trilhar uma vereda, mas andar com Deus ao longo desse caminho.

Você tem fugido da iniquidade e andado com Deus? Essa é a receita da felicidade!


ORAÇÃO:

"Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto. Não me lances fora da tua presença e não retires de mim o teu Espírito Santo. Torna a dar-me a alegria da tua salvação e sustém-me com um espírito voluntário. Então, ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores a ti se converterão" - Salmos 51.10-13


FONTE

CADA DIA, Volume 41, nº 9, setembro de 2021.

POR RODRIGO H. C. OLIVEIRA
OS DIAS DE NOÉ E OS NOSSOS DIAS

“Então falou Deus a Noé dizendo: Sai da arca, tu com tua mulher, e teus filhos e as mulheres de teus filhos” - Gênesis 8.15,16 

 POR PASTOR ELIS CLEMENTINO
DEIXANDO AS COISAS DE MENINO

“Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.” 1 Coríntios 13.11

POR ÁLVARO OSTROSKI





INTRODUÇÃO


José e Sansão são alguns dos personagens mais conhecidos do Antigo Testamento.


Neste artigo buscaremos verificar as diferenças entre esses personagens veterotestamentários e a luz do Novo Testamento refletir se eles, ou algum deles, prefigurou ou tipificou a vida, obra e conduta de Cristo.


Ante de avançarmos precisamos definir bem o que é Tipologia Bíblica.



TIPOLOGIA BÍBLICA


Segundo o Dictionary of the Apostolic Church, Scribners, Vol. II p 623 de James Hastingstipo é uma pessoa ou coisa da dispensação do AT que representa e prefigura uma pessoa ou coisa no NT” [1]


Segundo a Bíblia de Estudo Pentecostalhá uma correspondência entre certas pessoas, eventos, ou coisas do Antigo Testamento e Jesus Cristo” [2]


Ou seja, o AT em certas ocasiões parece apontar profeticamente para elementos do NT, principalmente para a figura de Jesus Cristo.


É como se Deus ao longo do tempo fosse dando pistas sobre a vida e obra de Jesus Cristo que é a figura central das Escrituras, mas que se revelou efetivamente no NT.


O estudo da Tipologia Bíblica é muito profundo e demandaria muitas páginas para o pormenorizar e nosso intuito aqui não é explicar todos os detalhes da Tipologia Bíblica, mas prepararemos um material consistente sobre o assunto para nossos queridos leitores poderem se aprofundar acerca do mesmo.


Antes de avançarmos eu deixo aqui dois conselhos apresentados no Manual de Estudos da CETADEB página 19 [3] que diz: a)Uma coisa ruim não pode servir de tipo de uma coisa boa. Assim, os tipos de personagens bíblicos cujas vidas ilustram algum princípio ou verdade da redenção, são os positivos”; b)Há que se ter cuidado para usar as figuras no sentido correto.”


Aquilo que apresentaremos aqui busca ser fiel as Escrituras Bíblicas.



A VIDA DE JOSÉ


Para início de conversa leia toda a história de José registrada em Gênesis 37 – 50.


Grande parte dos estudiosos da Bíblia concorda que José é um tipo de Cristo no AT, inclusive o Manual de Estudos da EETAD, disciplina de Pentateuco, pág. 60 [4], declara que “José foi o tipo mais perfeito de Cristo”.


No artigo “JOSÉ, UM TIPO DE JESUS” (leio-o) o querido irmão Rodrigo Oliveira mostrou-nos com excelência e ótima didática como as situações vividas por José são semelhantes as que Cristo viveria no futuro.


Entre as muitas que são citadas destaco que:


a) José foi vendido por seus irmãos a preço de escravo pago com moedas de prata (Gn 37.28) e Jesus também foi vendido por um de seus seguidores mais próximo por moedas de prata (Mt 26.15-16);

b) José foi tentado pela mulher de Potifar, mas não pecou (Gn 39) e Jesus foi tentado no deserto pelo diabo e não pecou (Mt 4.1-11)

c) José foi enviado ao Egito para ser salvador de seu povo (Gn 45.7) e Jesus foi enviado ao mundo para ser o salvador de todo aquele que nele crê (Jo 3.16).


Enfim, resumindo, a história de José é de alguém que é traído pelos irmãos, vendido como escravo, é tentado, mas não se deixou ceder, preservou seu bom testemunho, no fim é elevado ao posto de governante e salva seu povo. Este resumo mostra bem como a vida de José foi um precursor do que seria a vida do Messias aguardado pelos judeus.



A VIDA DE SANSÃO


O caro leitor pode conferir os artigos “COMO ENTENDER O ENIGMA DE SANSÃO”; “O ENGANO NOS OLHOS DO JOVEM SANSÃO”; EXISTEM VÁRIOS TIPOS DE NAZIREADO?” e “SANSÃO x JESUS” que já escrevemos sobre Sansão ser um tipo de Jesus.


Por já termos alguns artigos escritos sobre a pessoa de Sansão, não vamos entrar em muitos detalhes aqui, mas tentemos agora apagar de nossa mente tudo o que sabemos sobre Sansão e olhemos para o seguinte:


Juízes Capítulo 13, mostra que Israel estava em pecado diante de Deus e por isso eles sofreram 40 anos nas mãos dos filisteus, porém o Anjo do SENHOR aparece à esposa de Manoá e diz que ela daria luz a um menino que seria consagrado ao Senhor (Nazireu) e que tal menino iria iniciar a libertação de Israel do poder dos filisteus. O Anjo do SENHOR também aparece a Manoá e confirma a promessa dita a sua esposa.


Se o caro leitor conhece um pouco no NT e da história de Jesus já deve ter lincado os fatos envolvendo o pré-nascimento de Sansão com o pré-nascimento de Jesus, pois o anjo Gabriel vai até Maria e lhe declara que ela daria luz a um menino que seria o Salvador do mundo e depois o mesmo anjo vai conversar com José, noivo de Maria (Mt 1.18-25; Lc 1.26-38).


Parece-nos que Deus, assim como fez com José , vai traçar um paralelo com essa figura do AT que é Sansão com a figura mais importante da Bíblia que é Jesus, contudo Sansão no decorrer de sua vida se afasta deste caminho e ao invés de se tornar um tipo de Jesus, como foi José, ele se torna um oposto de Jesus.

Acompanhando o decorrer da história de Sansão, e mais uma vez indicamos que leia os artigos que já publicamos, vemos que ele foi desobediente ao seu nazireado, que foi egocêntrico ao casar-se com uma mulher filistéia, que ele se envolveu com prostitutas, que ele foi preso devido aos seus erros, que ele agiu diversas vezes com sentimento de vingança pessoal, entre outras coisas. Cristo por sua vez rejeitou as ofertas do diabo no deserto (Mt 4.1.11), bem como não teve qualquer sentimento de egocentrismo ao vir a este mundo despindo-se de sua glória (Fp 2.1-11), Cristo também não foi preso por seus erros, mas sim morreu pelos nossos pecados (Rm 4.25).



CONCLUSÃO


Neste artigo buscamos apresentar os fatos vividos por dois personagens do AT muito conhecidos, que são José e Sansão.


Mostramos também que na Teologia existe um tema de estudo que é a Tipologia Bíblica, a qual busca a luz do NT verificar os personagens, fatos e objetos do AT que eram prefigurações de situações do NT, principalmente prefigurações de Cristo.


Mostramos que José é uma das prefigurações mais perfeitas de Jesus que há no AT, mas Sansão que tinha tudo para ser uma grande prefiguração de Cristo no AT acabou sendo uma prefiguração do oposto de Jesus, por isso comparar Sansão a Cristo em nosso modo de ver é aquilo que chamamos de INFIDELIDADE ESCRITURÍSTICA, ou seja, ao fazer tal tipo de comparação estaremos sendo infiéis a boa interpretação de Bíblia Sagrada. 



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


[1] James Hastings, Dictionary of the Apostolic Church, Vol II, Scribners, edição de 1918;

[2] Bíblia de Estudo Pentecostal, pág. 581;

[3] Manual de Estudos do Centro Educacional Teológico das Assembléias de Deus no Brasil (CETADEB), disciplina: Tipologia Bíblica;

[4] Manual de Estudos da Escola de Educação Teológica das Assembléias de Deus (EETAD), disciplina: Pentateuco.

POR ÁLVARO OSTROSKI 
SANSÃO X JESUS

INTRODUÇÃO 

"O estudo cuidadoso do Antigo Testamento revela elementos chamados tipos, que têm seu cumprimento na vinda do Messias; noutras palavras, há uma correspondência entre certas pessoas, eventos, ou coisas do Antigo Testamento e Jesus Cristo"(1)


Dentro deste aspecto este artigo se propõe a analisar alguns fatos da vida do personagem veterotestamentário chamado Sansão e a pessoa de Jesus Cristo e verificar se Sansão pode ser um tipo de Jesus Cristo.


DESENVOLVIMENTO 


A história de Sansão pode ser encontrada em Juízes 13.1-16.31.


Vejamos alguns aspectos da vida de Sansão e tracemos um paralelo com a vida de Jesus Cristo:


1. Sansão tinha muita força (poder) - Jz 14.5,6; 15.15,16; 16.29,30 - Jesus deixou de lado todo seu poder - Fp 2.5-8;


2. Sansão teve várias mulheres, inclusive prostitutas - Jz 14.1-3; 16.1 -  Jesus tem só uma noiva - 2 Co 11.2; Ef 5.25-27; Ap. 19.7;


3. Sansão desobedeceu os pais e as Leis do AntigoTestamento - Jz 14.3; Dt 7.1-4 - Jesus foi fiel ao Pai até a morte e cumpriu toda a Lei - Jo 6.38; Fp 2.8; Mt 5.17


4. Sansão foi levantado libertador, mas não libertou Israel plenamente dos Filisteus - Jz 13.5 - Jesus libertou-nos dos nossos pecados definitivamente - Is 53.4,5; 1 Pe 2.24; Rm 6.22


5. Sansão foi preso e castigado pelos seus pecados - Jz 16.20,21 - Jesus foi preso e castigado pelos nossos pecados - Is 53.4,5; 1 Pe 2.24


CONCLUSÃO 


Defitivamente é muito difícil olharmos para a vida de Sansão e dizermos que ela de alguma forma se assemelha a de Jesus Cristo.


O livro de Juízes tem uma frase categorica que diz "naqueles dias não havia rei em Israel: cada qual fazia o que parecia direito aos seus olhos" (Jz 17.6; 21.25). Essa era a tônica daquele tempo e esse é o enfoque do livro. A história de Sansão é mais uma das histórias atabalhoadas narradas neste livro.


Contudo lá em Hebreus 11 Sansão é mencionado como um herói da fé e ele não foi o único que errou feio na vida. Lembremos por exemplo de Abraão entregando sua esposa no Egito (Gn 20) ou Davi adulterado e matando (2 Sm 11).


O que faz destes personagens heróis da fé então? Graça, Graça e Graça de Deus e lógico, um arrependimento sincero deles.


Sansão falhou, mas Cristo não, Ele foi perfeito, essa é a grande lição cristocêntrica da história de Sansão.


REFERÊNCIAS 


1. Bíblia de Estudo Pentecostal, Pág 581.


POR JEFFERSON MIRANDA



Introdução

O Milagre da água em vinho, certamente, é um dos mais conhecidos milagres relatados nos Evangelhos. Ele é documentado apenas no Evangelho de João, muito provavelmente o último Evangelho a ser escrito, como forma de combater as heresias criadas pelos gnósticos, que negavam a encarnação de Cristo. Este estudo não tem como alvo unicamente o Milagre da água em vinho, mas também vai examinar um pouco sobre o propósito do Evangelho de João e a intenção do autor ao narrar este maravilhoso milagre.

Temas

Topo