JOSÉ, SANSÃO E JESUS

POR ÁLVARO OSTROSKI





INTRODUÇÃO


José e Sansão são alguns dos personagens mais conhecidos do Antigo Testamento.


Neste artigo buscaremos verificar as diferenças entre esses personagens veterotestamentários e a luz do Novo Testamento refletir se eles, ou algum deles, prefigurou ou tipificou a vida, obra e conduta de Cristo.


Ante de avançarmos precisamos definir bem o que é Tipologia Bíblica.



TIPOLOGIA BÍBLICA


Segundo o Dictionary of the Apostolic Church, Scribners, Vol. II p 623 de James Hastingstipo é uma pessoa ou coisa da dispensação do AT que representa e prefigura uma pessoa ou coisa no NT” [1]


Segundo a Bíblia de Estudo Pentecostalhá uma correspondência entre certas pessoas, eventos, ou coisas do Antigo Testamento e Jesus Cristo” [2]


Ou seja, o AT em certas ocasiões parece apontar profeticamente para elementos do NT, principalmente para a figura de Jesus Cristo.


É como se Deus ao longo do tempo fosse dando pistas sobre a vida e obra de Jesus Cristo que é a figura central das Escrituras, mas que se revelou efetivamente no NT.


O estudo da Tipologia Bíblica é muito profundo e demandaria muitas páginas para o pormenorizar e nosso intuito aqui não é explicar todos os detalhes da Tipologia Bíblica, mas prepararemos um material consistente sobre o assunto para nossos queridos leitores poderem se aprofundar acerca do mesmo.


Antes de avançarmos eu deixo aqui dois conselhos apresentados no Manual de Estudos da CETADEB página 19 [3] que diz: a)Uma coisa ruim não pode servir de tipo de uma coisa boa. Assim, os tipos de personagens bíblicos cujas vidas ilustram algum princípio ou verdade da redenção, são os positivos”; b)Há que se ter cuidado para usar as figuras no sentido correto.”


Aquilo que apresentaremos aqui busca ser fiel as Escrituras Bíblicas.



A VIDA DE JOSÉ


Para início de conversa leia toda a história de José registrada em Gênesis 37 – 50.


Grande parte dos estudiosos da Bíblia concorda que José é um tipo de Cristo no AT, inclusive o Manual de Estudos da EETAD, disciplina de Pentateuco, pág. 60 [4], declara que “José foi o tipo mais perfeito de Cristo”.


No artigo “JOSÉ, UM TIPO DE JESUS” (leio-o) o querido irmão Rodrigo Oliveira mostrou-nos com excelência e ótima didática como as situações vividas por José são semelhantes as que Cristo viveria no futuro.


Entre as muitas que são citadas destaco que:


a) José foi vendido por seus irmãos a preço de escravo pago com moedas de prata (Gn 37.28) e Jesus também foi vendido por um de seus seguidores mais próximo por moedas de prata (Mt 26.15-16);

b) José foi tentado pela mulher de Potifar, mas não pecou (Gn 39) e Jesus foi tentado no deserto pelo diabo e não pecou (Mt 4.1-11)

c) José foi enviado ao Egito para ser salvador de seu povo (Gn 45.7) e Jesus foi enviado ao mundo para ser o salvador de todo aquele que nele crê (Jo 3.16).


Enfim, resumindo, a história de José é de alguém que é traído pelos irmãos, vendido como escravo, é tentado, mas não se deixou ceder, preservou seu bom testemunho, no fim é elevado ao posto de governante e salva seu povo. Este resumo mostra bem como a vida de José foi um precursor do que seria a vida do Messias aguardado pelos judeus.



A VIDA DE SANSÃO


O caro leitor pode conferir os artigos “COMO ENTENDER O ENIGMA DE SANSÃO”; “O ENGANO NOS OLHOS DO JOVEM SANSÃO”; EXISTEM VÁRIOS TIPOS DE NAZIREADO?” e “SANSÃO x JESUS” que já escrevemos sobre Sansão ser um tipo de Jesus.


Por já termos alguns artigos escritos sobre a pessoa de Sansão, não vamos entrar em muitos detalhes aqui, mas tentemos agora apagar de nossa mente tudo o que sabemos sobre Sansão e olhemos para o seguinte:


Juízes Capítulo 13, mostra que Israel estava em pecado diante de Deus e por isso eles sofreram 40 anos nas mãos dos filisteus, porém o Anjo do SENHOR aparece à esposa de Manoá e diz que ela daria luz a um menino que seria consagrado ao Senhor (Nazireu) e que tal menino iria iniciar a libertação de Israel do poder dos filisteus. O Anjo do SENHOR também aparece a Manoá e confirma a promessa dita a sua esposa.


Se o caro leitor conhece um pouco no NT e da história de Jesus já deve ter lincado os fatos envolvendo o pré-nascimento de Sansão com o pré-nascimento de Jesus, pois o anjo Gabriel vai até Maria e lhe declara que ela daria luz a um menino que seria o Salvador do mundo e depois o mesmo anjo vai conversar com José, noivo de Maria (Mt 1.18-25; Lc 1.26-38).


Parece-nos que Deus, assim como fez com José , vai traçar um paralelo com essa figura do AT que é Sansão com a figura mais importante da Bíblia que é Jesus, contudo Sansão no decorrer de sua vida se afasta deste caminho e ao invés de se tornar um tipo de Jesus, como foi José, ele se torna um oposto de Jesus.

Acompanhando o decorrer da história de Sansão, e mais uma vez indicamos que leia os artigos que já publicamos, vemos que ele foi desobediente ao seu nazireado, que foi egocêntrico ao casar-se com uma mulher filistéia, que ele se envolveu com prostitutas, que ele foi preso devido aos seus erros, que ele agiu diversas vezes com sentimento de vingança pessoal, entre outras coisas. Cristo por sua vez rejeitou as ofertas do diabo no deserto (Mt 4.1.11), bem como não teve qualquer sentimento de egocentrismo ao vir a este mundo despindo-se de sua glória (Fp 2.1-11), Cristo também não foi preso por seus erros, mas sim morreu pelos nossos pecados (Rm 4.25).



CONCLUSÃO


Neste artigo buscamos apresentar os fatos vividos por dois personagens do AT muito conhecidos, que são José e Sansão.


Mostramos também que na Teologia existe um tema de estudo que é a Tipologia Bíblica, a qual busca a luz do NT verificar os personagens, fatos e objetos do AT que eram prefigurações de situações do NT, principalmente prefigurações de Cristo.


Mostramos que José é uma das prefigurações mais perfeitas de Jesus que há no AT, mas Sansão que tinha tudo para ser uma grande prefiguração de Cristo no AT acabou sendo uma prefiguração do oposto de Jesus, por isso comparar Sansão a Cristo em nosso modo de ver é aquilo que chamamos de INFIDELIDADE ESCRITURÍSTICA, ou seja, ao fazer tal tipo de comparação estaremos sendo infiéis a boa interpretação de Bíblia Sagrada. 



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


[1] James Hastings, Dictionary of the Apostolic Church, Vol II, Scribners, edição de 1918;

[2] Bíblia de Estudo Pentecostal, pág. 581;

[3] Manual de Estudos do Centro Educacional Teológico das Assembléias de Deus no Brasil (CETADEB), disciplina: Tipologia Bíblica;

[4] Manual de Estudos da Escola de Educação Teológica das Assembléias de Deus (EETAD), disciplina: Pentateuco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Temas

Topo