A CONVERSÃO DE SAULO

   POR RODRIGO H. C. OLIVEIRA


Saulo de Tarso havia sido uma fera selvagem que respirava ameaças e morte contra os primeiros crentes. Zeloso do judaísmo, acreditava que Jesus era um falso messias e tinha seus seguidores - os cristãos - como hereges.

Crendo estar prestando um serviço a Deus (Jo 16.2), Saulo perseguiu a Igreja Primitiva com grande furor e avidez. Ele era uma fera selvagem, um touro que se recusava ser domado. Aliás, não respeitava nem mesmo os locais sagrados, pois invadia as sinagogas e arrastava presos os seguidores de Cristo, forçando-os, inclusive, a blasfemarem contra nosso Senhor.

Certa vez ia ele de Jerusalém para Damasco a fim de trazer presos mais e mais cristãos. No entanto, já perto de chegar em seu destino, um resplendor de luz majestoso o cercara e o lançara em terra. O perseguidor estava caído; o touro bravo estava amansado; o homem rebelde agora clamava: "quem és, Senhor? Quem és, Senhor?"


NO CAMINHO DE DAMASCO

Saulo era uma fera selvagem que não tolerava o Messias nem a mensagem do evangelho. Acreditava que a solução frente ao crescimento da Igreja fosse a perseguição e a violência. No entanto, quanto mais o povo de Deus é perseguido e maltratado, mais ele cresce em número de fiéis. Foi assim com Israel no Egito (Ex 1.12), e não foi diferente com a Igreja.

Certa vez dirigiu-se ao sumo-sacerdote "e pediu-lhe cartas para Damasco, para as sinagogas, a fim de que, se encontrasse alguns daquela seita, quer homens, quer mulheres, os conduzisse presos a Jerusalém" - Atos 9.2

Porém "indo no caminho, aconteceu que, chegando perto de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu. E, caindo em terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?" - Atos 9.3,4

O grande Saulo agora estava caído diante de Cristo. O próprio Jesus gloriosamente se revelou a ele no caminho de Damasco. Destaca-se no verso acima a expressão "ouviu uma voz" pois ela está construída, no original em grego, sob o caso acusativo.

Qual é a importância disso? Ora, significa que a indicação textual aponta para o fato de que Saulo ouviu uma voz inteligível que enfatiza a audição do conteúdo. Mas porque tal informação é necessária? Porque o verso 7 do mesmo capítulo diz que "os varões, que iam com ele, pararam espantados, ouvindo a voz, mas não vendo ninguém".

Há uma diferença na forma grega utilizada aqui em face da afirmação anterior na qual Saulo ouviu uma voz. No verso 7 o caso grego utilizado é o genitivo, e não o acusativo. Mas o que isso significa? Significa que os que estavam em sua companhia ouviram uma voz/som sem qualquer compreensão do conteúdo proclamado.

Eles ouviram um som, mas não entenderam a mensagem. Escutaram uma voz, mas não compreenderam seu conteúdo. Isso elimina qualquer hipótese de contradição que os incrédulos apontam em Atos 22, onde Paulo narra que os que estavam com ele "viram, em verdade, a luz, e se atemorizaram muito; mas não ouviram a voz daquele que falava comigo (verso 9).

Aqui o caso também está no acusativo à semelhança do verso 4 do cap. 9. Isso confirma que Saulo ouviu não apenas uma voz/som, mas uma mensagem com conteúdo. Já seus companheiros ouviram uma voz/som, mas não entenderam qual era a mensagem.

"Isto resolve a aparente contradição entre o versículo e a afirmação de Paulo em 22.9 de que seus companheiros 'viram, em verdade, a luz... mas não ouviram a voz [acusativo] daquele que falava comigo'. Eles ouviram um som, mas somente Saulo pôde identificar as palavras proferidas pela voz.

Uma situação semelhante parece estar descrita em João 12.28,19. Quando uma voz veio do céu, a multidão dos que não criam 'dizia que tinha sido um trovão'. Alguns que tinham maior discernimento espiritual, pensaram que um anjo tinha falado. Mas aparentemente, somente Jesus e os seus discípulos compreenderam as palavras" (Comentário Bíblico Beacon, Vol 7, p. 274, 275).


POR QUE ME PERSEGUES?

O texto diz que "indo no caminho, aconteceu que, chegando perto de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu. E, caindo em terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?" - Atos 9.3,4

Há, em verdade, uma clara lição registrada aqui: ao perseguir a Igreja (que é corpo de Cristo), persegue-se também o próprio cabeça desse corpo (que é Jesus). "Quando Paulo castigava a igreja, ele estava perseguindo o Chefe da igreja, o próprio Senhor Jesus Cristo. Este é um aviso solene não apenas aos de fora que podem atacar a Igreja, mas também aos membros da Igreja, se deliberadamente agirem contra algum companheiro. Ao fazerem isso, estão agindo contra Cristo".¹

E Saulo respondendo, disse: "Quem és, Senhor? E disse o Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Duro é para ti recalcitrar contra os aguilhões" - Atos 9.5

Percebam: "quem és, Senhor?". A palavra Senhor empregada por Saulo denota seu reconhecimento de que aquela não era uma voz qualquer, mas era a voz do Mestre, a voz que exerce autoridade, a voz que é poderosa, que penetra no mais profundo da alma... 

Na verdade Saulo já vinha ouvindo a voz do Senhor há algum tempo. Jesus lhe disse: "duro é para ti recalcitrar contra os aguilhões". Com esta afirmação Jesus o está comparando a um touro selvagem, forte e obstinado. Jesus já utilizava de seus aguilhões para domá-lo, mas seu coração resistia. No entanto, a voz do Espírito Santo lhe falava de tal modo à consciência que lhe era duro recalcitrar/resistir.

Hernandes Dias Lopes comenta que "Jesus já estava ferroando sua consciência quando ele viu Estêvão sendo apedrejado e com rosto de anjo pedir ao Senhor para perdoar seus algozes (...) Jesus estava ferroando a consciência de Paulo quando ele prendia os cristãos e dava seu voto para matá-los, e eles morriam cantando".²

Certamente a atitude humilde, bem como a alegria e firmeza dos cristãos primitivos ferroavam a consciência de Saulo.


NÃO ENDUREÇAIS OS VOSSOS CORAÇÕES

Ao ouvir voz tão grandiosa, Saulo respondeu com arrependimento e fé. Por um tempo ele recalcitrou, mas ao ficar frente a frente com o Mestre resolveu dar ouvidos e não endureceu mais o seu coração. "Como diz o Espírito Santo: Se ouvirdes hoje a sua voz, não endureçais os vossos corações" - Hebreus 3.7,8

Ele, portanto, "tremendo e atônito, disse: Senhor, que queres que faça? E disse-lhe o Senhor: Levanta-te e entra na cidade, e lá te será dito o que te convém fazer" - Atos 9.6

Tremendo trata-se da palavra grega tremōn (gr. τρέμων) e significa tremer (especialmente de medo). Trémō - apropriadamente, tremer (com pavor), ou seja, tremer e estremecer de medo (J. Thayer). Já atônito vem da palavra thambōn (gr. θαμβῶν) e traz a ideia de estar surpreso e espantado.

Com tal reação é que ele, agora rendido ao Senhor, pergunta o que deveria fazer. Ao passo que recebe a resposta dizendo: "Levanta-te e entra na cidade, e lá te será dito o que te convém fazer".

Elienai Cabral comenta que "com sua ida para Damasco, o perseguidor tinha a intenção de acabar de vez com os seguidores de Jesus, mas foi surpreendido por uma experiência sobrenatural pela qual nunca havia passado. Segundo seu próprio testemunho, o perseguidor viu literalmente a pessoa de Jesus, o Ressurreto, que o despojou de seu 'ego' arrogante. Nessa visão Saulo pôde compreender quem era Jesus e sua obra redentora no Calvário".³


CONCLUSÃO

Por algum tempo Saulo de Tarso perseguiu sobremaneira a Igreja de Cristo. Ele era uma fera selvagem, um touro bravo que prendia, açoitava e lançava os santos em prisões. No entanto, o Espírito Santo já falava ao seu coração de tal modo que doía resistir, era duro recalcitrar.

Ainda respirando ameaças e morte contra os cristãos fora rumo a Damasco para os assolar e devastar, porém, a luz divina resplandeceu sobre sua face, lançando-o por terra. Era o próprio Jesus se revelando à alma dele. Naquele momento Saulo já não era mais a fera terrível e o touro bravo de sempre, agora ele temia e tremia, muito surpreso, diante de Deus.

Ao abrir seu coração e lançar para longe sua dura cerviz, correspondeu ao chamado de Jesus com fé, arrependimento e submissão. "E Saulo levantou-se da terra e, abrindo os olhos, não via a ninguém. E, guiando-o pela mão, o conduziram a Damasco. E esteve três dias sem ver, e não comeu, nem bebeu" Atos 9.8,9

Posteriormente, um certo discípulo chamado Ananias foi enviado até Saulo para orar em seu favor a fim de que os planos de Deus dessem seguimento. A conversão de Saulo foi diferente da dos demais apóstolos, no entanto, o mesmo Deus é quem operou e opera em todos. A mesma graça que alcançou a Saulo também pode alcançar você. Entregue sua vida, pois, ao Senhor.

Bendito seja, portanto, o nome de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo! 


REFERÊNCIAS

¹ Comentário Bíblico Beacon, Vol 7. CPAD, p. 274.
² LOPES, Hernandes Dias - Paulo, O Maior Líder do Cristianismo. Hagnos, p. 28,29.
³ Lições Bíblicas, 4º Trimestre de 2021. CPAD, p. 19.

Bíblia Interlinear 
Bíblia Sagrada - Almeida Revista e Corrigida
STRONG, Concordância de. Disponível em: https://biblehub.net/searchstrongs.php?q=










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Temas

Topo