SAULO - O PERSEGUIDOR

   POR RODRIGO H. C. OLIVEIRA

SAULO - O PERSEGUIDOR

Desde o princípio o povo de Deus tem sido oprimido e perseguido. É nítido que há uma oposição muito grande à Palavra de Deus, bem como aos seus fiéis. É exatamente acerca deste tema que trataremos neste estudo, porém de forma mais específica acerca da perseguição executada por Saulo de Tarso contra a Igreja de nosso Senhor Jesus Cristo, além disso, ao final mencionaremos aspectos da perseguição aos cristãos no mundo de hoje.

Mas quem é Saulo? Saulo é o nome hebraico que corresponde ao de Paulo (nome romano). Há certa confusão quanto a isto, pois alguns dizem que Deus mudou o nome de Saulo para Paulo, o que não é verdade (cf. At 13.9). Se quiser saber mais, acesse o estudo intitulado "O Nome de Saulo foi Mudado Para Paulo?" clicando aqui. 

Pois bem, Saulo era natural de Tarso, a capital da Cilícia localizada na Ásia Menor. Tratava-se de uma província romana, de modo que Saulo era cidadão romano por direito de nascimento (At 22.28). Desde sua meninice ele fora instruído no conhecimento da Torah aos pés do rabino Gamaliel. Era, portanto - segundo seu próprio testemunho - zeloso para com a religião judaica (Gl 1.14).

Por considerar Jesus um impostor e falso Messias, Saulo perseguiu com muito furor a Igreja de Jesus de tal maneira que andava respirando "ameaças e morte" contra os cristãos (At 9.1,2). Tal descrição o revela, de maneira figurada, como uma fera selvagem que ameaçava sua presa.


BLASFEMO, PERSEGUIDOR E OPRESSOR

Em sua epístola a Timóteo, Saulo (ou Paulo) se descreveu assim:

"A mim, que, dantes, fui blasfemo, e perseguidor, e opressor; mas alcancei misericórdia, porque o fiz ignorantemente, na incredulidade" - I Timóteo 1.13

A descrição do verso acima demonstra claramente que antes de sua conversão Saulo blasfemava, perseguia e oprimia a Igreja do Senhor.

Segundo a Concordância de Strong a palavra “perseguidor” (gr. διώκτην – diōktēn) tem sua origem na palavra grega diókó (gr. διώκω), cujo significado traz a ideia de pôr em fuga, perseguir. Diṓkō – trata-se de uma perseguição adequada e agressiva, como um caçador perseguindo uma captura (prêmio).

Já a palavra "opressor" (gr. ὑβριστήν – hybristēn) se define por “homem violento e insolente” e tem sua origem na palavra grega hubrizó (gr. ὑβρίζω), cujo significado traz a ideia de maltratar as pessoas infligindo nelas danos imerecidos.

Ora, Saulo era um perseguidor implacável que assolava toda a Igreja (Gl 1.13). O Pastor Hernandes Dias Lopes observa que ele perseguia a "Cristo (At 26.9), a religião de Cristo (At 22.4) e os seguidores de Cristo (At 26.11)".¹

Por conta de sua antiga perseguição ao povo de Deus, declarou em sua epístola aos Coríntios que era o menor dos apóstolos uma vez que havia perseguido a Igreja com grande fúria (I Co 15.9). Em outra ocasião também confessou sua insolência ao meter em prisões tanto homens como mulheres:

"Persegui este Caminho até à morte, prendendo e metendo em prisões, tanto homens como mulheres" - Atos 22.4

Diante do rei Agripa, disse que dava seu voto em favor da morte dos santos, além de ter obrigado muitos deles a blasfemarem contra o Senhor Jesus:

"Bem tinha eu imaginado que contra o nome de Jesus, o Nazareno, devia eu praticar muitos atos, o que também fiz em Jerusalém. E, havendo recebido poder dos principais dos sacerdotes, encerrei muitos dos santos nas prisões; e, quando os matavam, eu dava o meu voto contra eles. E, castigando-os muitas vezes por todas as sinagogas, os obriguei a blasfemar. E, enfurecido demasiadamente contra eles, até nas cidades estranhas os persegui" - Atos 26.9-11

 

Ele era cruel e consentiu, inclusive, na morte de Estêvão. Enquanto este era apedrejado até a morte, Saulo presenciava e guardava as vestes daqueles que executavam tal ato (At 22.20). Além disso, ele não respeitava os ambientes religiosos. As sinagogas eram o local de leitura da Palavra e oração, e mesmo em tais ambientes Saulo castigava os cristãos, os forçando a blasfemar (At 26.11).

Em sua vida pretérita ele blasfemou, perseguiu, oprimiu, açoitou (At 22.19), lançou em prisões e desrespeitou a fé dos cristãos. Ele era uma fera selvagem, um touro bravo que recalcitrava contra os aguilhões. Não sentia compaixão nem tinha piedade. Aliás, estava crendo que aquilo agradava a Deus.

"Saulo entendia que praticar essas barbáries era defender a fé judaica, livrando os judeus dos hereges, exatamente nos moldes de que Jesus havia alertado os discípulos: 'Expulsar-vos-ão das sinagogas; vem mesmo a hora em que qualquer que vos matar cuidará fazer um serviço a Deus' (Jo 16.2)".²

No entanto, apesar de Saulo ter sido um blasfemador, perseguidor e opressor, a misericórdia de Deus foi derramada sobre ele. A graça de Deus foi (e é) muito maior que o pecado abundante de sua vida pretérita. Deus pode fazer novas todas as coisas. Se Ele ofereceu perdão a Saulo de Tarso, também pode oferecê-lo a você. Confesse seus pecados diante de Deus, arrependa-se e Ele terá misericórdia de sua alma.


A PERSEGUIÇÃO AOS CRISTÃOS EM 2021

Segundo o site "Portas Abertas", o número mínimo estimado de cristãos perseguidos atualmente no mundo todo aproxima-se de 340 milhões. Só na África, mais de 120 milhões de cristãos enfrentam perseguição alta, severa ou extrema, isso representa 1 em cada 6 cristãos.

Este ano (2021) cerca de 4.761 cristãos foram mortos por questões relacionadas à sua fé. O número de cristãos sequestrados ou desaparecidos em contexto de perseguição foi de 1.710, enquanto em 2020 este mesmo índice foi próximo a cerca de 1.052 crentes.

Já o número dos santos detidos sem julgamento, condenados e presos somam 4.277 pessoas. Dos casos registrados de condenação, 89% ocorreram na Ásia e 10% na África. Igrejas e outras propriedades cristãs atacadas somam mais de 4.488. Tais ataques foram mais frequentes na Ásia (77%), seguido pela África (20%) e América Latina (3%).

Desse número, 90% dos ataques ocorridos na Ásia foram na China: 3.088 ataques.

Devemos, portanto, orar pela Igreja perseguida a fim de que nossos irmãos tenham força para permanecer firmes na fé.

Obs: Para saber mais acerca da perseguição aos cristãos em 2021, acesse o link para fazer download do e-book clicando aqui. 

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo!


NOTAS

¹ LOPES, Hernandes Dias - Paulo, O Maior Líder do Cristianismo. Hagnos, p. 17.
² Lições Bíblicas, 4º Trimestre de 2021. CPAD, p. 14.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Temas

Topo