COMO ESTUDAR A BÍBLIA

POR JEFFERSON MIRANDA

 COMO ESTUDAR A BÍBLIA


Muitas pessoas acham a Bíblia um livro muito complicado de ser compreendido. De fato, nem sempre é fácil entender o que o texto bíblico quer nos dizer, por isso nós devemos buscar por métodos e práticas que possam nos ajudar na interpretação da Palavra de Deus. Com a ajuda desses métodos, a leitura bíblica fica mais fácil, e a vontade de Deus se torna mais clara aos Seus servos.

Deus tem muito a nos dizer hoje, através da sua Palavra, mas se escolhermos frases simples para "fazê-lo dizer o que queremos", podemos reduzir a sua Santa e viva Palavra a um manual de auto-ajuda. Portanto, vamos apresentar um guia resumido de um livro publicado por um renomado escritor americano, John MacArthur.
 

"A Bíblia é infalível, inerrante, completa, autoritativa, suficiente, eficaz e determinativa." - John MacArthur.  



PASSO A PASSO DE COMO ESTUDAR A BÍBLIA 

  1. Leitura 
    É o primeiro ato a ser feito. Ao ler a Bíblia, não fique conectado a dispositivos como celulares, televisão... Este é um momento apenas entre você e o Espírito Santo, portanto, não permita que fatores externos dificultem a sua leitura bíblica.
     
  2. Interpretação 
    Após a leitura, você precisa buscar o entendimento do texto que foi lido, este passo é muito importante, pois não somos nós, pastores, presbíteros ou teólogos que definem o que a Bíblia quer ensinar, a Verdade é apenas UMA, logo, não existem múltiplas interpretações. Portanto, fique atento ao contexto da passagem bíblica lida e respeite as condições, o cenário e os personagens em volta do texto.
     
  3. Meditação 
    Este passo consiste na reflexão da Palavra de Deus em nossas vidas, em como ela falou aos nossos corações e o Seu poder aprimorador em nossas vidas. Ore, jejue e permita que o Senhor fale ao seu coração.
     
  4. Ensine a Bíblia 
    Após Deus falar ao seu coração por meio de Sua Palavra, ensine o que você aprendeu a outras pessoas, pode ser na sua igreja, família, amigos ou trabalho, o importante é não deixar de propagar a vontade de Deus entre as pessoas.

"E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura." (Mc 16:15)
 
 

ERROS COMUNS NA INTERPRETAÇÃO BÍBLICA

  1. Fazer a Bíblia dizer o que você quer que ela diga 
    É um erro gravíssimo, muitas pessoas buscam encaixar o seu entendimento com algum texto bíblico. Tentam adequar com a Bíblia ensinos equivocados que conheceram na internet, livros e até mesmo nos próprios púlpitos. Isso também vale para tentativas de adequar com a Bíblia experiências individuais como sonhos, revelações e etc.. Os dons espirituais não cessaram, apenas ligo o alerta para supostas "manifestações divinas" que não passam de puro emocionalismo ou até mesmo desonestidade para propôr alguma heresia.
     
  2. Fazer interpretações superficiais  
    A Bíblia é um livro que merece a nossa total atenção, pois ela contém a orientação do Espírito Santo para as nossas vidas. Levando isso em conta, leituras rápidas ou superficiais podem nos levar a uma interpretação equivocada do texto bíblico. Portanto, reserve um tempo significativo para ler a Bíblia e interpretá-la de um modo em que você possa revisar toda a passagem bíblica, busque compreender todos os detalhes do texto para não chegar em conclusões equivocadas.
     
  3. Espiritualizar ou aplicar alegorias excessivamente
    Esta etapa é indispensável para o estudo bíblico, será até um pouco extensa por conta de sua importância. A Palavra de Deus contém metáforas e figuras de linguagem para facilitar a compreensão de seus leitores, um exemplo disso são as parábolas, técnicas aplicadas por Jesus Cristo para facilitar o entendimento de seus discípulos acerca de seus ensinamentos como o Reino dos Céus. Mas isso não significa que toda a Bíblia, Antigo e Novo Testamento, está inteiramente composta de metáforas e figuras de linguagem. Portanto, é aconselhado ler a Bíblia primeiramente de modo literal, ou seja, sem buscar elementos ocultos em suas passagens, pois a Bíblia não é caça-palavras ou algo do tipo. Por fim, o grande problema do alegorismo excessivo é que muitas vezes o leitor ignora o significado real do texto bíblico e acaba interpretando a passagem com elementos de sua própria imaginação, pois ele acredita que toda passagem bíblica possui um significado oculto que precisa ser desvendado.
 
 

FONTES DE INTERPRETAÇÃO

  1. Diferença linguística. 
    O Antigo Testamento foi escrito em hebraico e algumas partes em aramaico, já o Novo Testamento foi escrito em grego. Por fim, o português não foi o idioma usado pelos autores bíblicos para escrever o textos originais da Bíblia, o que temos hoje disponiveis são as traduções.
     
  2. Diferença cultural 
    A Bíblia trata de culturas muito antigas e completamente diferentes da cultura atual, existem costumes que são estranhos para nós hoje. Até mesmo na própria Bíblia existem diferenças culturais, por exemplo, Abrãao viveu em uma sociedade completamente diferente de Paulo, enquanto Abraão era um semi-nômade que vivia de peregrinações no deserto, algo que era comum naquela época, Paulo era um cidadão romano que vivia em uma época muito mais avançada em termos de cultura, escrita, ciência e política. Portanto, dê atenção a esse aspecto e tenha em mente que a Bíblia é feita de narrativas de muitos séculos atrás.
     
  3. Questões geográficas 
    Fatores que envolvem a geografia também merecem atenção, a Bíblia fala de mares, rios, cidades e regiões que estão muito distantes de nós. Por conta disso, busque pesquisar acerca desses locais e tenha uma noção básica do mapa da região de Israel.


PRINCÍPIOS DE INTERPRETAÇÃO

  1. Literal/Simbólico
    Indicamos que no momento de interpretar um texto bíblico se busque entender o intuito do escritor, levando em consideração fatores como a cultura em que foi escrito, para quem foi escrito, o objetivo com que foi escrito e principalmente o contexto do próprio texto. Quando o contexto exigir uma interpretação símbolica, devemos usá-la, nos demais devemos usar o sentido literal e claro do texto.
     
  2. Histórico 
    O que o texto significava para as pessoas para as quais ele foi escrito? Um texto sem contexto é pretexto. O um texto bíblico não pode ter vários significados, alguns dizem que a mensagem do Evangelho tem significados diferentes para cada época, mas isso não é verdade, pois não existe nenhum texto bíblico que sustente essa afirmação. Portanto, a Palavra de Deus significa para nós a mesma coisa que significava para as pessoas há 2000 anos, o que pode mudar são as aplicações, ou seja, ele pode ter efeitos diferentes para as pessoas, pois cada um vive diferentes problemas.
     
  3. Gramatical 
    Dê atenção ao modo que o texto é construído, uma vírgula pode mudar totalmente o signicado de um texto, não apenas na Bíblia, mas em qualquer outro livro. Por isso, recomendamos usar diferentes traduções da Bíblia para facilitar o seu entendimento da Bíblia, leia o mesmo texto usando uma tradução Almeida e outra NVI, ou qualquer outra tradução de sua preferência, analise o mesmo texto nas duas traduções e extraia a interpretação mais fiel possível das Sagradas Escrituras.
     
  4. Síntese
    Tudo na Bíblia tem que se encaixar, não pode haver contradições, portanto, não existe contradições na Palavra de Deus, aparentes incoerências devem ser seriamente estudadas para alcançar um entendimento sólido. Para ajudar, consulte outras traduções bíblicas, isso certamente vai ajudar na sua leitura.
     

CONCLUSÃO


E isso foi o resumo do livro Como estudar a Bíblia. A Palavra de Deus é muito importante e essencial nas nossas vidas, por conta disso, não podemos interpretar de qualquer maneira e usar a nossa imaginação como parâmetro, devemos usar métodos seguros para a nossa leitura bíblica diária.

Gostaria de aprender mais sobre esses métodos de interpretação? O link do livro utilizado para fazer este guia está logo abaixo:

 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Temas

Topo