O JEJUM BÍBLICO

POR NILDO OLIVEIRA
O JEJUM BÍBLICO

O jejum bíblico está sempre ligado a uma atenção maior à oração e à comunhão com Deus. O jejum divorciado da oração não é um jejum bíblico.

O jejum é a abstinência total ou parcial de alimentos por um período definido e um propósito específico.  

Não há regras fixas na Bíblia sobre quando jejuar ou qual tipo de jejum praticar, isto é algo pessoal. Mas a prática do jejum, além de ser recomendação bíblica, traz consigo alguns princípios que devem ser entendidos e seguidos.

No Velho Testamento, na lei de Moisés, os judeus tinham um único dia de jejum instituído: o do Dia da Expiação (Lv 23.27), que também ficou conhecido como “o dia do jejum” (Jr 36.6) e ao qual Paulo se referiu como “o jejum” (At 27.9). A Bíblia esta cheia de menções ao jejum. Fala não apenas de pessoas que jejuaram e da forma como o fizeram, mas mostra que nós também jejuaríamos e nos instrui na forma correta de faze-lo. Jesus praticou o jejum. O jejum deve ser parte de nossas vidas e praticado de forma equilibrada, dentro do ensino bíblico.

Era costume dos fariseus jejuar dois dias por semana (Lc 18.12), mas Jesus e seus discípulos não o faziam. Aliás chegaram a questionar Jesus acerca disto:

  • “Disseram-lhe eles: Os discípulos de João e bem assim os fariseus freqüentemente jejuam e fazem orações; os teus, entretanto, comem e bebem. Jesus, porém, lhes disse: Podeis fazer jejuar os convidados para o casamento, enquanto está com eles o noivo? Dias virão, contudo, em que lhes será tirado o noivo; naqueles dias, sim, jejuarão.” (Lc 5.33-35).

O jejum pode ser uma prática vazia se não for feito de maneira correta. Isto aconteceu nos dias do Velho Testamento, quando o povo começou a indagar:

  • “Por que jejuamos nós, e não atentas para isto? Por que afligimos a nossa alma, e tu não o levas em conta?” (Is 58.3a).

E a resposta de Deus foi exatamente a de que estavam jejuando de maneira errada:

  • “Eis que, no dia em que jejuais, cuidais dos vossos próprios interesses e exigis que se faça todo o vosso trabalho. Eis que jejuais para contendas e para rixas e para ferirdes com punho iníquo; jejuando assim como hoje, não se fará ouvir a vossa voz no alto.” (Is 58.3b,4).

Por outro lado, o versículo está dizendo que se observado de forma correta, Deus atentaria para isto e a voz deles seria ouvida.

O PROPÓSITO DO JEJUM:

O jejum não muda a Deus. Ele é o mesmo antes, durante e depois de seu jejum. Mas, jejuar mudará você. O propósito principal  do jejum é mortificar a carne, o que nos fará mais suscetíveis ao Espírito Santo.

O jejum não tornará Deus mais bondoso ou misericordioso para conosco, ele está ligado diretamente a nós, à nossa necessidade de romper com as barreiras e limitações da carne. O jejum deixará nosso espírito atento pois mortifica a carne e aflige nossa alma.

Alguns acham que o jejum é uma “varinha de condão” que resolve as coisas por si mesmo, mas não é isso que a palavra nos ensina. Quando jejuamos, não devemos crer NO JEJUM, e sim em Deus.

A IMPORTÂNCIA DO JEJUM:

Jejuar é importante por causa das lutas espirituais (Mat 17:21). Quando jejuamos, não estamos forçando Deus a fazer algo, mas estamos resistindo a forças e baluartes sobrenaturais.

O jejum é parte importante do desenvolvimento adequado e fundamentado de um relacionamento com Deus (Lucas 2:36-37; Atos 13:2).


  • Jejuar demonstra o fervor e desejo do coração (Heb11:6);
  • Jejuar ajuda a manter o corpo sob sujeição. (1Co 9:24-27);

MODELOS BÍBLICOS DE JEJUAR:

Há diferentes formas de jejuar. As que encontramos na Bíblia são:

1) JEJUM TOTAL -  É abstinência de tudo, inclusive de água. Na Bíblia encontramos poucas menções de ter alguém jejuado sem água, e isto dentro de um limite: no máximo três dias.

A água não é alimento, e nosso corpo depende dela a fim de que os rins funcionem normalmente e que as toxinas não se acumulem no organismo. Há dois exemplos bíblicos deste tipo de jejum, um no Velho outro no Novo Testamento:

Ester, num momento de crise em que os judeus estavam condenados à morte por um decreto do rei, pede a seu tio Mardoqueu que jejuem por ela: “Vai, ajunta a todos os judeus que se acharem em Susã, e jejuai por mim, e não comais, nem bebais por três dias, nem de noite nem de dia; eu e as minhas servas também jejuaremos. Depois, irei ter com o rei, ainda que é contra a lei; se perecer, pereci.” (Et 4.16).

Paulo, na sua conversão também usou esta forma de jejum, devido ao impacto da revelação que recebera: “Esteve três dias sem ver, durante os quais nada comeu, nem bebeu.” (At 9.9).

2) JEJUM NORMAL - É a abstinência de alimentos mas com ingestão de água. Foi a forma que nosso Senhor adotou ao jejuar no deserto. 

  • “Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi guiado pelo mesmo Espírito, no deserto, durante quarenta dias, sendo tentado pelo Diabo. Nada comeu naqueles dias, ao fim dos quais teve fome.” (Mt 4.2).

Desta forma de jejum como normal, pois entendemos ser esta a prática mais propícia nos jejuns regulares (como o de um dia).

3) JEJUM PARCIAL - O jejum parcial é quando você elimina apenas alguns alimentos.

No jejum parcial, você escolhe que tipo de alimento você não vai comer durante algum tempo. Se você tem algum problema de saúde, o jejum parcial é muito mais seguro que o jejum total ou o jejum com água. Lemos sobre esta forma de jejum no livro de Daniel:

  • “Naqueles dias, eu, Daniel, pranteei durante três semanas. Manjar desejável não comi, nem carne, nem vinho entraram em minha boca, nem me ungi com óleo algum, até que se passaram as três semanas.” (Dn 10.2,3).

O TEMPO DO JEJUM:

Jejuar é assunto da liberdade individual sob a direção do Espírito Santo. Pode ser uma refeição ou várias refeições, conforme a necessidade da hora e a direção de Deus. Romanos 14 fala desse tipo de coisa e diz: “Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente.” (Rm 14:5)

Vemos vários exemplos de jejuns de duração diferente nas Escrituras:

  • 1 dia – O jejum do Dia da Expiação
  • 3 dias – O jejum de Ester (Et 4.16) e o de Paulo (At 9.9);
  • 7 dias – Jejum por luto pela morte de Saul (I Sm.31.13);
  • 21 dias – O jejum de Daniel em favor de Jerusalém (Dn 10.3);
  • 40 dias – O jejum do Senhor Jesus no deserto (Lc 4.1,2);

PODEMOS FALAR QUE ESTAMOS JEJUANDO?

Algumas pessoas são extremistas quanto a discrição do jejum, enquanto outras, à semelhança dos fariseus, tocam trombeta diante de si. Em Mateus 6.16-18, Jesus condena o exibicionismo dos fariseus querendo parecer contristados aos homens para atestar sua espiritualidade.

Não é necessário que outros saibam que estamos em jejum, pois o nosso esforço é dirigido a Deus.

RECOMENDAÇÕES:

  • Se você não está acostumado a jejuar, comece com um jejum pequeno. Vai aumentando o tempo aos poucos e de acordo com a direção de Deus. 
  • Se você pode, aproveita o tempo da refeição para orar.
  • Não coma muito antes de começar o jejum.
  • Beba água com frequência.
  • Não quebre o jejum com comida muito pesada ou gordurosa.
  • Se você tem problemas de saúde, procure uma opinião médica antes de decidir se vai jejuar.
  • A medicina adverte contra um período de mais de três dias sem água, como sendo nocivo. Devemos cuidar do corpo ao jejuar e não agredi-lo; lembre-se de que estará lutando contra sua carne (natureza e impulsos) e não contra o seu corpo.

  • “Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; porque não se agrada de tolos. Cumpre o voto que fazes. Melhor é que não votes do que votes e não cumpras”. (Ec 5.4,5).

ADVERTÊNCIAS SOBRE O JEJUM:

  • Jejuar não salva. (Lc 18:9-14);
  • Não se deve jejuar para se exibir. (Mt 6:16-18);
  • Jejuar não deve ser um ritual religioso. (Lc 18:12);
  • O jejum é inaceitável e sem efeito sem um direto relacionamento com Deus. (Is 58:3-9) (Zc 7:5-6);
  • O jejum bíblico não deve ser feito por questões de saúde física;
  • Jejuar é um assunto pessoal.


FONTES LITERÁRIAS:
Perguntas e respostas à luz da Bíblia e da fé cristã evangélica.
Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da). 

Um comentário:

  1. A paz do SENHOR JESUS
    GLÓRIAS a DEUS por está palavra revelada pois alimentou a minha alma e me trouxe mais ensinamento da forma que devemos servi a DEUS nosso SENHOR JESUS CRISTO ÚNICO SALVADOR da minha vida o ESPIRITO SANTO DE DEUS. DEUS seja louvado por este ensino e está guardado em meu coração.
    O VEM LOGO JESUS������

    ResponderExcluir

Topo