QUE É "CONVERSÃO"?

    POR RODRIGO H. C. OLIVEIRA


Muito se fala nas Igrejas acerca da necessidade da conversão, mas o que significa dizer que determinada pessoa é "convertida"? Quais são as características da conversão? O que a Bíblia realmente ensina a este respeito? Essas e outras perguntas é o que buscaremos responder neste estudo.


O QUE SIGNIFICA "CONVERSÃO"?

Conversão é uma palavra que no original (gr. epistrephó - ἐπιστρέφω) significa "girar, retornar". Sua origem traz o sentido de "mudar de direção e tomar o sentido oposto ao que dantes caminhava", "converter-se". Conversão, portanto, é uma mudança de rumo e de trajeto.


A GRAÇA OPERA NA CONVERSÃO

Graça (gr. charis - χάρις) denota o favor imerecido de Deus para com o homem. Trata-se do presente ou dádiva que o ser humano recebe - não por méritos -, mas pela bondade e misericórdia de Deus em seu favor. Como diz a Escritura: "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie" - Efésios 2.8,9

A graça constitui-se, desse modo, em elemento fundamental e atuante na conversão de todo homem. Trata-se de um favor outorgado por Deus na conversão; mas por quê? "Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus, ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue..." - Romanos 3.23-25


O DESPOJAR DO VELHO HOMEM

"Mas vós não aprendestes assim a Cristo, se é que o tendes ouvido e nele fostes ensinados, como está a verdade em Jesus, que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano" - Efésios 4.20-22

O crente convertido é aquele que abandona o velho homem. É necessário haver uma mudança radical na vida do cristão. O velho homem é o nosso "eu" que é escravo do pecado, é o "eu" que se corrompe pelos desejos do engano e da cobiça que gera a morte.

Devemos nos despojar do velho homem que costumava mentir, se irar e praticar a vingança. O velho homem é aquele que anda segundo a carne, e não segundo o Espírito. É aquele que tem por prazer as alegrias momentâneas desta vida, e não a alegria duradoura da salvação em Jesus.

Conversão é mudar de direção, é o despojar do velho do homem, é abandonar o caminho do pecado a fim de percorrer a jornada do novo e vivo caminho que só alcançamos em Jesus, o filho de Deus.


O REVESTIR DO NOVO HOMEM

"E vos renoveis no espírito do vosso entendimento, e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade"  - Efésios 4.23,24

Irmãos, não nos enganemos, conversão é transformação. Há a necessidade de que haja renovação da nossa mente. Tal renovação não se dá pelo esforço humano, mas pelo poder do Espírito de Deus. Essa transformação ocorre quando o homem se rende ao governo e à liderança do Espírito Santo e denota, portanto, uma mudança que afeta nossos pensamentos e vontades. 

Diz-se do convertido que ele é criado segundo Deus, ou seja, "segundo a imagem daquele que o criou" (Cl 3.10). Willard H. Taylor comenta que "a semelhança de Deus é revelada em Jesus Cristo e mediada por ele. Quando nos revestimos de Cristo (Rm 13.14; Gl 3.27), que é 'o novo homem de todos os homens' (cf. I Co 15.45ss.), a natureza divina se torna efetiva em nós. Pedro fala que os homens são 'participantes da natureza divina' (II Pe 1.4)".¹

Essa natureza divina, bem como a nova vida criada e gerada em nós, possui certas características essenciais: Justiça e Santidade. "Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros. Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira, nem deis lugar ao diabo" - Efésios 4.25-27


O ARREPENDIMENTO

Jesus disse que o Espírito Santo atua no convencimento do pecado: "Convém-vos que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei. Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo" - João 16.7,8

Podemos afirmar, assim, que o Espírito de Deus atua para o arrependimento na conversão, que manifesta-se, também, em tristeza pelo pecado. Como diz o salmista: "Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias" - Salmos 51.1

Tal arrependimento tem por finalidade a salvação; "porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, da qual ninguém se arrepende; mas a tristeza do mundo opera a morte" - II Coríntios 7.10


CONCLUSÃO

Em sua origem o homem fora colocado no Jardim do Éden, ou melhor, no Paraíso das Delícias. Naquele jardim o homem podia tomar do fruto da árvore da vida e viver por meio dele, além disso, desfrutava de íntima comunhão com Deus.

Porém, o pecado entrou no mundo por meio de Adão, e pelo pecado a morte. A humanidade se encontrava, a partir daí, em um estado de queda. Expulso do Paraíso das Delícias, Adão e toda a raça perdera o acesso ao fruto da árvore da vida.

Nesse estado de queda, a humanidade caminha rumo ao único destino pelo qual essa velha estrada o conduz: à morte e à condenação. Porém, conversão é mudar de rumo, é não prosseguir mais nessa direção de condenação e morte eterna. Com a conversão o homem toma a direção oposta, e dessa forma, toma também um novo destino.

Em Cristo Jesus um novo e vivo caminho nos é apresentado. Enquanto no caminho da perdição o homem anda na carne, no caminho da conversão o homem vive segundo o Espírito. No caminho da perdição o homem anda pecando e recebe, assim, salário de morte; mas no caminho da conversão o homem vive em santidade, revestido do novo homem.

Assim permanece, pois, de pé a promessa cuja finalidade é nos levar àquela origem antes experimentada por Adão: O Paraíso das Delícias, a comunhão íntima com o Pai e o acesso à árvore da vida. Como nos promete o próprio Jesus: "Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida que está no meio do paraíso de Deus" - Apocalipse 2.7

Conversão é mudar o trajeto das trevas para a luz, da morte para a vida, da condenação para o perdão, do pecado para a santificação e do inferno para a vida eterna no céu. O nosso destino depende, dessa maneira, da nossa decisão diante da palavra que diz "arrependei-vos e convertei-vos".

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo!


REFERÊNCIAS

¹ Comentário Bíblico Beacon, Vol 9. CPAD, p. 170.

Bíblia Interlinear 
Bíblia Sagrada - Almeida Revista e Corrigida
Lições Bíblicas de Adultos, 4º Trimestre de 2021. CPAD.
STRONG, Concordância de. Disponível em: https://biblehub.net/searchstrongs.php?q=

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Temas

Topo