O SANGUE DE JESUS

POR ÁLVARO OSTROSKI



Esboço do Estudo:

1. Introdução
2. O que o sangue simboliza na Bíblia?
3. O sangue no Antigo Testamento
4. O sangue no Antigo Testamento
5. O sangue de Jesus é a base do Novo Testamento
6. Aspectos importantes do sangue de Jesus
7. Como não entender o sangue de Jesus
8. Fé na Bíblia ou Fé na Experiência
9. Clamor ou Invocação pelo sangue de Jesus
10. Há na Bíblia a expressão clamor pelo sangue de Jesus?
11. Clamor pelo sangue de Jesus explicito e implícito 
12. Recomendações

I - INTRODUÇÃO

No estudo sobre Salvação aprendemos que o Sangue de Jesus foi o preço pago pelos nossos pecados. 

Neste estudo vamos procurar aprofundar um pouco o entendimento sobre o Sangue de Jesus, seu valor e aplicação atual.

Tentaremos também desmistificar conceitos comuns no meio evangélico, porém que não tem amparo bíblico. 

Primeiramente vamos entender:

II - O QUE O SANGUE SIMBOLIZA NA BÍBLIA?

"Porque a vida da carne está no sangue" – Levítico 17:11

Verificamos que o SANGUE simboliza a VIDA. Assim sendo, nos fica mais claro que o preço pelos nossos pecados foi à vida de Jesus.

III - O SANGUE NO ANTIGO TESTAMENTO

No Antigo Testamento verificamos que Deus estipula como preço pelos pecados o sacrifício de um animal e o derramamento de seu sangue. Um exemplo disso é o que ocorrida no chamado Dia da Expiação (Levítico 16), quando eram feitos sacrifícios pelos pecados do povo cometidos durante todo o ano.

IV - O SANGUE NO NOVO TESTAMENTO

Verificamos que os sacrifícios do Antigo Testamento eram imperfeitos - "porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire pecados" Hebreus 10:4 - porém didáticos e pedagógicos, sendo que os mesmos apontavam para um sacrifício perfeito que ocorreria. Sabemos que este sacrifício perfeito foi o de Jesus - "E assim todo sacerdote aparece cada dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar pecados; mas este [Jesus], havendo oferecido um único sacrifício pelos pecados, está assentado para sempre à destra de Deus" Hebreus 10:11,12

Outro fato importante é que no Antigo Testamento havia o Tabernáculo e depois o Templo e em ambos havia a seguinte mobília: altar do holocausto, pia de bronze, mesa dos pães asmos, altar de incenso e arca da aliança. Veja imagem a seguir:

Representação do Tabernáculo


A arca da Aliança era a representação máxima da presença de Deus e somente o Sumo Sacerdote podia uma vez por ano (Dia da Expiação) entrar no local onde ela fica, chamado de Santo dos Santos, porém para ele ir até lá precisava antes sacrificar um animal e derramar seu sangue para obter o perdão dos pecados, ou seja, para chegar à presença de Deus era necessário antes que os pecados fossem purificados pelo sangue do animal - "mas, no segundo, só o sumo sacerdote, uma vez no ano, não sem sangue, que oferecia por si mesmo e pelas culpas do povo" Hebreus 9:7

Mais uma vez o Antigo Testamento tem um caráter didático e pedagógico, pois no Novo Testamento vamos entender que pelo Sangue de Jesus temos hoje em dia total e irrestrito acesso a presença de Deus - "Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no Santuário, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne" Hebreus 10:19,20

Por fim, cabe entender que:

V - O SANGUE DE JESUS É A BASE DO NOVO TESTAMENTO

“E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho, dizendo: Bebei dele todos; Porque isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados.” – Mateus 26:27-28

VI - ASPECTOS IMPORTANTES DO SANGUE DE JESUS

1. Purificação do pecado - O sangue de Jesus é à base da purificação do pecado, este sangue não te livra do pecado, mas te purifica do pecado - "e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado" 1 João 1:7 

2. Paz com Deus - O sangue de Jesus nos garante a paz com Deus - "havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra como as que estão nos céus" Colossenses 1:20 – A ideia aqui é que os homens e Deus estavam separados (em guerra) devido ao pecado, mas Cristo por meio de seu sangue nos uniu.

3. Perdão dos pecados"Em quem [Jesus] temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça" Efésios 1:7

4. Justificação - "Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira" Romanos 5:9 – a ideia é que os homens estavam num tribunal de Deus, onde seriam julgados e condenados pelos crimes (pecados) que cometeram, mas receberam a sentença de “inocentes” (justos), pois toda a acusação e condenação foram colocadas em Jesus.

5. Derrota das acusações de Satanás - "porque já o acusador de nossos irmãos é derribado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite. E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram a sua vida até à morte" Apocalipse 12:10,11 – o texto claramente está mostrando que Satanás acusa os crentes diante de Deus, semelhante ao que vemos no livro de Jó capítulos 1 e 2, mas os crentes vencem essas acusações de Satanás mediante o sangue de Jesus que os perdoou, purificou e justificou diante de Deus. Além disso, a palavra do testemunho desses crentes demonstra que eles são de Jesus, por isso dão testemunho, quem não dá testemunho não é de Jesus e por conseqüência não tem seus pecados perdoados, purificados e justificados em Cristo.

Neste aspecto quero reproduzir o sonho de Martinho Lutero: em um sonho agonizante, o Diabo aparece a Lutero e apresenta uma lista contendo muitos dos pecados que ele cometera na vida. Lutero leu toda a relação e, vendo que não estava completa, disse: “Todos esses pecados eu cometi, mas ainda faltam outros”. O Diabo retornou depois com outra enorme lista com a relação completa dos pecados de Lutero, e lhe apresentou: “Agora a lista está completa. Todos os seus pecados estão aqui”. Ao que o reformador exclamou: “Agora que estão listados todos os meus pecados, escreve bem embaixo da lista: “O sangue de Jesus Cristo me purifica de todo pecado!”

Perceba que todas as referências bíblicas do sangue de Jesus estão relacionadas ao perdão dos pecados.

VII - COMO NÃO ENTENDER O SANGUE DE JESUS

1. Amuleto da sorte: No meio evangélico se tornou clichê a expressão “sangue de Jesus tem poder!”, como se por usar a expressão algo mágico ou misterioso irá ocorrer. A Bíblia não apresenta qualquer tipo de embasamento para isso. Isso pode ser útil em algum tipo de pensamento positivista, mas no mundo espiritual não.

Dentro disso é importante verificar que:

a) A expressão “sangue de Jesus tem poder!” não torna sua oração mais poderosa.

b) Orar dizendo “passa o sangue de Jesus sobre o alimento” não o deixará puro, orar dizendo “passa o sangue de Jesus sobre o carro” não te livrará de acidentes e assim por diante.

c) Tentar expulsar demônios pelo sangue de Jesus, como se essa expressão fosse mais forte, como se os demônios não pudessem ouvir a expressão “sangue de Jesus”, não tem base bíblica.

2. Capa de proteção: No meio evangélico é comum se usar o sangue de Jesus como se fosse uma capa de proteção contra o mal e a passagem bíblica usada para isso é a da instituição da Páscoa (Êxodo 12), onde o sangue do cordeiro morto foi posto na porta da casa dos hebreus e assim quando o SENHOR passou pela terra do Egito e matou todos os primogênitos, os hebreus foram livrados. Ocorre que a interpretação de que o sangue nas portas foi proteção contra o mal está equivocadíssima, pois não foi Satanás quem passou no Egito, mas foi o SENHOR, tal episódio narra o juízo de Deus. A interpretação correta à luz do Novo Testamento é que o sangue de Jesus nos livra da ira vindoura de Deus - "e esperar dos céus a seu Filho, a quem ressuscitou dos mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura" 1 Tessalonicenses 1:10 – no sentido que quando Deus julgar o mundo por seus pecados, os salvos em Cristo, lavados e remidos por seu sangue, estarão livres de tal juízo.

Dentro disso é importante verificar que:

a) Se um bandido for te assaltar e você disser bem alto “o sangue de Jesus tem poder”, não será a frase que vai te proteger do assalto.

b) Se você tem um problema e diz “o sangue de Jesus tem poder”, não será a expressão que vai resolver o problema.

3. Poder Especial: Alguns ainda oram dizendo “invoco ou clamo o poder do sangue de Jesus”, como se houvesse um poder misterioso que naquele momento irá agir em seu favor. Em nenhuma passagem bíblica há o registro que algum cristão clamou o poder do sangue de Jesus sobre si.

O sangue de Jesus é valioso e precioso, mas precisa ser entendido para não ser confundido.

VIII - FÉ NA BÍBLIA OU FÉ NA EXPERIÊNCIA?

Muitos poderão dizer “mas eu certa vez estava em uma situação de perigo e disse o sangue de Jesus tem poder e obtive um livramento”, como entender isso?

Crer em Deus é crer na sua operação, afinal Ele está vivo, e por isso temos que ter todo o cuidado para analisar qualquer experiência, pois somos limitados.

Se a pessoa com fé em Deus usou a expressão e obteve um livramento não há o que contrapor, pois Deus é Soberano, todavia experiências não servem de doutrina. A doutrina deve emergir naturalmente da Bíblia, pois ela é nosso fundamento de crença. Caso contrário não há como rechaçar qualquer tipo de doutrina, como por exemplo, a espírita kardecista que surgiu de uma experiência sobrenatural. 

IX - CLAMOR OU INVOCAÇÃO PELO SANGUE DE JESUS

Algumas denominações utilizam a expressão Clamor Pelo Sangue de Jesus ou Invocação pelo Sangue de Jesus para se referirem a certo tipo de oração de súplica e de perdão.

Se este tipo de expressão for usada para expressar todo o arcabouço doutrinário que apresentamos acima, no sentido de que somos pecadores e não temos o direito de acessar a presença de Deus sem o beneficio do perdão contido no sangue de Jesus não haverá problemas em usá-la. Entretanto se for usada como algo místico ou mágico recairá nos mesmos problemas já apresentados acima.

A expressão Clamor Pelo Sangue de Jesus ou Invocação pelo Sangue de Jesus dá um ideia diferente de clamar o poder do sangue de Jesus. Enquanto clamar o poder do sangue de Jesus dá a ideia de que algo misterioso irá ocorrer naquele momento, Clamar ou Invocar pelo sangue de Jesus dá a ideia de que “por meio disso” ou “através disso” a pessoa pedirá algo a Deus.

A expressão clamor pelo sangue de Jesus tem um excelente valor no sentido de enfatizar uma verdade bíblica de que "sem derramamento de sangue não há remissão [de pecados]" Hebreus 9:22

Se você utilizar a expressão “clamor pelo sangue de Jesus” tenha bem vivo em sua mente que você está se chegando a presença de um Deus Santo e que você é um pecador e não tem condições de entrar no lugar santíssimo, mas que pelo sangue de Jesus, pelos méritos de Jesus, você agora tem acesso. Qualquer coisa, além disso, não passará de misticismo pagão.

X - HÁ NA BÍBLIA A EXPRESSÃO CLAMOR PELO SANGUE DE JESUS?

Não! Contudo isso não impede que uma igreja a use, com entendimento é claro.

Para basear esta afirmação trago a memória a expressão Trindade, aceita por praticamente todos os cristãos.

Tal expressão não é encontrada na Bíblia e foi desenvolvida ao longo da história da igreja (séc. III) para refletir uma doutrina bíblica, de que existe somente um Deus que subsiste em três pessoas distintas.

Portanto usar a expressão “clamor pelo sangue de Jesus” com o entendimento doutrinário correto não pode ser tido como heresia.

XI - CLAMOR PELO SANGUE DE JESUS EXPLÍCITO OU IMPLÍCITO 

Creio que ficou bem claro o bojo doutrinário que há por trás do entendimento correto do que significa a expressão clamor pelo sangue de Jesus.

Com esse entendimento claro podemos verificar que todos os crentes fazem uso disso em suas orações, seja de forma explicita, citando o sangue de Jesus ou de forma implícita não citando o sangue de Jesus, mas sabendo que somente podem se achegar a Deus pelo perdão dos pecados que há no sangue de Jesus.


XII - RECOMENDAÇÕES

Se você entende a necessidade de em suas orações fazer menção ao Sangue de Jesus recomendamos estes 3 pontos:

1. Não vulgarize o Sangue de Jesus: Não fique pronunciando a frase “o Sangue de Jesus tem poder” em qualquer momento e sem critério. Esse ato envolve temor, envolve a morte e ressurreição de Jesus e não é uma frase “mágica”.

2. Tenha sabedoria ao mencionar o Sangue de Jesus: Em muitas vezes fazemos o clamor “no coração”, ou seja, em pensamento, pois podemos estar no ambiente com pessoas que não entenderão este ato e poderão zombar ou escarnecer.

3. Não Clame pelo Sangue de Jesus sobre objetos ou coisas: Não fique dizendo “passa o sangue de Jesus sobre o carro, a casa ou qualquer outra coisa”, pois isso não tem fundamento bíblico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Topo