CULTO

POR ÁLVARO OSTROSKI

CULTO




ESBOÇO DO ESTUDO

1. O que é culto?
2. Tipos de culto
3. Onde fazemos o culto público?
4. Objetivos do culto público
5. Quantos cultos públicos devem ser realizados por semana?
6. Como deve ser o culto?
7. No culto há
8. Conclusão

O QUE É CULTO?

Ato de adoração a Deus!

Essa simples definição brota de uma análise geral da Bíblia e dos cultos que eram prestados a Deus tanto no Antigo Testamento quanto no Novo testamento, mas em especial citamos como texto base para essa definição a conversa entre Jesus e a Mulher Samaritana de João 4:1-30, quando a Mulher pergunta a Jesus onde Deus deveria ser adorado, no monte em Samaria ou em Jerusalém (Templo judaico) e como resposta Jesus diz: “Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem” João 4:23

Logo percebemos que o culto tem haver com adoração.


TIPOS DE CULTO 

A Bíblia mostra que existem alguns tipos de culto a Deus, como:

1. A vida pessoal como culto 

O salvo em Cristo adora (cultua) a Deus com sua vida. Suas práticas, sua conduta e seu testemunho devem exaltar continuamente a Deus, veja o que Paulo diz em 1 Coríntios 10:31 “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus”. Paulo ainda diz em Romanos 12:1 “Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.”

2. O culto público

O culto público é o momento em que os cristãos se reúnem para juntos adorarem (cultuarem) a Deus. Percebemos que era comum a igreja do Novo Testamento se reunir para cultuar a Deus, vemos isso nas expressões e contextos de 1 Coríntios 11:18 “...quando vos ajuntais na igreja...” e 1 Coríntios 14:26  “...quando vos ajuntais...” – esse ajuntais poderia ser traduzido como congregais, daí surge a palavra congregação, que comumente chamamos de Igreja.

Trataremos neste estudo sobre o culto público que é um meio de Deus derramar sua graça sobre nós.

Observação: Dentro do culto público há o culto de ceia e de batismo, que são feitos em momentos oportunos.


ONDE FAZEMOS O CULTO PÚBLICO?

Na Igreja física, em nossos lares e outros lugares dependendo da ocasião, como por exemplo, presídios, praças, orfanatos, asilos, clínicas de recuperação e etc.   

Como já citamos Deus não está preso a um local especifico - “Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem” João 4:23 - Todavia, não queremos dizer que não seja necessário participar dos cultos realizados na Igreja física.

Hebreus 10:25 nos orienta a fazermos parte de um Igreja local, veja: “não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns; antes, admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais quanto vedes que se vai aproximando aquele Dia”


OBJETIVOS DO CULTO PÚBLICO

Fazendo uma análise em toda a Bíblia percebemos que o culto tem alguns objetivos, tais como:

1. Adorar/Glorificar a Deus 

Não há sentido em fazer uma reunião com diversas pessoas, chamar isso de culto público e Deus não ser o centro deste culto. Se Deus não foi o centro de tal reunião é qualquer outra coisa, menos culto.

O primeiro e grande mandamento da Lei é amar a Deus (Mateus 22:36-38) e não ter qualquer outro “deus” em seu lugar (Êxodo 20:3-5)

2. Meditar na Palavra de Deus (Bíblia) 

Vamos ser um pouco mais extensos neste item, pois cremos que a Palavra de Deus tem caráter central no culto, veja:

a) Verificamos que no culto judaico dos tempos de Jesus havia a Pregação da Palavra (AT a época) - “E [Jesus], chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga e levantou-se para ler. E foi-lhe dado o livro do profeta Isaías; e, quando abriu o livro, achou o lugar em que estava escrito” Lucas 4:16,17; “E [Jesus] pregava nas sinagogas da Galileia" Lucas 4:44

b) Vemos Paulo Pregando a Palavra nas sinagogas judaicas e para a Igreja – “E [Paulo] logo, nas sinagogas, pregava a Jesus, que este era o Filho de Deus” Atos 9:20“No primeiro dia da semana, ajuntando-se os discípulos para partir o pão, Paulo, que havia de partir no dia seguinte, falava com eles; e alargou a prática até à meia-noite.” Atos 20:7 

c) Vemos Paulo exortar Timóteo a Pregar a Palavra a Igreja – “Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá” 1 Timóteo 4:13; “que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina” 2 Timóteo 4:2

d) Vemos que nos cultos da Igreja de Corinto havia um momento para a pregação da Palavra – “que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais (congregais), cada um de vós tem... doutrina...” 1 Coríntios 14:26 – doutrina é uma referência a pregação bíblica

e) Vemos o sacerdote Esdras pregando a Palavra na reunião do povo de Israel – “E Esdras, o escriba, estava sobre um púlpito de madeira, que fizeram para aquele fim ... E Esdras abriu o livro perante os olhos de todo o povo; porque estava acima de todo o povo; e, abrindo-o ele, todo o povo se pôs em pé” Neemias 8:4,5

3. Cantar louvores a Deus 

a) “Prestem culto ao Senhor com alegria; entrem na sua presença com cânticos alegres” Salmos 100:2 (versão NVI)

b) Vemos que nos cultos da Igreja de Corinto havia um momento para o louvor (cânticos a Deus) – “que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais (congregais), cada um de vós tem um salmo...” 1 Coríntios 14:26 – salmo é uma referência aos cânticos a Deus (louvor)

4. Orar a Deus pelas nossas necessidades 

a) Jesus em um contexto que falava do templo físico diz: “E disse-lhes: Está escrito: A minha casa será chamada casa de oração” Mateus 21:13 

b) Pedro e João foram até o templo físico para orar – “Pedro e João subiam juntos ao templo à hora da oração, a nona” Atos 3:1

c) A igreja reunida orava por Pedro que estava preso – “Pedro, pois, era guardado na prisão; mas a igreja fazia contínua oração por ele a Deus” Atos 12:5 ; “E, considerando ele nisso, foi à casa de Maria, mãe de João, que tinha por sobrenome Marcos, onde muitos estavam reunidos e oravam” Atos 12:12


QUANTOS CULTOS PÚBLICOS DEVEM SER REALIZADOS NA SEMANA? 

A Bíblia não estipula a quantidade de cultos semanais que devem ser feitos, devemos lembrar que nossa vida como culto é algo diário.

Percebemos que no início da Igreja os crentes viviam uma vida comunitária bem próxima, onde repartiam suas propriedades entre si, faziam as refeições juntos, oravam juntos e “E, perseverando unânimes todos os dias no templo” Atos 2:46 

Esse tipo de comunidade não perdurou muito tempo e ao longo das cartas apostólicas o que parece é que os crentes se reuniam no primeiro dia da semana (domingo) para o culto e a ceia (Atos 20:6,7; 1 Coríntios 16:1,2). Perceba em Atos 20:6,7 que Paulo ficou 7 dias com os irmãos, porém eles se reuniram para o culto somente no primeiro dia da semana (domingo).

Temos ainda citações de Justino Mártir (100 d.C - 165 d.C) e de Tertuliano (160 d.C - 220 d.C) que demonstram que os crentes se reuniam para o culto aos domingos.

Entretanto, como a Bíblia não apresenta um texto normativo para a quantidade de cultos semanais a se realizar fica a critério de cada denominação isso, contudo, temos indícios bíblicos e históricos para crer que o domingo é um dia destinado ao culto público.


COMO DEVE SER O CULTO?

Com base nos objetivos do culto já visto e nas orientações que Paulo passa em 1 Coríntios 14:26-40 podemos afirmar que no culto deve haver um momento para:

a) Louvor (cânticos a Deus) – “tem salmo” 

b) Pregação Bíblica – “tem doutrina”

O culto ainda deve ser feito com ordem e decência, principalmente no que tange a manifestação dos dons espirituais.


 NO CULTO HÁ:

Operação de anjos e perdão de pecados - Isaías 6:1-7
Salvação de Vidas – Atos 2:46,47 
Cura de Enfermidades – Atos 3:1-10
Derramamento/Batismo do E.S – Atos 19:1-7


CONCLUSÃO

Podemos dizer que no culto Deus precisa ser o centro, Jesus precisa ser o centro e a Palavra de Deus (Bíblia) precisa ser o centro.

Infelizmente nos dias atuais estão afastando esses princípios, pois o pregador e seus feitos se tornaram o centro, o cantor se tornou o centro, a prosperidade do povo se tornou o centro e até a denominação se tornou o centro, pois ao invés de se pregar sobre Cristo se prega sobre o quão boa é a denominação.

Encerramos com as palavras do Salmista, que diz:

"Alegrei-me quando me disseram: Vamos à casa do Senhor" Salmo 122:1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Topo