A PARÁBOLA DAS BODAS E O SEU PARALELO HISTÓRICO E PROFÉTICO

POR NILDO OLIVEIRA
A PARÁBOLA DAS BODAS E O SEU PARALELO HISTÓRICO E PROFÉTICO

"O reino dos céus é semelhante a um certo rei que celebrou as bodas de seu filho"; Mateus 22:2

O Senhor Jesus comparou o Reino de Deus a uma festa de casamento, onde o Rei enviou
seus servos para convidar a princípio as pessoas mais próximas ao noivo, mas elas não quiseram ir.

1- OS PRIMEIROS CONVIDADOS
(POVO DE ISRAEL) Mateus 22:3
Entendemos que os primeiros convidados refere-se aos judeus, herdeiros da promessa
que não reconhecem o Filho de Deus rejeitando-o e maltratando os seus servos.
Este primeiro convite foi transmitido pelos profetas do Senhor, e logo em seguida pelos discipulos do Senhor.

E proclamaram ao povo de Israel que era chegado o reino de Deus, convidando-o a arrepender-se e crer no evangelho. O convite, porém, não foi atendido.



Os convidados para a festa não compareceram.




ISRAEL REJEITA OS JUÍZES

A resposta foi "Não quero", queriam um rei.



ISRAEL REJEITA OS REIS

Fizeram pouco caso e o resultado foi a desobediência.



ISRAEL REJEITA OS PROFETAS

Israel preferiu cuidar dos seus interesses.



ISRAEL REJEITA JESUS

Israel insultou e crucificou o messias.



A atitude deles fez com que o Evangelho de Jesus se espalhasse por todo o mundo

gentio.



"Veio para o que era seu, e os seus não o receberam". João 1:11




”Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das suas asas e tu não quiseste!...” Mateus 23.37




2- O JUÍZO DO REI AO POVO DE ISRAEL

Mateus 22:7-8
Aqueles que rejeitaram o convite misericordioso de Deus, não eram dignos, pois decretaram a sua própria condenação (ver Mateus 27:25). O juízo pronunciado atingiu-os diretamente quando houve a destruição de Jerusalém no ano 70 dC.



3- OS SEGUNDOS CONVIDADOS

(IGREJA GENTÍLICA) Mateus 22:9-10
Este segundo convite para o banquete representa a pregação do evangelho que tem como objetivo alcançar o mundo inteiro, isto é, todos os povos e nações.



Sendo rejeitado por Israel, a salvação foi estendida aos gentios (Jo 1: 11, 12; Rm 9: 25,

26; Rm 11: 11);

Deus não rejeitou totalmente o povo de Israel (Rm 11: 1-6 e 29);

Com a rejeição do Senhor Jesus, há como que uma interrupção na história profética
dos judeus. Começa o período da graça para os gentios, a história da Igreja, o Israel
Espiritual de Deus (Dn 9: 26; Is 54: 1-5);

A salvação pela Graça de Deus, mediante a fé, é algo operado pelo Espírito Santo de
Deus (Jo 6: 44 e 65);

O Espírito Santo é o que vivifica (Jo 6: 63);



O que não nascer de novo (não for vivificado pelo Espírito Santo) não pode ver o Reino de Deus (Jo 3: 3);


Ninguém pode herdar o Reino de Deus por méritos ou esforços próprios (I Co 15: 50; Ef
2: 8, 9).



4- O HOMEM SEM VESTE NUPCIAL

Mateus 22:12-13
Acredita-se que talvez fosse um costume o anfitrião fornecer aos convidados as roupas
apropriadas à festa. Nesse banquete em especial, teria sido necessário, pois os
hóspedes eram trazidos diretamente da rua (v. 9, 10). O pai (Deus) preparou todo o
projeto as vestes (justiça de Cristo) veio dEle.



A veste nupcial representa “a justiça de Cristo”. Portanto, a rejeição da veste representa a rejeição de Cristo e de seu projeto para salvar o homem, exatamente o que Israel fez com o Senhor Jesus. Aqueles que não estiverem vestidos com vestes de Salvação não poderão participar das Bodas com Cristo.




Somos aceitáveis na presença de Deus somente se nos vestirmos da perfeita

justiça do Senhor Jesus, pela virtude de Seus méritos. Estas são as vestes brancas que os cristãos são aconselhados a “comprar”; (Mt 19:8).



Note que o homem estava durante a

bodas. O texto deixa claro que aquele indivíduo foi expulso sumariamente sem direito ao perdão de Deus. Entendemos que este fato está relacionado ao período do milênio, pois na fase atual, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. 

"E Ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo.” I João 2:1 e 2.



Entedemos que no momento do milênio os Judeus serão tratados pelo próprio Pai (Deus) com o Juízo prometido aqueles que rejeitaram a Justiça (vestes de Cristo).


O homem foi amarrado pelos pés e pelas mãos e lançado nas trevas exteriores, onde haverá choro e ranger de dentes.



"Ali haverá choro e ranger de dentes, quando virdes Abraão, e Isaque, e Jacó, e todos os profetas no reino de Deus, e vós lançados fora". Lucas 13:28




AS VESTES NO MOMENTO FINAL

Estas são as vestes de salvação ou vestes de santidade. Simbolizam a vida transformada de quem crê em Jesus como Senhor e Salvador e se arrependeu de seus pecados. Simbolizam a condição de estar preparado para o arrebatamento da Igreja. 



Está parábola serve de alerta (vigilância) para aqueles que insistem em permanecer com trapos imundos nesse momento final (Tempo do Breve).


Em Isaías 64.6, o profeta explica que a justiça própria do homem é insuficiente para santificá-lo. Quem confia em seus próprios "atos de justiça" é coberto por trapos imundos. 



Isaías diz que o próprio Deus, assim como o Rei da Parábola de Mateus 22, concede de Graça aos salvos as vestes de salvação e o manto de justiça. 


"É grande o meu prazer no Senhor! Regozija-se a minha alma em meu Deus! Pois Ele me vestiu com as vestes de salvação e sobre mim pôs o manto da justiça..." Isaías 61.10

Amigo, está chegando a hora do Rei (Deus) passar em revista os convidados para as Bodas do Filho. Livre-se de todos os trapos imundos. Santifique-se. Consagre-se. Deixe Deus cobri-lo com vestes de salvação.


Topo