ANANIAS E SAFIRA

POR NILDO OLIVEIRA
 ANANIAS E SAFIRA
 
Texto base: Atos 5:1-11
 

INTRODUÇÃO
 
Ananias e Safira faziam parte da igreja primitiva em Jerusalém. No início da igreja, muitos crentes com mais posses venderam propriedades que tinham e deram o dinheiro para sustentar a igreja. Por causa dessa generosidade, os membros mais pobres da igreja não passavam necessidade (At 4:32-35).


Ananias e Safira venderam uma propriedade que tinham e guardaram uma parte do lucro. Com o apoio da sua esposa, Ananias levou o resto do dinheiro aos apóstolos mas fingiu que tinha dado tudo que tinha recebido. Porém, Deus revelou a mentira a Pedro.


Pedro repreendeu Ananias por ter mentido. O dinheiro era dele e ele poderia ter feito qualquer coisa com ele. Ananias não tinha a obrigação de dar o dinheiro todo à igreja. Porém, não precisava mentir (At 5:3-4).


Assim que ouviu a repreensão, Ananias caiu morto! Seu corpo foi retirado e sepultado logo. Três horas depois, Safira chegou, sem saber que o marido estava morto. Pedro lhe perguntou se o dinheiro que tinham dado era o preço todo da propriedade e Safira respondeu que sim.


Pedro repreendeu Safira por ter mentido como seu marido e a informou que Ananias estava morto. Pedro contou a Safira que as mesmas pessoas que tinham acabado de sepultar seu marido também a iriam sepultar. Nesse momento Safira também caiu morta! Por causa desse acontecimento, todos ficaram com grande temor de Deus (At 5:9-11).



SIGNIFICADO DOS NOMES


O nome Ananias significa - "Deus é cheio de graça", mas Ananias descobriu que Deus também é juízo.

O nome Safira significa -   "bela", mas descobriu que o pecado tornou seu coração sujo.



O INÍCIO DA IGREJA EM ATOS 4


Esta passagem bíblica é muito conhecida, porém vamos entender detalhadamente o cenário que está descrito voltando ao capítulo 4.


Em Atos 4 uma igreja que tinha um só coração e pensamento, os sinais e prodígios eram constantes no meio dessa igreja. O Capítulo 4 finaliza com o gesto voluntário e generoso de Barnabé (At 4.36-37).



ANANIAS E SAFIRA

EXCLUÍDOS DA IGREJA DE CRISTO


O gesto voluntário de Barnabé despertou a admiração dos crentes. No meio daquele entusiasmo, Ananias e Safira, membros da igreja de Jerusalém, cobiçaram a mesma honra.


Ananias e Safira não eram pessoas desclassificadas. Eram membros da igreja. Foram batizados. Viviam junto com os outros irmãos, cantavam e oravam. Falavam a mesma linguagem da fé. Externamente eram crentes maravilhosos. O exemplo de desprendimento de Barnabé os fascinou. A oferta deles não foi produzida pelo amor. O amor deles era falso. Estavam cheios de egoísmo. Buscavam louvores dos homens e reconhecimento por parte das pessoas. Ananias e Safira estavam ligados na mentira.


Ananias e Safira se excluem das características da igreja relatada em Atos 4 onde havia unidade em tudo que faziam, uma igreja que não deveria haver desvios e contaminações.


Essa história nos trás um alerta da importância da santidade Cristã e também de que Espírito Santo está presente dentro dela, da igreja. O que ocorreu com Ananias e Safira trás um grande ensino para nós cristãos.


O pecado de Ananias e Safira não é só um pouco de vaidade ou de mentira, mas uma afronta e um atentado a santidade e integridade cristã que tem sua raiz na presença do Espírito Santo, o Espírito do Senhor (5:3.9). Tu não mentistes aos homens, mas a Deus (5:4).


Pedro deixa claro que o gesto de Ananias ao querer introduzir a cobiça do dinheiro na comunidade dos discípulos, nele estava agindo o poder mentiroso de Satanás.


As palavras de Ananias desmascaram a grande dúvida que há no seu comportamento na gestão da propriedade e dinheiro.  O que deveria ser sinal de comunhão, torna-se um gesto de prestígio, ou seja, fontes de divisão fundadas na mentira. É esta a estrada que afasta alguém da igreja cristã e finalmente o congela na morte espiritual.



A IGREJA PRIMITIVA CONHECIA DOS PERIGOS DE MENTIR CONTRA DEUS


A Igreja Primitiva  sabia do perigo de mentir contra o Espírito Santo. A pureza entre o povo no Antigo Testamento era primordial, a importância da sinceridade era mais séria do que a maioria dos cristãos faz hoje.


Antigo Testamento:

Quando Geazi foi tomado de lepra por ter mentido. (2 Rs 5.20-27);


Vemos tbm no livro de Josué a ação de Acã que guardou despojos de Jericó (sobras, restos) para si mesmo. Israel precisava avançar e somente a morte do transgressor permitiu que Israel avançasse de novo. (Js 7)


No Antigo Testamento também temos a figura do sacerdote, ele era MEDIADOR entre Deus e o povo, oferecendo SACRIFÍCIOS e orando em seu favor (Êx 28-29; Lv 21; 1Cr 24).  Isso significa que eram santos, não devendo ser considerados comuns.  Deus até mesmo mandou que usassem "vestes santas" quando estivessem ocupados com as funções sacerdotais, e, antes de servirem a Deus no santuário, tinham de fazer purificação cerimonial, ofertas, unção e aspersão do sangue. Caso o sarcedote estivesse em pecado ao apresentar a oferta para Deus, morria na mesma hora.



JUÍZO EM TEMPO DE GRAÇA 


Não há espaço na comunidade cristão para ninguém se vangloriar.


"Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor." (Rm 6.23)


"Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus." (1Cor 6.9-10)


É impossível fingir ou mentir para Deus: Pedro deixa muito claro que o pecado daquele casal foi um pecado contra Deus (5.3,4). Ananias e Safira estavam mentindo para Deus e não para os homens. Davi também entendia assim quando ao encarar seu pecado disse: “pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que era mal perante os teus olhos..” (Sl 51.4).


Precisamos ter consciência deste ponto. Antes que nosso pecado seja contra pessoas, pecamos contra Deus. E Ele não precisa ficar nos espionando pelo buraco da fechadura para saber o que fazemos às escondidas “...todas as coisas estão desnudadas e patentes aos olhos daquele a quem temos que prestar contas” (Hb 4:13). Não existe nada que não seja descoberta diante de Deus.


Não temos como fingir ser o que não somos. Sempre estamos nus na presença dele e isto em face de que Ele “não nos vê como o homem vê...o homem vê o exterior, porém, o Senhor vê o coração” (I Sm 16:7). Sua vigilância é tremendamente perfeita (Sl 139.1-5). 


A certeza de que é impossível esconder qualquer coisa de Deus, deveria poderosamente influenciar toda a nossa conduta, a fim de fugirmos do pecado, e caso aconteça, abandonar esta infrutífera e inútil tentativa de tapear Deus.


Deus ama sua igreja e deseja protegê-la do grave pecado da hipocrisia: A gravidade deste pecado pode ser constatado por dois aspectos: 


a) Trata-se de uma mentira contra o Espírito Santo;

b) a morte instantânea e imediata de Ananias e Safira.


O objetivo da disciplina é manter a igreja pura, restaurar o pecador e trazer glória a Deus. 


A disciplina não é um caminho opcional para a administração da igreja, mas uma necessidade, que deve ser entendida, obedecida e aplicada, para manter a saúde espiritual da igreja. 


As palavras de Pedro parecem pesadas, realmente foram, uma palavra para quem saiu de uma comunidade que tinha vida, um comunidade cristã. Foi necessário as palavras de Pedro pois,  nessa comunidade existia uma igreja santa, estamos falando de pessoas como Paulo, Pedro, Estevão, Barnabé, Marcos, Lucas e tantos outros que nos inspiram pela ousadia, entrega, santidade e comunhão. Neste lugar, não tinha mesmo espaço para qualquer tipo de engano. Era uma igreja modelo para as demais que iriam surgir.


Os cristãos e os que veem o juízo de Deus na morte do casal se dão conta que nesta comunidade está presente Deus através do Espírito Santo - Um temor difundiu-se em todos. (At 5.11)



ALGUNS ENSINAMENTOS


1- A quem estamos servindo:

Quem serve a Deus não tem necessidade de holofotes. Quem serve a Deus não é regido por interesse próprio, não se amedronta com pressões e com intimidações, não vende sua consciência.


É curioso que servir a Deus não facilita a vida de ninguém, o fato de você não favorecer este ou aquele, isto vai complicar a sua vida. A vida cristã é pautada por lágrimas, provações  e até ciladas. E muitas dentro da própria igreja, como na história relatada.


2- O perigo da ambição:

Cada vez mais as pessoas busca acumular riquezas, os bens materiais nunca lhes são suficientes (Sl. 62.10; Pv. 30.15)É preciso ter cuidado para não fazermos do dinheiro um deus, pois Jesus se expressou de modo bastante realista a esse respeito (Mt. 6.19-21) e Paulo, ressaltou que o amor a ele é a raiz de toda espécie de males (I Tm. 6.10). Tenhamos em mente o firme fundamento de que há um poder que transcende ao secularizado, é o poder do Espírito Santo (At. 1.8).


3- Der com alegria:

Primeiro, é preciso dar com alegria. Se você tiver alguma dúvida no seu coração quando for fazer uma oferta para a obra de Deus, é preferível não dar nada. Só dê com o coração leve, com alegria de ter o privilégio de estar contribuindo para o Reino de Deus. "Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria." (Cor 9.7)


4-  Só faça o que estiver ao seu alcance:

Nunca assuma compromissos com Deus que não tenha intenção de cumprir. Infelizmente, vejo isso acontecendo com frequência nas igrejas – por exemplo, as pessoas se inscrevem como voluntárias para cumprir determinadas tarefas (ou seja dizem que vão dar do seu tempo para a obra de Deus) e depois nada fazem. E, ainda pior, não demonstram qualquer preocupação ao agir assim. "Melhor é que não prometa do que prometer e não cumprir." (eclesiástico 5.5)


5- Não brinque com Deus:

Finalmente, com Deus não se brinca. Ananias e Safira acharam que poderiam enganar o Espírito Santo, demonstrando falta de temor e respeito por Deus. E isso não pode acontecer. Nunca. "Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará." (Gl 6.7)




REFERÊNCIAS


Atos - Série Cultura Bíblica - I.  Howard Marshall;

Atos - Hernandes Dias Lopes - Comentário Expositivo Hagnos

Comentário do Novo testamento -  Exposição de Atos dos Apóstolos Volume 1- Simon J. Kistemaker


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Temas

Topo