A TRICOTOMIA DO HOMEM

POR ELIENAI CABRAL
A TRICOTOMIA DO HOMEM

O homem é um ser tricótomo (1Ts 5.23; Hb 4.12). O termo tricotomia  significa “aquilo que é dividido em três” ou “que se divide em três  tomos”. Em relação ao homem, o termo tricotomia refere-se às três partes  do seu ser: corpo, alma e espírito. 

Há divergência neste ponto entre  alguns teólogos. Há aqueles que entendem o homem como apenas um ser  dicótomo, ou seja, que se divide em duas partes: corpo e alma (ou  espírito). Os defensores da dicotomia do homem unem alma e espírito como  sendo uma e a mesma coisa. Entretanto, parece-nos  mais aceitável o  ponto de vista da tricotomia. Esse conceito da tricotomia crê que o  homem é uma triunidade composta e inseparável. Só a morte física é capaz  de separar as partes: o corpo de sua parte imaterial.

O CORPO:

É a parte inferior do homem que se constitui de  elementos químicos da terra como oxigênio, carbono, hidrogênio,  nitrogênio, cálcio, fósforo, potássio, enxofre, sódio, cloro, iodo,  ferro, cobre, zinco e outros elementos em proporções menores. Porém, o  corpo com todos esses elementos da terra, sem os elementos divinos, são  de ínfimo valor. No hebraico, a palavra corpo é basar. No grego do Novo Testamento, a palavra corpo é somma.  Portanto, o corpo é apenas a parte tangível, visível e temporal do  homem (Lv 4.11; 1Rs 21.27; Sl 38.4; Pv 4.22; Sl 119.120; Gn 2.24; 1Co  15.47-49; 2Co 4.7). O corpo é a parte que se separa na morte física.

A ALMA:

É preciso saber que o corpo sem a alma é inerte. A  alma precisa do corpo para expressar sua vida funcional e racional. A  alma é identificada no hebraico do Velho Testamento por nephesh e no grego do Novo Testamento por psiquê.  Esses termos indicam a vida física e racional do homem. Os vários  sentidos da palavra alma na Bíblia, como sangue, coração, vida animal,  pessoa física; devem ser interpretados segundo o contexto da escritura  em que está contida a palavra “alma”. De modo geral, em relação ao  homem, a alma é aquele princípio inteligente que anima o corpo e usa os  órgãos e seus sentidos físicos  como agentes na exploração das coisas  materiais, para expressar-se e comunicar-se com o mundo exterior. Nephesh dá  o sentido literal de “respiração da vida” (Sl 107.5,9; Gn 35.18; 1Rs  17.21; Dt 12.23; Lv 17.14; Pv 14.10; Jó 16.13; Ap 2.23; Ecl 11.5; Sl  139.13-16).

O ESPÍRITO:

No hebraico é ruach e no grego, pneuma.  O espírito do homem não é simples sopro ou fôlego, é vida imortal (Ec  12.7; Lc 20.37; 1Co 15.53; Dn 12.2). O espírito é o princípio ativo de  nossa vida espiritual, religiosa e imortal. É o elemento de comunicação  entre Deus e o homem. Certo autor cristão escreveu que “corpo, alma e  espírito não são outra coisa que a base real dos três elementos do  homem: consciência do mundo externo, consciência própria e consciência  de Deus”.

CONCLUSÃO:

Deus nos constituiu um ser triúno, mas um único indivíduo, onde cada um dos elementos que nos constitui possui uma função, mas juntos todos trabalham por um propósito único: Adorar a Deus e preparar-nos para morar com Ele para todo o sempre;



Fonte:
cpadnews

Topo