O SUMO SACERDOTE ELIASIBE: O EXEMPLO QUE NÃO DEVE SER SEGUIDO.

O SUMO SACERDOTE ELIASIBE: O EXEMPLO QUE NÃO DEVE SER SEGUIDO.
“Ora antes disto, Eliasibe, sacerdote, que presidia sobre a câmara da casa do nosso Deus, se tinha aparentado com Tobias; E fizera-lhe uma câmara grande, onde dantes se metiam as ofertas de manjares, o incenso, e os vasos, e os dízimos do grão, do mosto, e do azeite, que se ordenaram para os levitas, e cantores, e porteiros, como também a oferta alçada para os sacerdotes.” Neemias 13: 4 e 5


Quais lições podemos tirar através de um paralelo profético relacionado à vida de Eliasibe e a igreja dos nossos dias?
Inversãodo material pelo espiritual 
Móveis do inimigo – costumes – mentira;
Desprezo dos dons – Profético – Sem temor Sem sabedoria – Sem discernimento. 

INTRODUÇÃO
Desde o início, na formação da igreja, o Senhor derramou o seu Espírito Santo sobre seus servos, para que a igreja fosse governada e dirigida por Ele. Hoje, vamos ver, através do exemplo de Eliasibe, a importância de deixarmos o Espírito Santo agir em nossas vidas, para que não deixemos de lado os valores celestiais. 

DESENVOLVIMENTO
Após reconstruir os muros e portas de Jerusalém, Neemias levou o povo a fazer um concerto com Deus.

Depois disso, foi ter com o rei Artaxerxes e passado doze anos, voltou a Jerusalém.

Ao retornar, Neemias viu o grande mal que Eliasibe tinha feito.

Eliasibe era o sumo sacerdote, a sua função era zelar pelas coisas sagradas, para que o povo cumprisse os mandamentos do Senhor e vivesse uma vida em obediência a Deus.

A função de Eliasibe nos fala do sacerdócio universal do crente que é o direito que o Senhor Jesus nos deu de nos dirigirmos ao Pai em nome de Jesus.

Depois da morte e ressurreição do Senhor Jesus, Ele nos abriu um novo e vivo caminho ao Pai. Agora, todos nós podemos nos chegar a Deus através do Senhor Jesus.

Quando exercemos esse sacerdócio, conforme a palavra do Senhor, em santificação temos comunhão e acesso ao Pai, mas não foi isto que Eliasibe fez...

Na reconstrução dos muros e portas, Eliasibe foi um dos que se dispôs a trabalhar junto com os seus irmãos naquela obra, conforme (Neemias 3: 1), mas com o passar do tempo, seu comportamento mudou, sabemos que ele perdeu o temor e o discernimento... 

Eliasibe se aparentou com Tobias o amonita, que era um dos grandes inimigos de Neemias e do povo.

Tobias tentou impedir a reconstrução dos muros e portas em todo o tempo.

Além disso, Eliasibe tirou da câmara do templo os objetos do culto e no lugar das coisas sagradas colocou os móveis de Tobias.

No tempo em que Neemias se afastou, Eliasibe abandonou a direção, as orientações do Senhor e se aparentou com o inimigo.

Quando perdemos a comunhão com o Espírito Santo, a derrota vem, o inimigo quer tomar conta das nossas vidas, dos nossos lares, dos valores estabelecidos.

Não podemos permitir isto. É necessário valorizar e obedecer o governo do Espírito Santo em nossas vidas.

Eliasibe perdeu a sabedoria, o discernimento e o temor, dando lugar aos seus interesses, à sua razão, não agiu como um sacerdote, ele foi infiel, não vigiou! 

Neemias não aceitou aquela situação e lançou fora da Casa de Deus todos os móveis de Tobias, mandou que purificassem as câmaras do templo e trouxessem de volta os utensílios da casa de Deus, com as ofertas de manjares e o incenso(Neemias 13: 9).

Hoje o Senhor nos faz refletir, se estamos agindo como Eliasibe.

Muitas vezes temos título de crentes, de servos de Deus, temos Bíblias, vamos à igreja, mas nos comportamos como Eliasibe, pois colocamos Tobias e sua mobília no nosso coração...

Que tristeza é quando o homem perde a sabedoria de Deus, o discernimento e o temor,  ele mistura o que é santo com o que é profano e já nem se dá conta disso...

Não podemos deixar de sermos governados pelo Espírito Santo, pois sem a direção, sem os dons, sem a profecia não há salvação, não há vida eterna  “Não havendo profecia, o povo perece; porém o que guarda a lei, esse é bem-aventurado.” Provérbios 29:18

Não podemos tirar do nosso interior os valores espirituais, (como o culto, o louvor revelado, a palavra revelada, os dons espirituais, o jejum, a oração, a madrugada) e deixar que outras coisas tomem o lugar do espiritual.

Na hora das lutas e provas, o que nos firma são as doutrinas, e não movimentos, não palavras de sabedoria humana, mas a direção do Espírito Santo...

Foi Neemias quem purificou o templo, lançando fora tudo que era de Tobias, restaurando os elementos do culto ao Senhor.

Neemias é a figura do Espírito Santo que nos convence do pecado(João 16: 8).

Somente o Espírito Santo tem poder para nos libertar daquilo que não agrada ao Senhor e restaurar nossa comunhão com Deus...

Ore, pedindo que o seu coração esteja cheio do Espírito Santo, de temor e sabedoria... 

CONCLUSÃO
Nesta última hora vamos valorizar o governo do Espírito Santo em nossas vidas e no meio da Igreja. Vamos clamar como Davi fez, que o Senhor restaure em nossos corações a benção do Espírito Santo... 

“Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto. Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo.” Salmos 51: 10 e 11
Topo