SAUL, DAVI E SALOMÃO: OS PRIMEIROS MONARCAS

POR JEFFERSON MIRANDA 



Introdução


O Antigo Testamento é marcado por numerosos reinos, alguns mais alinhados com a vontade de Deus, outros já mais contaminados com o paganismo ao redor de Israel. O livro de 1 Samuel narra o início do período monárquico de Israel, os israelitas clamaram por um rei e tal rei foi ungido pelo Senhor (1 Samuel 12:13). Portanto, Israel saiu de uma teocracia para uma monarquia, este estudo tem como objetivo analisar os três primeiros reis de Israel, Saul, Davi e Salomão, e como eles atenderam as exigências do Senhor durante os seus reinos.


Saul


Quando Samuel envelheceu, ele nomeou os seus filhos para liderarem Israel, porém os seus filhos não andavam no caminho do Senhor, portanto o povo reinvidicou por um rei, assim como já acontecia nas nações ao redor de Israel (1 Samuel 8:5). Saul, filho de Quis, estava procurando por algumas jumentas perdidas com o seu servo e acabou encontrando Samuel por indicação do seu próprio servo, pois ele achava que Samuel, o profeta, poderia ter informações de como encontrar as jumentas perdidas (1 Samuel 9:6). Quando Samuel viu Saul, o Senhor o falou que Saul seria o novo líder de Israel, em seguida Samuel ungiu Saul como o novo rei e o anunciou para o povo. Durante o reinado de Saul, houve vitórias sobre os inimigos, mas também houve muitos erros cometidos da parte de Saul contra o Senhor. De acordo com Angelo Gagliardi, em seu livro Panorama do Antigo Testamento, Saul foi rejeitado por Deus por conta de três grandes pecados:

  • Ofereceu sacrifícios indevidamente - (1 Samuel 13)
  • Fez votos precipitados - (1 Samuel 14)
  • Desobedeceu as ordens de Deus - (1 Samuel 15)

Logo após Saul cometer o seu primeiro grave pecado, Samuel condenou o seu pecado e lhe disse que o seu trono seria ocupado por um "homem segundo o coração de Deus" (1 Samuel 13:14), este homem era Davi. Aos poucos, Saul foi se distanciando do Senhor por conta de sua conduta incompatível com a Santidade de Deus. A sua morte ocorreu durante uma batalha com os filisteus, ele acabou se jogando contra a sua própria espada (1 Samuel 31:4).


Davi


O rei Davi certamente foi uma das figuras mais notórias do Antigo Testamento, o seu nome também é mencionado no Novo Testamento por Jesus Cristo, o Salvador. A história do seu reinado é narrada no livro de 2 Samuel, como toda pessoa, Davi teve os seus sucessos e fracassos, e o seu reinado iniciou após a morte de Saul. E assim como Saul, ele também foi ungido pelo profeta Samuel, aos 30 anos de idade, quando estava pastoreando as suas ovelhas (1 Samuel 16:13). Antes de virar rei, Davi já tinha o respeito do povo por conta de algumas conquistas, uma das mais conhecidas é a vitória sobre o gigante Golias, um dos mais temidos filisteus, aliás, foi por conta dessa batalha que Davi se tornou popular no meio do povo, pois ninguém dos hebreus tinha coragem de enfrentar o gigante Golias. Davi, que estava indo ajudar os seus irmãos na batalha com alimentos, conversou com Saul e se ofereceu para lutar contra Golias, em seguida pegou cinco seixos do ribeiro e foi lutar com o filisteu. Um seixo foi suficiente para matar Golias, depois que ele caiu, Davi cortou a cabeça do filisteu com uma espada, e Davi tomou reconhecimento do povo por meio dessa importante vitória. (1 Samuel 17)

"E Davi disse ao filisteu: "Você vem contra mim com espada, com lança e com dardo, mas eu vou contra você em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem você desafiou." (1 Samuel 17:45)

Após a morte de Saul, Davi se tornou rei, em Hebrom, e depois transferiu a capital para Jerusalém. Os primeiros capítulos de 2 Samuel narram as conquistas do rei Davi, a volta da Arca da Aliança e vitórias militares fazem parte dessas conquistas. A Palavra de Deus revela as vitórias de Davi e também mostra a sua humanidade, pois apesar de Davi ser um homem segundo o coração de Deus, ele teve as suas falhas, e foram muito graves. Davi cometeu os seguinte pecados:

  • Adultério com Bate-Seba (2 Samuel 12:1-15)
  • O censo com o povo (2 Samuel 24)

Davi mandou o soldado Urias para a linha de frente de batalha pra ele morrer e depois casar-se com a sua esposa, Natã advertiu o rei Davi por conta desse terrivel pecado (2 Samuel 12:9). Acerca do censo, ele foi feito sem orientação do Senhor e foi motivado por vaidade. Apesar dos seus erros, Davi, diferentemente de Saúl, tinha o seu coração voltado ao Senhor e constantemente se arrependia dos seus pecados, e assim Deus se agradava de Davi, pois ele era humilde e reconhecia a grandeza de Deus diante dele. Davi morreu em sua velhice, passou o seu reinado para Salomão e deu conselhos para ele (1 Reis 2:1-9). Agora vamos estudar o reinado de Salomão.

"Depois de rejeitar Saul, levantou-lhes Davi como rei, sobre quem testemunhou: ‘Encontrei Davi, filho de Jessé, homem segundo o meu coração; ele fará tudo o que for da minha vontade’." (Atos 13:22)


Salomão


O terceiro e último rei do Israel unificado foi Salomão, filho de Davi, e a Bíblia diz que Salomão também reinou 40 anos, assim como Saul e Davi reinaram. Ele foi ungido por Zadoque antes de chegar ao trono de Israel e assim como os reinados de Saul e Davi, o reinado de Salomão também teve os seus momentos de falhas e glórias (1Rs 1:28-39). Durante o seu reinado, Israel alcançou muitas melhorias e foi elevado a outro patamar. Salomão desenvolveu as forças militares e fez alianças com muitos reinos ao redor, levando assim Israel a ser bastante reconhecido e respeitado entre as nações daquela época (1 Reis 10:29). A diplomacia foi uma grande estratégia utilizada por Salomão, ele foi capaz de criar muitas alianças com diferentes países, ele também estabeleceu taxas para os comerciantes que passavam pelo território israelense, assim gerando mais lucros para o reino, a atividade comercial portanto cresceu bastante em seu reinado. O Templo de Israel também foi construído em seu reinado, pois Deus havia prometido a Davi que o Templo viria em sua descendência (2 Samuel 7:13)

Apesar das grandes vitórias comerciais e diplomáticas do rei Salomão, ele também teve os seus erros por conta de sua grande vaidade, a Palavra de Deus afirma que ele teve 700 esposas e 300 concubinas, muitas dessas mulheres pertenciam a outras nações e não eram devotas ao Deus de Israel, portanto Salomão mergulhou na idolatria por conta de sua extrema vaidade e inúmeros casamentos com estrangeiras (1 Reis 11:3). Salomão acabou inserindo elementos pagãos no Templo e isso irritou ao Senhor, pois isso contaminou Israel com falsos deuses. O reinado de Salomão terminou em declínio por conta da excessiva idolatria e fortes impostos sobre o povo israelita.

Comparação entre os três reis


Após essa análise panorâmica entres os três primeiros reis de Israel, vamos apresentar uma tabela contendo resumidamente os erros e acertos de cada um deles:


AcertosErros
Saul
  • Vitórias militares
  • Oferta indevida de sacrifícios
  • Votos precipitados
  • Desobediência a Deus
Davi
  • Vitórias militares
  • Volta da Arca da Aliança
  • Adultério
  • Realização do censo
Salomão
  • Levou Israel a outro patamar comercial e diplomático
  • Poligamia
  • Idolatria no reino

Conclusão


Este estudo analisou os três primeiros reis de Israel e mostrou os seus pontos fracos e fortes. Davi foi certamente o mais fiel ao Senhor, pois ele frequentemente se arrependia de seus pecados, já Saul era orgulhoso, invejoso e não queria dividir a glória dele com ninguém, e Salomão, apesar da sua grande sabedoria, acabou se casando com muitas mulheres estrangeiras e isso acabou afetando a vida dele e do povo de Israel com a idolatria. Apesar das suas falhas, cada um deles teve a sua importância na construção de Israel, por isso devemos estudar as Sagradas Escrituras e entender o propósito de Deus na vida de cada um deles, assim como o Senhor tem um propósito nas nossas vidas.

"O Senhor reina para sempre! O teu Deus, ó Sião, reina de geração em geração. Aleluia!" (Salmos 146:10)

Bibliografia

Panorama do Antigo Testamento, Angelo Gagliardi Júnior, Geográfica Editora

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Temas

Topo