SARDES - UMA IGREJA INDIFERENTE À VIDA

POR RODRIGO H. C. OLIVEIRA
SARDES - UMA IGREJA INDIFERENTE À VIDA

"E ao anjo da igreja que está em Sardes escreve: Isto diz o que tem os sete espíritos de Deus, e as sete estrelas: Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives, e estás morto". Apocalipse 3:1

ASPECTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO

Sardes chegou a ser uma cidade riquíssima no passado, era atraente por sua localização e produção de lã. Localizava-se no topo de um penhasco, cerca de 300 metros acima do vale, localização esta que a levou a se tornar a capital da Lídia no século VII a.C. 

Por estar fundada no topo de um penhasco, seus moradores se sentiam confiantes e seguros dos ataques inimigos, a cidade murada e fortificada lhes transmitia a sensação de estarem bem protegidos. Em 560 a.C, sob o domínio de um rei rico (Creso), Sardes atingiu o seu ápice em prosperidade. Por se encontrar na convergência de cinco estradas fundamentais, constituiu-se em um grande centro comercial de sucesso. 

IGREJA DE SARDES
Mapa das igreja mencionadas no livro Apocalipse

Ciro, rei dos medo-persas, cercou a cidade de Sardes em 529 a.C, resultando em sua conquista. Foram cerca de 14 dias de cerco e, escalando uma pequena trilha enquanto Sardes dormia, Ciro e seus homens invadiram a cidade através de uma brecha na muralha. Em 218 a.C, Antíoco Epifânio dominou a cidade da mesma forma. 

Seus habitantes prestavam culto à deusa Cibele (Ártemis), na qual criam que ressuscitava os mortos. A reencarnação era a base do culto natural que praticavam. Eles se destacavam pela luxúria, libertinagem e arrogância.

No ano 17 d.C houve um terremoto que destruiu a cidade, rapidamente deu-se início à reconstrução, sob o domínio do imperador Tibério César. Quando João escreveu esta carta, Sardes era tão somente uma sombra de sua glória passada. Rica, mas não como outrora havia sido. Sardes estava vivendo de sua fama passada, de aparências. Nas palavras de Steven J. Lawson: “Sardes era como Ouro Preto, vivia das riquezas passadas” e não do presente.
 
Assim também estava a Igreja: vivendo de aparências. Não aprenderam com o seu passado e deixaram de vigiar, dessa forma o inimigo passou pelas brechas enquanto dormiam. A consequência foi a mesma de outrora: morte e destruição (Ap.3:1). Ao se dirigir à Igreja, Jesus a censura e exorta: “Sê vigilante”

Dessa mesma forma, não há diferença para com os nossos dias. Muitos que se dizem vivos estão mortos e sequer o sabem disso. Vivem do passado e creem que por estarem na Igreja há tantos e tantos anos, estão salvos. Ledo engano! O conselho de Jesus não mudou, é o mesmo para todos nós: 
Lembra-te de como recebeste e ouviste a doutrina. Observa-a e arrepende-te.

(...)Quem tiver ouvidos, ouça o que o Espírito diz às Igrejas. Apocalipse 3:3,6


A CORREÇÃO
APOCALIPSE 3:1

A carta é destinada à comunidade cristã daquela cidade, na pessoa do anjo da Igreja. Lembremo-nos que, nesta passagem, a referência ao anjo é direcionada ao pastor da Igreja, o mensageiro de Deus. 

Nosso Senhor começa a sua mensagem dizendo que conhece as obras desta Igreja (Ap.3:1). Ele é Deus e nada está oculto aos seus olhos. Nós bem sabemos que a luz se faz necessária para a visão, os olhos de Jesus, portanto, nunca terão dificuldade alguma para enxergarem o oculto pois eles são capazes de iluminar tudo e a todos. 

O apóstolo João viu na eternidade os olhos de Jesus, ele os descreve como olhos como chamas de fogo (Ap.19:12). Os olhos humanos -- os nossos -- se enganam pela aparência, mas os olhos de Jesus não se deixam enganar. São aptos para enxergarem não apenas o nosso exterior, mas também o nosso interior. Nosso coração e alma são completamente conhecidos por Ele (I Sm.16:7).  

Enquanto os homens conhecem as nossas obras pela aparência, Deus conhece as nossas obras de forma profunda e verdadeira. De que valeria dar esmolas com a intenção de gloriar-se a si mesmo? De que valeria fazer o bem, se não o fizermos por fé? Ora, tudo o que não é por fé é pecado (Rm.14:23). As nossas obras de nada valem se praticadas sem verdade e amor no coração (I Jo.3:18)

Após o seu maravilhoso sermão da montanha, Jesus nos adverte quanto aos hipócritas. Os hipócritas davam esmolas para serem vistos, oravam em pé para serem vistos, faziam o que faziam para serem vistos, queriam apenas se destacar para alcançarem a aprovação de seus pares humanos. Tratava-se de uma falsa espiritualidade, donde o galardão recebido é o galardão da terra e não do céu (Mt.6:1-6). Precisamos ter o cuidado de atender ao conselho do Senhor, ser vigilantes, entender que é necessário tapar as brechas da muralha para que o mal não a escale e entre por elas a fim de nos trazer morte e destruição.

Não basta se vestir bem. Não basta dizer-se cristão. Não basta ir à Igreja todos os dias e ser dizimista. Não basta fazer visitas, serenatas e orações. Nada disso basta se não for praticado em amor e em verdade, por fé. A Bíblia nos garante que Deus procura os verdadeiros adoradores, que o adorem em espírito e em verdade (Jo.4:23). É assim que devemos agir: em verdade e em espírito.

Deus conhece muito bem as nossas atitudes, Ele sabe acerca das visitas que temos feito às viúvas e idosos, sabe se é feita por mera obrigação ou não. Ele conhece se a oração é dirigida a Ele com sinceridade. Ele conhece nossas orações, sabe se são feitas apenas para impressionar os nossos pares humanos, o pastor da Igreja ou outro alguém senão a Cristo. Não esqueçamos que nosso Deus é “El Roi,” o Deus da vista, o Deus que vê (Gn.16:13). Ele vê você!

O Senhor censura a Igreja dizendo: “tens nome de que vives, e estás morto”. Nome se refere à nossa identidade, é pelo nome que as pessoas nos conhecem, é por ele que nós somos identificados. A Igreja em Sardes se identificava como Igreja viva e vibrante, tinham pregação, tinham liturgia, havia, por certo, nomes notáveis em seu rol de membros. Mas era somente aparência, não havia vida plena (zoe) em seu interior. 

Lembro-me de certa ocasião na qual uma figueira havia feito propaganda enganosa para Jesus. Jesus voltava para a cidade e, estando com fome, avistou uma figueira cheia de folhagens (Mt.21:19). Importante lhe informar, caro leitor, que primeiro a figueira dá frutos e só depois dá folhagens. Estar com folhas significava, portanto, estar com frutos. Porém, ao procurar os figos, Jesus nada encontrou. Qual foi o resultado? Jesus amaldiçoou a figueira e ela se secou (há outro simbolismo aqui do qual não trataremos hoje), não passava de uma propaganda enganosa, mera aparência. 

O lamentável é que há cristãos assim também, por fora vê-se um cristão “cheio de frutos”, bonito à vista, mas quando se olha de perto, por um exame minucioso no qual somente Jesus é capaz de fazer, Ele nada encontra, não há fruto algum. A árvore que não dá bom fruto -- nos diz a Palavra -- é cortada e lançada ao fogo (Mt.7:19). Atentemo-nos pois para a Palavra de Deus, antes que Ele venha colher os frutos e, chegando em nossas vidas, nada encontre -- ou encontre tão somente frutos maus. O resultado não será outro senão a maldição e secura para as nossas almas.

Sê vigilante, (...) porque não achei as tuas obras perfeitas diante de Deus.
Apocalipse 3:2


LEMBRA-TE, GUARDA-O E ARREPENDE-TE
APOCALIPSE 3:3

A admoestação de Nosso Senhor é vida para nós. Seu primeiro conselho é lembra-te. Mas lembrar de quê? Lembra-te, pois, daquilo que ouviste e recebeste da parte do Senhor, da sã e verdadeira doutrina. Você está fraco? A Palavra é sustento (Mt.4:4). Está triste? A Palavra é alegria (Jr.15:16). Está sem esperança? A Palavra é geradora da fé (Rm.10:17). Está morto? A Palavra é poderosa para trazer-lhe a vida (Jo.11:43). Está como ossos secos? Ouvi, pois, a Palavra de Deus! Ela é poderosa para te colocar de pé (Ez.37:4). (...)

É pela Palavra que Deus se revela a nós. Ela é o meio pelo qual Deus opera na minha e na sua vida. Ela é nosso alimento, nossa lâmpada, nossa luz para o caminho (Sl.119:105). Ela é poderosa como o trovão (Sl.29:4,5). A Palavra é viva, é eficaz e proveitosa para nos ensinar e redarguir, bem como para nos instruir (Hb.4:12). (...) A Palavra é poder de Deus! Portanto, lembra-te da Palavra que ouviste e recebeste, volte-se para ela, leia, medite, ouça, estude, aprofunde-se e guarde-a em seu coração. 

O segundo conselho de Deus para as nossas vidas é guarde-a. Guardar para quê? Para permanecerdes firmes e constantes. Guardar para batalhar e vencer (Ap.12:11). Guardar para não ter do que se envergonhar (II Tm.2:15). Guardar para não pecar contra o Senhor (Sl.119:11). Guardar para não cair em erro (Mt.22:29). Guardar para não ser enganado pela mentira (Jo.17:17). Guardar para termos temor (Hc.3:2). Guardar para que tenhamos a vida eterna (Jo.14:6).

  • Feliz é todo aquele que lê, ouve e guarda a Palavra de Deus. Antes bem aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam. Lucas 11:28
  • Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas. Apocalipse 1:3
O último conselho deste versículo (3) é arrepende-te, isto é, tome uma posição, escolha a Cristo e nada mais. É hora de romper com as aparências e com a vida mundana, é preciso confessar o nosso pecado e darmos meia volta. Abandonemos a velha estrada, tomemos por caminho Jesus, o Cristo, o filho do Deus vivo. Essa é uma escolha que cada um de nós devemos fazer: eis aí o mundo; a melhor é opção é deixá-lo para trás. Arrependa-se, “e se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei” (Ap.3:3).

CONCLUSÃO

Por inúmeras vezes nos vemos nesta mesma situação. Talvez você esteja vivendo nestas circunstâncias agora mesmo, enquanto lê este estudo. Saiba que ainda há oportunidade para você, siga os conselhos de Jesus, lembra-te do ensino, volte-se à Palavra, guarde-a em seu coração e arrepende-te dos teus maus caminhos. Entregue-se a Cristo. Se lhe falta fé, peça a Ele para que te ajude com sua incredulidade (Mc.9:24)

Mesmo que pareça muito difícil, saiba que Nosso Senhor é o Deus do impossível. Para nos dar vitória, como canta nosso irmão Ivonaldo Albuquerque, “se for preciso Ele abre porta até onde não tem parede”. Então creia que a porta será aberta para você, tome uma atitude, nenhum problema é tão grande que Deus não possa resolver. Ele abriu o mar pro seu povo passar, que é a sua fraqueza diante da grandeza das águas que Ele abriu? Ele é Deus; portanto, se hoje Ele o aconselhou, tenha certeza de que Ele também o abençoou para atender ao Seu chamado. 
  • Se ouvirdes hoje a sua voz,  Não endureçais os vossos corações. Hebreus 3:7,8;
  • Quem tiver ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Apocalipse 3:6

REFERÊNCIAS:

Bíblia Sagrada - Almeida e Corrigida, Almeida e Corrigida Fiel e Versão Católica
Comentário Bíblico Beacon; CPAD, Vol 10 - Vários Autores 
O Deus de Toda Provisão; CPAD - Elienai Cabral 
As Sete Igrejas do Apocalipse; CPAD - Steven J. Lawson
Apocalipse, O Futuro Chegou; Hagnos - Hernandes Dias Lopes 
As Sete Cartas - Apostila do Instituto Bíblico da Igreja Cristã Maranata, 2016

Topo