Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

ISSACAR É JUMENTO DE FORTES OSSOS - Gênesis 49: 14, 15

ISSACAR É JUMENTO DE FORTES OSSOS - Gênesis 49: 14, 15
Gênesis 49: 14, 15

“Issacar é jumento de fortes ossos, deitado entre dois fardos. Viu ele que o descanso era bom, e que a terra era agradável. Sujeitou os seus ombros à carga e entregou-se ao serviço forçado de um escravo.”

INTRODUÇÃO

Quando o patriarca Jacó estava prestes a partir desta vida, chamou cada um dos seus doze filhos e lhes impôs as mãos, proferindo uma bênção para cada um deles. Podemos perceber que cada um recebeu sobre sua vida uma palavra profética.


Os filhos de Jacó representam, profeticamente, os filhos de Deus que ao longo do tempo, têm caminhado com a igreja. Cada um deles têm características que se identificam com os filhos de Jacó, e a palavra profética proferida para cada um deles está, de alguma forma, sobre a vida de cada um desses servos.

DESENVOLVIMENTO

v Issacar é jumento de fortes ossos, deitado entre dois fardos – Essa era a principal característica de Issacar, cujo nome significa “galardão”. O jumento é um animal sem beleza ou aparência exterior, mas possui uma estrutura interior de muita resistência, capaz de suportar o peso de grandes cargas. Assim é o servo do Senhor que às vezes não apresenta nenhuma aparência de que é forte; exteriormente até parece frágil. Mas a sua estrutura interior, a sua estrutura espiritual, é capaz de suportar as responsabilidades da Obra e o peso das provações desta vida (os dois fardos). São servos e servas que humanamente falando não possuem nenhum recurso exterior, mas que quando oram e clamam ao Senhor, são capazes de realizar coisas admiráveis, que tornam a sua estrutura interior notória. Isto só é possível àquele que aprendeu a confiar e a descansar no Senhor; àquele que aprendeu a estar deitado entre os dois fardos, o fardo do Senhor (que é leve) e o fardo desta vida (que é pesado).

v Viu ele que o descanso era bom, e que a terra era agradável - Para conduzir ambos os fardos, precisamos aprender quão bom é descansar no Senhor. Nenhum servo, por mais forte que pareça ser, pode realizar a Obra ou se conduzir nesta vida apoiado nos seus próprios meios. Se o fizer, logo vai fracassar. Mas se ele confiar no poder do Senhor e descansar na sua força, vencerá todas as batalhas e saltará sobre todas as barreiras que surgirem na sua frente. O servo que aprende a descansar no Senhor, também percebe quão agradável é a terraQue terra? A Terra Prometida, a Jerusalém Celestial, a Eternidade, onde está o nosso verdadeiro descanso e paz.

CONCLUSÃO


v Sujeitou os seus ombros à carga e entregou-se ao serviço forçado de um escravo – Todas as experiências que temos na Obra do Senhor, nos levam a abrir mão de nós mesmos, isto é, nós aprendemos a lição de Jó, que disse: “Com os ouvidos eu ouvira falar de ti; mas agora te vêem os meus olhos. Pelo que me abomino, e me arrependo no pó e na cinza.” A experiência de Jó o levou a perceber a sua fragilidade humana e a entender quão Grandioso é o Senhor. Ao alcançar esse entendimento, ele se tornou forte, e adquiriu uma estrutura espiritual interior capaz de resistir aos embates da vida. O servo que se conscientiza da sua fraqueza, e aprende a descansar no Senhor, também passa a enxergar a eternidade. A partir daí, ele passa a entender também, que esta vida só vale a pena ser vivida se for no serviço do Senhor. Então ele sujeita os seus ombros à carga, e passa a realizar a Obra do Senhor como um escravo que não tem vontade própria, totalmente subordinado ao seu Senhor, que o comprou por alto preço. Ele pagou o elevado preço do nosso resgate e nos livrou da cruel escravidão do mundo e do pecado, por isso nós o servimos por amor, porque somos seus eternos devedores.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ESPECIAL REFORMA PROTESTANTE