Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

Série de Estudos Sobre a 5ª Medida

quarta-feira, 1 de março de 2017

A QUINTA MEDIDA - MEDIDA PROFÉTICA

A QUINTA MEDIDA - MEDIDA PROFETICA
Não há espaço para “ideias informes”, ainda que somos envolvidos nesta vida e às vezes nos atemos a contribuições culturais, de certo valor, deixadas pela existência de grafados, ideias e trabalhos que notabilizam seus autores, alguns sem compromisso com os resultados positivos ou negativos de suas produções.
Na verdade, as teorias não sustentam nem modificam o que por Deus foi criado, servindo apenas para motivos especulativos, acadêmicos, com resultados apenas culturais, válidos para a vida humana.

Com todo respeito à realidade histórica, na vida de Charles Darwin constam“ideias informes”,expressão que pronunciou nos seus últimos dias quando, naquele momento, apoiado em travesseiros, olhava firmemente para uma cena distante de um bosque e campos de milho que reluziam à luz de um belo pôr-do-sol.
A narrativa[1] da Lady Hope de NorthField (Inglaterra), em sua visita costumeira ao autor do evolucionismo, perguntou o que ele estava lendo na Bíblia, aberta em suas mãos. Respondeu ele: “Hebreus” (o Livro real – por ele assim chamado). Perguntou ela sobre a criação e o julgamento que ele faria do primeiro capítulo de Gênesis, quando,parecendo nervoso e angustiado, disse: “Eu era um jovem de “ideias informes”, que indagava sobre tudo,que, para meu espanto, de tais ideias as pessoas fizeram uma religião!
Em seguida, na conversa com Hope, pediu queela falasse sobre Cristo Jesus e sua salvação – Não é o melhor tema? “Eu era um jovem de ideias informes” (base teológica e da ciência moderna, que pode arrastar multidões para as galeiaseternas).
As “ideias informes” não contavam até aqui, nem contam com a verdade do princípio da criação, só identificada agora pela física moderna. Em Gênesis, capítulo 1, verso 1, lemos:
“No princípio criou Deus o céu e a terra.”
Princípio – No original hebraico é expresso pela palavra Reshit, traduzida por espaço e tempo. Darwin buscou em suas “ideias informes” o caminho mais difícil,da criação para o criador, e apesar de estarlendo o livro de Hebreus, não descobriu o mistério da criação, descrito no verso 3 do capítulo 11 de Hebreus, que diz:
“Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente.”(o grifo é nosso)
Da mesma forma, os grandes da física clássica só conheciam três medidas com a adição de mais uma medida acrescentada pela física moderna citada por Albert Einstein, que incluiu, surpreendentemente, o tempo às outras três medidas: comprimento, altura, largura.
Darwin também não sabia que a base da sua teoria proposta por volta de 1859, apesar de conhecer os relatos bíblicos de Gênesis sobre a criação, continha a palavra “princípio” que, só agora, a física moderna inclui o que estava revelado emReshit, que traduzida se refere a espaço e tempo.
Espaçoengloba as três medidas da física clássica. Tempoé o acréscimo da física moderna.
Em 1934,Einstein escreve o livro “Como vejo o mundo” que, segundo entende, fundado pela razão, teoria ditada por René Descartes, que aceita um deus geômetra.
O tempo incluído na física de Einstein caminha no quadrado da velocidade da luz (c²), velocidade que, em suas fórmulas, transporta a matéria até transformá-la em energia: E=MC².
Tudo certo, estamos perto do infinito no mundo das ideias.Isto é notável.
No mundo das ideias “E”(energia), seria eternidade, “M”(massa) seria o homem, “C²”(luz ou revelação) a velocidade da luz. Na razão tudo certo, ao passo que na revelação algo maior terá que ser entendido.
Na razão existe o obstáculo da morte, o tempo é eterno, porém é certo que não sustenta a vida. A vida é um veículo que caminha no tempo, que vai ao encontro do seu dono.
Maior que a vida terrena é o tempo que,juntamente com o espaço,será transformado em vida, onde estará presente a luz verdadeira que revelará todos os segredos da eternidade.
“Mas, se andarmos na luz (revelação), como ele na luz está...” I Jo 1:7
A QUINTA MEDIDA:
Este será o primeiro passo para entendermos mais uma medida, que poderia se chamar de quinta essência física da vida, ou seja, a revelação.
Portanto, para o crente,além das quatro medidas da física moderna, existe uma quinta medida, que é a revelação, responsável pela transcendência da palavra, ou seja, a Palavra Revelada.
Nada de dúvidas, nada de “ideias informes”, nada de velocidade, nada de medidas matemáticas ou físicas, notáveis sem dúvida, apenas para esta vida, onde tudo é finito, restando o infinito, ou seja, a última morada do homem, a vida eterna alcançada por todos os que buscam a quinta medida como dádiva de Deus por meio de Jesus, o logos divino, através do Seu glorioso Espírito (Espírito Santo).
No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.”Jo 1-3
Nessa medida, tudo será luz e vida, que anulam as medidas da criação (velocidade, espaço, tempoetc).
O Instituto Bíblico Maranata,já com seus 15.000 (quinze mil) alunos,continuará voltado para buscar, entender, viver e proclamar a quinta medida, cujo caminho está aberto a todos para essa e para a outra vida, vida eterna junto ao Pai.
“Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.”Jo 14:6
CONCLUINDO:
A RAZÃO É DO HOMEM– Comsuas quatro medidas.
A REVELAÇÃO É DE DEUS– A quinta medida que expõe o mistério que vence a morte e ressuscita o homem para a vida eterna.
O homem saiu da luz quando pecou, porém,Deus abriu um caminho de Luz, que é Jesus, através do Espírito Santo. A espada flamejante do Gênesis permitiu que, no caminho da árvore da vida, só entrem aqueles que passam pela Palavra Revelada.
“E havendo lançado fora o homem, pôs querubins ao oriente do jardim do Éden, e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o caminho da árvore da vida.”Gn 3:24
Assim, entendemos que existe, à disposição de todos, um projeto para ser compreendido, vivido e proclamado, cuja base está assentada na Obra Redentora. Ao contrário, não está firmada em “ideias informes”, apenas temporais, emergentes da Obra Criadora e voltadas só para esta vida.
“Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens.”I Co 15:19





[1][1] Extraído do Artigo “Darwin diante da Morte”, enviado pelo Pastor, Dr. Augusto Khols Filho.
                                                                                                                                                

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...