Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

Série de Estudos Sobre a 5ª Medida

quinta-feira, 9 de março de 2017

A LUTA PELA PRESERVAÇÃO DA PROFECIA - I Reis 18:3-8

 A LUTA PELA PRESERVAÇÃO DA PROFECIA - I Reis 18:3-8
I Reis 18:3-8

INTRODUÇÃO

Informações sobre as personagens da história/texto:


A.Acabe: 

Rei de Israel; significado do nome: irmão do Pai; reinou vinte e dois anos; “...fez...o que era mal aos olhos do Senhor, mais do que todos os que foram antes dele...”. I R.16:30. 


Além de casar com uma mulher sidônia, Jezabel, estabeleceu em Israel o culto idólatra a Baal (significa Senhor, Lorde, Marido ou Dono (Dom)) – I R.16:31-33; nos dias de seu reinado Jericó foi reedificada – I R. 




B.Obadias: Mordomo de Acabe (significa "servo de Javé" ou "cultuador de Javé” (Deus)); destaque por temer muito ao Senhor;


c.Jezabel: Mulher sidônia, esposa de Acabe (significa: montão de lixo, lugar ermo, ilha); responsável pela morte de Nabote I R. 21:1-15; responsável pela destruição/morte dos profetas em Israel e pela implantação do culto aos ídolos;


D.Elias: Profeta do Senhor (significa: Jeová é o meu Deus).



O povo de Israel vivia um momento difícil. O rei Acabe, juntamente com Jezabel, sua esposa, haviam implantado em Israel o culto idólatra. Jezabel matava os profetas numa tentativa de eliminar a voz do Senhor do meio do seu povo. O cenário espiritual era degradante e havia “...fome extrema em Samaria...” – I R. 18:2. 


O povo estava enfraquecido espiritualmente. Esse cenário não tem apenas um contexto histórico, mas, contém aspectos proféticos e práticos. Embora os fatos históricos estejam distantes no tempo, hoje, profeticamente, temos vivido tempos semelhantes. Está em curso o projeto do inimigo de nossas almas que é de eliminar/destruir a voz da profecia (matar os profetas) para consolidar o culto idólatra, desviando o homem da verdade absoluta – heresia – que se consolidada no ato da apostasia. Adicionalmente, “...não havendo profecia o povo se corrompe...” – Prov. 29:18. Então, a crescente corrupção do gênero humano é o resultante da ausência da profecia na vida do homem. Em que pese à gravidade do momento em que o povo de Israel vivia e da sentença de morte estabelecida no reino de Acabe/Jezabel, havia servos fieis ao Senhor que se mantinham firmes nas promessas do Senhor. Assim como fez Obadias, também hoje, AQUELES QUE SERVEM AO SENHOR, discernem o momento profético e trabalham/lutam para que a voz da profecia não se cale nas suas vidas. 




DESENVOLVIMENTO

“...Obadias temia muito ao Senhor..”

O mordomo Obadias, “aquele que serve a Deus”, pelo temor que tem ao Senhor luta para preservação do projeto de Deus em sua vida. Esse temor é uma ação do Espírito Santo para levar o homem ao conhecimento e compreensão da vontade o Senhor em sua vida, ao tempo em que o provê de discernimento quanto à intenção do projeto daquele que quer anular a voz da profecia. Aqueles que trabalham no interesse de destruir os profetas não tem outro propósito senão o de estabelecer a heresia, levando o homem a apostatar da fé. Trata-se de um sinal profético para o momento em que vivemos. 


“Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios.” 

I Tim. 4:1 – 


Obadias, AQUELE QUE SERVE A DEUS, se manteve fiel; não se desviou; não se amedrontou; não voltou atrás e o Espírito Santo fez questão de deixar registrado na Palavra uma característica especial daquele homem, qual seja “...TEMIA MUITO AO SENHOR...” – I R. 18:3. A Bíblia, a Palavra de Deus, em outro lugar, registra: “...O temor do Senhor é o princípio da ciência...” – Prov.: 1:7. 


Pelo muito que temia ao Senhor, Obadias discerniu o intento do projeto maligno da Jezabel/Acabe e lutou, com risco de sua própria vida, para preservar VIVOS OS PROFETAS DO SENHOR, ou seja, para MANTER VIVA A VOZ DA PROFECIA. 


“...porque sucedeu que, destruindo Jezabel os profetas do Senhor...”

O projeto do inimigo: o projeto do adversário está claro e patente, qual seja: destruir a voz da profecia; calar a voz daquele que fala da parte de Deus e estabelecer o caos. A corrupção é resultante da ausência da profecia; da voz do Senhor na vida do homem. Assim, o intento do mau não é outro: “...senão a roubar, a matar e a  destruir...” – João 10:10;



“...Obadias tomou cem profetas, e de cinquenta em cinquenta os escondeu, numa cova..”

A prática da fé: a prática da fé é o exercício diário da salvação. O temor ao Senhor é gerado pela fé no coração DAQUELE QUE SERVE A DEUS; é o resultado de uma ação do Espírito Santo na vida do homem. A fé que vem da eternidade passa na vida do homem para movê-lo a executar a vontade do Senhor. Assim, o homem alcança o conhecimento para entender a vontade do Senhor; para discernir o intento do adversário de sua alma. 


O ato de “...tomar...” – “apossar-se de algo” – é o exercício dessa fé. Obadias foi movido pela fé a tomar aquela atitude. Ainda hoje, o Espírito Santo move o homem a tomar/decidir esconder o profético em seu coração, ainda que com risco de sua vida - _“...Escondi a tua palavra o meu coração, para eu não pecar contra ti...” – Salmos 119:11. O ato de esconder os profetas revela o juízo de valor que o homem, movido pelo Espírito Santo, faz a respeito das coisas espirituais. A palavra do Senhor, viva no coração DAQUELE QUE SERVE A DEUS tem maior valia;


“...e os sustentou com pão e água...”

O processo da salvação é o exercício diário da fé: não é suficiente para homem apenas tomar a decisão de esconder/aceitar o projeto profético de Deus em sua vida. Muitos até tomaram/tomam essa decisão, mas, o mais difícil e MANTER VIVA A FÉ; A VOZ DA PROFECIA.  Sustentar, segundo o dicionário significa: “dar ou receber o necessário à vida” . Pode-se imaginar a luta de Obadias para manter vivos aqueles cem homens num momento em que havia uma sentença de morte; onde a fome e a seca eram extremas. Essa também é a grande luta do homem nesse momento: manter viva em seu interior a VOZ DA PROFECIA, a PALAVRA DE DEUS. Hoje, como naqueles dias, o mundo está debaixo de uma sentença de morte. A luta pela sobrevivência espiritual é diária; é um exercício de fé; como Obadias, também hoje, AQUELES QUE SERVEM A DEUS lutam num momento de extrema dificuldade para manterem vivos em seus corações (cova) a voz da profecia. Glória a Deus!


“...pão e água...”

Os dois elementos utilizados por Obadias para manter os profetas vivos. O que mantém a voz da profecia viva no coração do homem não é argumento, religião, filosofia, teologias, mas, os elementos que vem da eternidade, quais sejam: 


-O Pão: Filho – figura do Senhor Jesus;

-A Água: símbolo do Espírito Santo.

Obs.: A ação do Filho e do Espírito Santo no interior do homem faz com que a voz do PAI – Profeta: aquele que fala da parte de Deus – se mantenha viva, latente em seu coração.



“...E disse Acabe a Obadias: Vai pela terra a todas as fontes de água e a todos os rios...”

A proposta de Acabe: direcionar o homem para as coisas terrenas; a qualquer fonte; a todos os lugares. O projeto do inimigo da alma do homem é desviá-lo da verdade absoluta com suas heresias; é levá-lo a buscar alternativas, quais sejam:


“...vai pela terra....”: 

Leva o homem a buscar a solução de suas necessidades para essa vida; o uso de recursos terrenos; não andar por fé; o homem cada vez mais terreno;


“...a todas as fontes....”:

“fontes” – encontrar um substituto para a “fonte” – JESUS – qualquer fonte: pedra, areia, óleo, flor, água, qualquer elemento do universo criador;

o “...a todas os rios...”: a qualquer lugar que possa suprir os anseios da alma; que dê solução às necessidades do homem. 


Obs.: Aquele que mata o projeto profético em sua vida quer direcionar, tirar do caminho o que serve ao Senhor (Obadias); ele lhe oferece alternativas; vagar pela terra em busca de fontes e rios para quem sabe encontrar uma obra melhor, igreja melhor, pastor melhor. Mas aquele que bebeu da fonte verdadeira - JESUS; que tem uma experiência com Jesus revelado; que encontrou a fonte das águas vivas e, agora, do seu interior jorram rios de águas vivas – João 4:13-14. Esse, que serve a JAVÉ, não abandona sua fé, não mata a profecia em sua vida, mas luta para preservá-la. 


“...pode ser que achemos erva, para que em vida conservemos os cavalos e mulas e não estejamos privados dos animais...”


-O argumento: aquele que anula a profecia em sua vida não pode, não dá, não tem como garantir que as alternativas que propõe vão dar certo - “...pode ser que....” – Tudo está no campo das conjecturas, das fábulas, da imaginação, das ideologias; dos interesses para essa vida, pois, falta a voz do Senhor; a direção do Espírito Santo; do profético;


-A intenção: o que anula a profecia; que destrói/mata os profetas; que estabelece a heresia em substituição à verdade absoluta - não está preocupado com a alma do homem e sua salvação. A preocupação de Acabe estava direcionada para a conservação dos “...cavalos e mulas...” a fim de não ser “...privados dos animais...”, ou seja, preocupado com seus próprios interesses; com o comodismo, com a vida terrena. O evangelho de resultados anula o projeto profético para substituí-lo por heresias, levando o homem à visão material, aos interesses terrenos e não aos eternos. A vida eterna só pode ser alcançada por fé na Palavra de Deus; 


“... Acabe foi por um caminho, e Obadias por outro...”

Os dois caminhos: há dois caminhos: o da vida eterna e o da morte eterna. Aquele que serve a Deus anda pelo caminho da vida; não comunga do caminho daqueles que anularam a profecia em suas vidas; ainda que em momentos difíceis AQUELE QUE SERVE A DEUS anda por caminho oposto aos de mentalidade semelhante à de Acabe/Jezabel. O caminho proposto pelo projeto profético, estabelecido pelo Pai, não é igual ao de Acabe/Jezabel;


“...Estando, pois, Obadias já em caminho, eis que Elias o encontrou;...”

O encontro: o encontro com Elias, símbolo do Senhor Jesus, se dá no caminho – “...,já em caminho...” – processo: exercício da fé diária. A salvação é um processo; não vem de baixo para cima; não é o homem que escolhe a Deus, mas, trata-se de um atributo exclusivo Dele; ato de sua soberania. Ele encontra o homem. Obadias foi encontrado por Elias. Aquele que serve a Deus, o fiel, tem essa experiência; a experiência de ser encontrado; de o Senhor vir ao seu encontro nos momentos mais difíceis; de embates de lutas. Glória a Deus! o Senhor nos encontrou;



*“...conhecendo-o ele, prostrou-se sobre o seu rosto e disse: És tu meu senhor Elias?..”

A reação do homem no momento do encontro:


“...conhecendo-o ele...”: 

reconhece que só há um salvador, um mediador entre Deus e os homens. Obadias conhecia Elias, sabia quem ele era. O Espírito Santo leva aquele que serve a Deus a reconhecer o Senhor Jesus como o Senhor de sua vida;



“...prostrou-se sobre o seu rosto...”:

Sinal de reverência; de humilhação. Diante do profeta de Deus – símbolo do Senhor Jesus – aqueles que servem a Deus reverenciam seu Senhor, reconhecem sua soberania, sua origem: o Filho do Deus vivo. Mat. 16:16 “...Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.”



o “...És tu meu senhor Elias?...”:

Aqueles que servem ao Senhor buscam ouvir a voz do seu Deus. Sua alma anseia por um Deus vivo – Salmos 42:4 – “A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e verei a face de Deus?” 

-“...Eu sou...”.
-A identidade do profeta: é revelada pela sua própria voz. A voz de um Deus vivo que se identifica ao homem; conhecer Jesus revelado é uma experiência para aqueles que estão no caminho, no exercício da fé. Moises conheceu o “Eu sou”. Gen. 3:13-14. 



CONCLUSÃO
Glória a Jesus Irmãos! Vivemos em “...tempos trabalhosos...” – II Tim. 3:1, mas o Senhor é a nossa segurança e tem preservado em nossos corações a benção do Espírito Santo. Uma sentença está decretada para esse mundo e o adversário de nossas vidas trabalha e intensifica suas ações no intuito de consolidar seu projeto de oposição ao projeto profético, por meio da heresia. Essa heresia leva o homem a apostatar da fé. Outro sinal profético para o momento - I Tim. 4:1 – “Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios.”. A segurança daquele que é SERVO DE JAVÉ –DEUS – está na virtude de conservar vivo em seu coração a voz do profeta; a voz do Espírito Santo. Então, alimente-o diariamente. Conserve vivo dentro do seu coração aquilo que um dia você recebeu do Senhor – a Salvação. Lute por isso. Vença as dificuldades. Obadias venceu. Alimentar cem profetas todos os dias com o pão e a água não é tarefa fácil, mas, AQUELE QUE SERVE A DEUS – luta pela sobrevivência do profético em sua vida. Ele tem consciência sobre os valores celestiais. E, no exercício diário de sua fé, vive na prática dos ensinos da Obra do Espírito Santo; do Projeto Redentor; a cada dia conserva dentro de si a voz da profecia; o Espírito Santo. Não ande pelo mesmo caminho dos que tem a mentalidade de Acabe/Jezabel; que anularam a profecia em suas vidas para viverem no caminho herético/apóstata, mas, exerça sua fé no caminho que lhe foi proposto por profecia, reconhecendo que só há uma fonte de Salvação – JESUS. Esse Jesus que vem ao seu encontro. E o nosso maior desejo é prostrar-se aos seus pés e adorá-lo. É ouvir a voz do “...Eu sou...”; o Deus que era, que é e que há de vir – MARANATA. Vem Jesus!”. Amém.




Pr. Silvio Marques
Brasília - DF

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...