Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

ETERNIDADE

ETERNIDADE
Ef. 4:7-9 – Mas a graça foi dada a cada um de nós segundo a medida do dom de Cristo.
Pelo que diz: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro, e deu dons aos homens.
Ora, isto – ele subiu – que é, senão que também antes tinha descido às partes mais baixas da terra?
O Senhor revelou que o assunto de hoje é ETERNIDADE.
Eu quero dizer a todos que nós estamos em Eternidade, porque há muitos que pensam em Eternidade apenas como o céu que vamos desfrutar depois de terminarmos a nossa jornada terrena.

Alguns podem ir primeiro, mas vai chegar o dia em que todos nós iremos juntos, que será no arrebatamento da Igreja.
O que é Eternidade?
A Eternidade começou com Deus.
Nós estamos numa fase da programação de Deus, que é a Eternidade, em que Ele criou o homem.
O processo de salvação
1º) O homem pecou.
2º) O Senhor Jesus veio e pagou a nossa dívida, a dívida de pecadores.
3º) E agora Deus pode conceder o perdão livremente para aqueles que crêem no Senhor Jesus como seu único e suficiente Salvador.
4º) E estes que crêem, os bem-aventurados, entram na comunhão com Deus, na Eternidade onde Deus habita.
Quem rejeita o Senhor Jesus também está na eternidade sem Deus, aguardando o juízo final e as suas conseqüências.
O Texto
Hoje nós vamos falar daquilo que o Senhor revelou a respeito da nossa ida para o céu, onde haveremos de estar por toda a Eternidade com Deus.
Como foi?
1º) Jesus morreu.
Ef. 4:9b – Também antes tinha descido às partes mais baixas da terra?
Jesus esteve no lugar onde estavam os espíritos dos salvos do Velho Testamento para libertá-los para a glória eterna.
2º) Jesus ressuscitou
Ef. 4:8 a – Subindo ao alto... Sl. 68:18 – Tu subiste ao alto, levaste cativo o cativeiro; recebeste dons para os homens, e até para os rebeldes, para que o Senhor Deus habitasse entre eles.
Quando subiu, Jesus voltou para aquele lugar de bênção, a que Ele mesmo chamou de “casa de meu Pai”.
Jo. 14:2,3 – Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito; vou preparar-vos lugar.
E, se eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.
Tem lugar para todos aqueles que querem a salvação.

Vai sobrar lugar? E aqueles pelos quais Jesus morreu, pagou um grande preço por eles, mas não querem a bênção da salvação? E quanto aos que não aproveitam a graça do Senhor Jesus? Ele veio e sofreu em vão por estes?
Muitos não entendem e é isto que Deus quer que seja ensinado nesta aula. 
3º) Jesus levou a todos aqueles com Ele para a Eternidade
Ef. 8:b – ... levou cativo o cativeiro.
Jesus morreu, desceu aos lugares mais profundos da terra e quando chegou lá, Ele não abriu um alçapão, e disse: Vocês que estão aqui, Abel, Abraão, Davi, João Batista, podem sair porque Eu já derramei o meu sangue e a vossa salvação está garantida.
Jesus levou aquele lugar para o céu e só então Ele abriu. Ninguém ficou lá embaixo porque a salvação que Jesus dá é totalmente garantida.
Abel e todos os salvos citados ou não no Velho Testamento, que morreram até o sacrifício de Jesus, foram liberados para povoar a Eternidade e entrar na bênção porque agora estão lavados pelo sangue de Jesus.
Que cativeiro é este?

No Velho Testamento 

A Bíblia se refere ao lugar para onde as almas dos seres humanos vão, quando seus corpos morrem.
A alma é imortal, somente o corpo morre.
Sheol é uma palavra hebraica que define o lugar para onde vão os espíritos daqueles que morrem.
Ap. 20:13 – E deu o mar os mortos que nele havia...
Há todo o tipo de morte, o corpo pode ter vários destinos, mas o espírito do homem vai para a Eternidade – com Deus ou sem Deus.
No Novo Testamento
Lc. 16:23 – E no Hades, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe Abraão, e Lázaro no seu seio.
At. 2:27 – Pois não deixará a minha alma no Hades, nem permitirás que o teu Santo veja a corrupção.
At. 2:31 – Nesta previsão, disse da ressurreição de Cristo: que a sua alma não foi deixada no Hades, nem a sua carne viu a corrupção.
No Novo Testamento está em grego, por isso é Hades e não Sheol (o mesmo significado em hebraico).
Infelizmente, alguns tradutores não entenderam a diferença e traduziram a palavra Hadescomo inferno.

O que é Inferno?
É o “lago de fogo” que arde com enxofre, é a Geena de fogo.
Não tem ninguém ainda nesse lugar.
Apocalipse fala dos dois primeiros que irão (A besta e o falso profeta -19:20) e, por último irá aquele para quem o inferno foi feito (O adversário e seus anjos caídos – 20:10).

O Sheol tem dois compartimentos  

Este detalhe é muito interessante porque quando Jesus contou a parábola do rico e de Lázaro (Mt. 16:19-31), Ele define muito claramente o segredo desta divisão.

Jesus contou aquilo que já tinha acontecido antes dele morrer.
O mendigo Lázaro não é o irmão de Marta e de Maria, não é um personagem, é uma figura fictícia para ilustrar a parábola.
Diz a parábola que o mendigo Lázaro e um homem rico (que não tem nome porque não era temente a Deus e o seu nome não estava no livro da vida) viveram na mesma época.
Lázaro morreu e os anjos do Senhor o levaram para o “seio de Abraão”, para o “colo de Abraão”.
Para o judeu, nada é mais doce do que ir para o colo de Abraão, que foi o pai de todos os israelitas.
O rico também morreu e nenhum anjo do Senhor veio buscá-lo, ele foi para um lugar de tormento.
O lugar de tormento onde o rico estava era próximo do lugar agradável onde Lázaro estava, tanto é que ele viu aquele mendigo que conhecera, um homem cheio de chagas, que ia buscar as migalhas da sua mesa e que tinha as suas feridas lambidas pelos cães.
A parábola conta que o rico disse ao Senhor: Pai Abraão, tem misericórdia de mim, e manda a Lázaro, que molhe na água a ponta do seu dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama.
Os seus lábios estavam ardendo porque ele tinha insultado o servo Lázaro, os mais humildes e tinha falado muita blasfêmia contra Deus, confiando na sua riqueza, na sua posição social.
Mas o Pai disse: Você está aí e Lázaro está aqui comigo. Existe um grande abismo entre nós e você. E ninguém pode passar de um lado para o outro. Quem estiver no lugar de tormento ficará ali e quem estiver no lugar de gozo e paz, ficará ali.

Esta é a descrição do Sheol, do Hades, mostrando os dois compartimentos: o de paz e alegria e o de tormento (estes estão esperando o juízo final).

Relato: No meu tempo de escola, o regime de disciplina era diferente, o aluno indisciplinado apanhava de vara, ele era mandado para o gabinete do diretor e ficava na porta até depois da aula, pensando numa almofada, em algo que amenizasse a dor da surra. Ele começava a sofrer antecipadamente. Os outros alunos saíam para o recreio e viam aquele pobre que estava ali esperando pelo castigo que o diretor ia lhe aplicar. Era uma mesma escola, os bons alunos nada sofriam, mas os maus alunos eram castigados.

Esta era a situação dos que estavam no Sheol ou Hades, no lugar de gozo e paz para os salvos, e de tormento para os perdidos (porque já sabem que não há mais esperança de salvação para eles, já sabem que não podem passar de lá para o lugar agradável e o castigo destes é o Geena de fogo, é o Inferno, mas só depois do juízo final) .

Caim e Abel 

Abel - O primeiro salvo do Velho Testamento

Foi o primeiro ser humano que morreu. Nós sabemos que Abel morreu salvo. O seu corpo morto foi sepultado, mas o seu espírito foi para o Sheol agradável (Abraão nasceria dois mil anos depois, mas Abel foi para o colo de Abraão, que é a figura do Pai) e ficou ali, aguardando.

Caim – Caim morreu em rebeldia contra Deus e foi para o Sheol de tormento e está lá até hoje, esperando o juízo final.
O que significa a expressão: Morreu e foi recolhido aos seus pais?
Quando nós lemos no Velho Testamento que alguém entre os salvos parte, nós vemos uma expressão interessante.
Gn. 49:33 – Acabando pois Jacó de dar mandamentos a seus filhos, encolheu os seus pés na cama, e expirou, e foi congregado ao seu povo.

Nós não vamos duvidar da salvação de Jacó. O corpo morreu e foi sepultado, ele foi recolhido aos seus povos. Ele não ficou sozinho.
Quando lemos no Velho Testamento a expressão: Morreu e foi recolhido aos seus pais, é porque desde Abel, os salvos estavam sendo recolhidos neste lugar agradável, no “colo de Abraão” – nome dado por Jesus, que era um lugar de gozo e de paz, com Deus.

Porque os que morreram antes do sacrifício de Jesus não subiram logo para o céu?

Por que Abel? Por que Abraão? Por que todos aqueles salvos do Velho Testamento não subiram logo para o céu?

Porque a salvação era uma coisa tão garantida que ninguém podia duvidar e não havia razão para duvidar porque era profética.
Eu vejo aqui na terra uma coisa que ilustra bem isto que estamos falando. Se alguém pegar um cheque meu, pode duvidar se tem fundo ou não, mas quando o Banco do Brasil abre uma carteira de crédito para o fazendeiro comprar trator e sementes, o gerente diz para ele: O senhor já preencheu os formulários e agora pegue o seu cheque e aguarde para receber o dinheiro quando a carteira for aberta de fato.
É dinheiro garantido. É só aguardar e você vai receber o seu dinheiro. E vou além disso, você pode comprar o seu trator agora porque eles vão receber aquele cheque como dinheiro vivo e esperar, porque é garantido.
Se isso acontece aqui na terra entre homens, imaginem quando se trata de garantir a vida eterna.
Deus nos dá um cheque que nos dá direito à vida eterna e nós vamos depositá-lo no Banco do Céu.
Você recebe? É claro que sim, não há dúvidas quanto a isto.
Abel recebeu o cheque, mas a carteira ainda não estava aberta – o sangue de Jesus, que era o meio da salvação, ainda não tinha sido derramado.

O sangue de Jesus - a garantia de salvação 

O sangue de Jesus é a garantia de salvação porque foi um pacto entre Deus Pai e Deus Filho.
Em que consistia este pacto?
O Filho pagaria pelos pecados de Abel e de todos os demais.
Abel mostrou a sua fé nisto quando ofereceu o cordeiro naquele altar ao Senhor. A sua salvação estava assegurada por toda a Eternidade.
Caim, quando ofereceu do fruto da terra, mostrou a sua rebeldia, ele não acompanhou a revelação.
Abel não podia entrar na Eternidade porque, efetivamente, Jesus ainda não tinha vindo à terra para morrer por nós, Ele ainda não tinha sido crucificado, o seu sangue ainda não havia sido derramado, mas era uma certeza para toda a Eternidade - o grande sacrifício de Jesus para a salvação dos pecadores, a começar em Abel. 
Abel esperou 4.000 anos no Sheol agradável. Abraão esperou 2.000 anos. Moisés esperou 1.500 anos. Davi esperou 1.000 anos. Isaías esperou 800 anos. Malaquias esperou 400 anos. Simeão esperou 33 anos. João Batista esperou 3 anos.

Aqueles a quem Jesus ressuscitou - Jo. 11:1-45 - Lázaro, o irmão de Marta e de Maria, já no final do ministério do Senhor Jesus, morreu. O seu corpo foi sepultado naquela caverna, mas o seu espírito foi para o colo de Abraão.
Quatro dias depois, o Senhor Jesus diz: Lázaro, vem para fora.
Naquele momento o espírito de Lázaro que estava no colo de Abraão saiu de lá e voltou para o corpo que até aquele momento estava morto. E Lázaro saiu envolto em panos, conforme o costume da época. Depois de liberto, voltou ao convívio familiar.
Se depois, Lázaro morreu após a morte de Jesus, ele foi direto para a Eternidade, não foi mais para o “colo de Abraão”.
A crucificação de Jesus
O Senhor Jesus foi crucificado. Ele derramou o seu sangue.
Ao meio-dia o sol escureceu para não ver o seu Criador morrer. Às três horas da tarde, Jesus disse:Está consumado.
O corpo morreu e foi colocado na sepultura feita por José de Arimatéia.
Enquanto esteve morto, naquele período de três dias, Ele desceu para os lugares mais profundos da terra e falou aos que estavam lá, onde foram recebidos Abel e todos os outros justos.
Jesus ressuscitou, Ele voltou para esta vida presente, esteve com os discípulos, e foi assunto aos céus, e hoje está à destra do pai, intercedendo por nós.
A palavra cativeiro, lembra sempre um lugar ruim, uma prisão, falta de liberdade. Para os salvos do Velho Testamento, aquele cativeiro era um lugar sumamente agradável, era o colo de Abraão, onde os que criam na eficácia, na garantia do sangue de Jesus, estavam presos nos laços de amor, guardados pelo Senhor.
Todos estavam esperando pelo Senhor.
Para os perdidos ainda é um cativeiro – o Sheol de tormento, onde eles aguardam o juízo final.
Um malfeitor – O primeiro salvo do Novo Testamento  
Lc. 23:42 – E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino.
Eram dois malfeitores e um deles começou a blasfemar, e o outro lhe disse: Nós estamos crucificados porque merecemos, nossa maneira de viver nos levou a isto, mas o Senhor não fez nada.
E ele se dirige a Jesus, e faz-lhe um pedido – é a sua conversão.
E Jesus lhe diz: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.
Se ele demorasse um pouco mais, não teria mais esta oportunidade porque O Senhor Jesus morreu às três horas da tarde, antes dele.
Jo.19:31-34 – Como se aproximava do sábado (18:00h da sexta-feira), os judeus rogaram a Pilatos que quebrassem as pernas dos outros dois crucificados para que seus corpos fossem tirados das cruzes. Os soldados quebraram as pernas dos dois e um dos soldados furou o lado de Jesus para se certificar de que estava morto, e diz a Palavra que logo saiu sangue e água.
Para onde foi o malfeitor que se converteu? Ele foi para o colo de Abraão?
Não. O colo de Abraão era a “sala de espera” para aqueles que aguardavam pelo sangue de Jesus. Neste caso, especificamente, o sangue de Jesus já havia sido derramado uma ou duas horas antes, aproximadamente.
Ao morrer, aquele malfeitor foi coberto com o sangue de Jesus, conforme a sua fé, e subiu imediatamente aos céus, onde estão Abel e todos os outros salvos.
Quando o servo morre, o seu espírito entra imediatamente na presença do Senhor, que está na glória.
Não existe reencarnação, não existe purgatório
Acreditar em reencarnação e em purgatório é não valorizar o sacrifício de Jesus.
Como o homem pode pagar por aquilo que Jesus já pagou na cruz? O sacrifício de Jesus é único, suficiente, eficaz e eterno. O preço já foi pago na íntegra e de uma só vez.
Quem tem o sangue de Jesus sobre a sua vida, tem uma garantia de vida eterna – quando morre, na mesma hora, o espírito fica ausente do corpo e presente com Deus.
O espírito do homem habita dentro dele
Deus criou o espírito do homem para ser eterno.
Nós estamos fora daquilo que o Senhor idealizou, porque estamos dentro de corpos que adoecem, que se ferem, que sofrem, que se deterioram.
O corpo, com o pecado, tornou-se um lugar provisório, um lugar perecível.
O espírito foi feito para ser eterno, para estar com Deus, na Glória.
O que é estar na Glória?
O Senhor diz que nos levará para a casa doPai.
Não é para o armazém do meu Pai, não é para o depósito do meu Pai, onde os mortos ficam empilhados nas prateleiras.
É para a casa do Pai, é residência, é lugar de família, é onde Jesus mora eternamente.
Jesus é o Filho de Deus e nós somos os filhos nascidos do Espírito Santo.
Os anjos do Senhor estão na Glória para servir. Eles não são filhos de Deus.
Quais são os filhos de Deus?
Todos aqueles que entram no céu, cobertos pelo sangue de Jesus, por terem sido lavados e os seus pecados perdoados. Todos aqueles que valorizam o sangue de Jesus e o têm como seu Salvador.
Quem entra, não sai nunca mais. Lá é o nosso lugar, onde vamos passar a eternidade com Deus.
É um lugar melhor do que o colo de Abraão porque é definitivo, não é uma “sala de espera”, mas é o destino que Deus tem para todos os pecadores que recebem o Senhor Jesus.
A Nova Jerusalém
Ap. 21, 22:1-5 - A Nova Jerusalém é a cidade onde tem lugar para todos os salvos.
O Senhor Jesus está representado em toda a cidade.

Rei de Israel - 21:9 – E tinha um grande e alto muro com doze portas, e nas portas doze anjos, e nomes escritos sobre elas, que são os nomes das doze tribos de Israel.
Firme fundamento e o Cabeça da Igreja - 21:14 – E o muro da cidade tinha doze fundamentos, e neles os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro.
Pérola de grande valor - 21:21 – E as doze portas eram doze pérolas; cada uma das portas era uma pérola; e a praça da cidade de ouro puro, como vidro transparente.
Nosso templo - 21:22 – E nela não vi templo, porque o seu templo é o Senhor Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro.
Luz - 21:23 – E a cidade, não necessita de sol nem de lua, para que nela resplandeçam, porque a glória de Deus a tem alumiado, e o Cordeiro é a sua lâmpada.
Salvador - 21:27 – E não entrará nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira; mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro.
Rio da água da vida - 22:1 – E mostrou-me o rio puro da água da vida, como cristal, que procedia do trono de Deus e do Cordeiro.
Vida em abundância - 22:2 – No meio da sua praça, e de uma e de outra banda do rio, estava a árvore da vida, que produz doze frutos, dando o seu fruto de mês em mês; e as folhas da árvore são para a saúde das nações.
O Senhor Jesus está presente em todos os lugares. Ele é a porta por onde nós vamos entrar no céu. Ele está-nos esperando.
O Senhor Jesus vai-nos apresentar ao Pai
Jo. 17:24 – Pai, aqueles que me deste quero que, onde eu estiver, também eles estejam comigo, para que vejam a minha glória que me deste; porque tu me hás amado antes da fundação do mundo.

O Senhor Jesus nos considera como seus irmãos e irmãs.
Mc.3:35 – Portanto, qualquer que fizer a vontade de Deus esse é meu irmão, e minha irmã, e minha mãe.
Quando chegarmos na Eternidade, o Senhor Jesus vai nos apresentar, um por um, ao Pai, dizendo: Pai, agora chegou mais esta filha... agora chegou mais este filho.

Is. 38:17 – Eis que para minha paz, eu estive em grande amargura; tu porém tão amorosamente abraçaste a minha alma, que não caiu na cova da corrupção; porque lançaste para trás das tuas costas, todos os meus pecados.
É desta forma que seremos recebidos pelo Pai. Jesus vai-nos apresentar ao Pai e Ele nos abraçará.
38:19 a – Os vivos, os vivos, esses te louvarão como eu hoje faço...
Era a gratidão de Ezequias. Ele agora fala como se tivesse ressuscitado.
Relato: Quando o corpo do pastor Barros morreu (porque ele, a sua alma nunca morreu), o Senhor falou em profecia o seguinte: Eis que Eu estou vendo o meu servo, o meu ancião andando nas margens do rio da água da vida... Ele está caminhando debaixo das folhas da árvore da vida... Ele está conversando com os que vieram antes dele sobre as coisas celestiais.
Isto nos faz lembrar da parábola do mordomo iníquo.
Lc. 16:9 – E eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da injustiça; para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles em tabernáculos eternos.
O Senhor Jesus aconselha a fazer amigos porque quando você morrer e não precisar mais das coisas materiais, eles lhe receberão nas mansões celestiais.
Relato: Eu estive num culto de aniversário de um adolescente e algumas pessoas, inclusive os convidados que não eram da Igreja, não puderam ficar dentro da casa e ficaram na varanda.
Anos depois, recebi um telefonema: Pastor Dodd, o senhor lembra do aniversário de Fulano de Tal? Lembra que nem todos puderam entrar e ficaram na varanda? Eu sou um deles. Eu ouvi a mensagem e, naquela noite fui salvo. Foi uma bênção que Deus me deu.
Pela misericórdia do Senhor, no meu ministério eu fui usado para evangelizar algumas pessoas, eu tive parte nesta salvação e esses irmãos que morrerem antes de mim, vão me receber na glória.

Recapitulando:
Como será?
Quando o meu corpo morrer e eu subir.
1º) Serei recebido pelo Senhor Jesus na porta de entrada.
2º) Depois o Senhor Jesus me levará à presença do Pai e me apresentará a Ele.
3º) Depois serei abraçado pelo Pai.
4º) As pessoas que foram salvas, para as quais eu fui usado como instrumento de evangelização, vão me receber.
5º) Eu vou andar pelos mesmos lugares que o Pastor Barros tem andado, nas margens do rio de águas vivas, debaixo da árvore da vida, por tudo aquilo que é a Eternidade, a Nova Jerusalém.
O que é a morte?
Para o servo do Senhor, a morte é a transferência desta vida aqui para a vida nas mansões celestiais.
Esta passagem é feita imediatamente – ausente do corpo = presente com o Senhor, usufruindo todas as bênçãos maravilhosas.
Quando um servo parte, não temos que orar por ele porque esse irmão já está com Deus. Ele alcançou o objetivo de todo servo – a Eternidade com Deus.
Nós temos que orar pela família que ele deixou aqui porque fica um lugar vazio na vida dos entes queridos, em toda a casa fica a lembrança daquele que partiu para o Senhor. A nossa oração é no sentido que Jesus venha consolar os corações dos que ficaram. O Consolador vem em nosso socorro de muitas maneiras, mas a bênção é para aqueles que vão.
É dessa maneira: ausente no corpo – imediatamente presente diante de Deus. Porquê?
Porque o cativeiro não existe mais. Jesus levou cativo o cativeiro, Ele derramou o seu sangue e todos os salvos do Velho Testamento não tiveram mais que ficar esperando a redenção e os salvos do Novo Testamento tiveram a sua entrada imediata nas bênçãos celestiais.
Não teremos de esperar nada, iremos direto, morar eternamente com o Senhor.
Amém.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ESPECIAL REFORMA PROTESTANTE