Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

quinta-feira, 28 de julho de 2016

O PROCESSO DE UMA BATALHA

O PROCESSO DE UMA BATALHA
(I Sm 17: 45, 49-50)

O fato narrado no capítulo 17 do primeiro livro de Samuel é muito conhecido até mesmo por aqueles que não são do meio evangélico. Muitos, de uma forma ou de outra, já ouviram falar da luta entre Davi e o gigante Golias. É muito comum ouvirmos as pessoas, quando se deparam com alguma dificuldade, falarem: “Hoje, vou ter de enfrentar Golias”, remetendo-se a esse fato.


 O que pretendemos fazer nas linhas que se seguem é dissecarmos este capítulo, a fim de entendermos o processo dessa batalha que se travou no vale de Elá. Certo é, que o servo de Deus se vê constantemente diante de lutas e provações e, por isso, precisa lutar. Aqui, vamos encontrar as respostas a respeito de como vencermos e que meios e recursos iremos utilizar para tal.

O primeiro aspecto a ser abordado encontra-se no capítulo 16 do mesmo livro, no qual Davi é ungido rei, depois de o Senhor haver recusado todos os demais irmãos dele. Ali, conta-nos o texto bíblico, o Espírito Santo se apossou de Davi. “Então Samuel tomou o chifre do azeite, e ungiu-o no meio de seus irmãos; e desde aquele dia em diante o Espírito do SENHOR se apoderou de Davi; então Samuel se levantou, e voltou a Ramá.” (I Sm 16:13). A partir desse acontecimento, Davi já estava preparado para vencer, uma vez que lhe fora outorgado o Espírito Santo. Esse é o fator preponderante que nos leva a perceber o porquê de tamanha confiança e fé em que poderia vencer o gigante. Afinal de contas, o mesmo Deus havia dito a Samuel que encontrara um homem segundo o seu coração.

Interessante notar que, mesmo ungido, Davi não fora chamado para a batalha, mas sim os seus três irmãos mais velhos, que antes já haviam sido rejeitados por Deus. Ora, se foram rejeitados, como venceriam Golias? Notamos com isso, a total falta de discernimento e de sabedoria do rei Saul. Nem eles, nem ninguém do exército estavam aptos a lutar contra Golias, tanto que tiveram medo, sobretudo durante os 40 dias em que Golias descia ao vale para afrontá-los. Esse número 40 nos fala do tempo da prova do servo e a bíblia nos dá variadas referências quanto a ele.

A partir daqui, escreveremos os versos na íntegra e abaixo analisaremos e dimensionaremos o comportamento de Davi, daqueles homens e a resposta deste jovem a todas as dificuldades com as quais se deparou. Não obstante a tantas oposições e palavras de desânimo, Davi não esmoreceu.

V. 26: “Então falou Davi aos homens que estavam com ele, dizendo: Que farão àquele homem, que ferir a este filisteu, e tirar a afronta de sobre Israel? Quem é, pois, este incircunciso filisteu, para afrontar os exércitos do Deus vivo?”
Por esse verso, já tiramos a primeira lição: para vencermos uma batalha, não podemos de forma alguma retroceder. Por isso que Davi era um homem diferenciado. Ele não se acanhou, não se intimidou frente à luta, não obstante saber que iria se deparar com um homem de aproximadamente três metros de altura. O mesmo se dá com a sua vida. Você, por mais que ache que está em desvantagem, vencerá se colocar o Senhor em primeiro lugar.

V28: “E, ouvindo Eliabe, seu irmão mais velho, falar àqueles homens, acendeu-se a ira de Eliabe contra Davi, e disse: Por que desceste aqui? Com quem deixaste aquelas poucas ovelhas no deserto? Bem conheço a tua presunção, e a maldade do teu coração, que desceste para ver a peleja.”
Quantas vezes sua família já disse que você é louco, que o seu problema só será resolvido com um psiquiatra e com remédios, que você é um frustrado? Pelo versículo 28, vemos a oposição dos irmãos, o desprezo a Davi, a subestimação àquele homem. Se analisarmos com mais cautela, veremos que, não fosse projeto do Senhor, Davi não era para lutar com ninguém. Ele foi ali a pedido de Jessé, seu pai, para levar pães para os irmãos e queijo ao comandante de mil, além de procurar saber se todos estavam bem. Contudo, vendo todo aquele cenário, Davi não se escondeu, mesmo ante à contrariedade dos irmãos.

V32 e 33: “E Davi disse a Saul: Não desfaleça o coração de ninguém por causa dele; teu servo irá, e pelejará contra este filisteu. Porém Saul disse a Davi: Contra este filisteu não poderás ir para pelejar com ele; pois tu ainda és moço, e ele homem de guerra desde a sua mocidade.”
Mesmo tendo ouvido a oposição de seus irmãos e do próprio povo, Davi voltou-se para o rei Saul e disse que iria vencer. Assim, ele manteve firme a sua postura, uma vez que sabia da vitória. Sua esperança não estava firmada no homem, nos recursos próprios, mas em Deus. E o que ele ouviu de Saul? Ouviu mais uma palavra negativa.

Se nós pararmos para pensar, a resposta de Saul não foi tão desprovida de nexo assim. Humanamente falando, como um moço ruivo e pastor de ovelhas iria vencer um gigante de três metros de altura? Se olharmos com os olhos da razão, diremos que nunca. Ocorre, meus irmãos, que precisamos olhar com os olhos da fé e saber que o Deus a quem servimos é quem luta e peleja por cada um de nós e disso Davi tinha conhecimento. Nós vamos vencer a batalha que for, em nome de Jesus. Não importa a sua condição. “Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são;” (I Co 1:27-28)

V 35- 37: “Então disse Davi a Saul: Teu servo apascentava as ovelhas de seu pai; e quando vinha um leão e um urso, e tomava uma ovelha do rebanho, Eu saia após ele e o feria, e livrava-a da sua boca; e, quando ele se levantava contra mim, lançava-lhe mão da barba, e o feria e o matava. Assim feria o teu servo o leão, como o urso; assim será este incircunciso filisteu como um deles; porquanto afrontou os exércitos do Deus vivo. Disse mais Davi: O SENHOR me livrou das garras do leão, e das do urso; ele me livrará da mão deste filisteu. Então disse Saul a Davi: Vai, e o SENHOR seja contigo.”
Davi, nesses versos, relata as experiências por que passou. Observamos que tanto o urso quanto o leão não foram problemas para ele. Sem hesitar, Davi lutou com ambos para livrar as suas ovelhas. Aprendemos, assim, que Davi era um homem dependente de Deus. Ele sabia o que era confiar e vencer. Um homem íntimo do Senhor e que tinha cada vez mais certeza de que derrotaria Golias. Se você tem experiências com o Senhor, a luta, a prova e a tentação não irão te derrubar, já que você sabe que o nosso Deus te dará vitória e te livrará de todos os seus inimigos.

V. 38-39: “E Saul vestiu a Davi de suas vestes, e pôs-lhe sobre a cabeça um capacete de bronze; e o vestiu de uma couraça. E Davi cingiu a espada sobre as suas vestes, e começou a andar; porém nunca o havia experimentado; então disse Davi a Saul: Não posso andar com isto, pois nunca o experimentei. E Davi tirou aquilo de sobre si.”
No entender de Saul, Davi precisava se utilizar das armas disponibilizadas para ele pelo rei. No entanto, Davi mal podia se movimentar com aquilo, porque a vitória não estava condicionada a sua força. Não era usando as armas de Saul que a vitória chegaria. Você não vai vencer pelo esforço próprio, pelo bem material, pelos recursos que você acha serem os melhores para a sua vida.

V. 40: “E tomou o seu cajado na mão, e escolheu para si cinco seixos do ribeiro, e pô-los no alforje de pastor, que trazia, a saber, no surrão, e lançou mão da sua funda; e foi aproximando-se do filisteu.”
Agora sim, Davi estava pronto. Ao se despojar das coisas terrenas, do que achamos melhor para nós, e ao reconhecer os recursos de Deus, estamos aptos a derrotar qualquer inimigo que vier contra nós. O cajado nos fala da direção do Espírito Santo que conduz o servo e o ensina a se portar. Os cinco seixos nos dão a exata dimensão do que o Senhor coloca a nossa disposição. São os recursos de Deus: ida aos cultos, leitura constante da palavra, oração, madrugadas, jejum entre outros.

V. 42: “E, olhando o filisteu, e vendo a Davi, o desprezou, porquanto era moço, ruivo, e de gentil aspecto.”
Esse verso é a prova de como o adversário nos vê. Ele nos despreza, ele acha que somos e seremos derrotados. Ocorre que nós sabemos em quem temos crido, como Davi sabia. Quantas palavras deve ter dito Golias quando foi ao encontro de Davi para lutar? Quantas vezes o adversário vem e incute nas nossas mentes que somos derrotados e nunca seremos capazes de vencê-lo. Se olharmos para isso e dermos atenção ao que ele fala, nos daremos mal. Em contrapartida, devemos olhar para o Senhor e ouvir a voz do Espírito Santo. Ouvir a voz mansa e suave do Senhor Jesus que diz: “esforça-te, tem bom ânimo”. Eis a diferença abissal entre o Senhor e o adversário das nossas vidas. Enquanto este nos levanta para nos abater, Deus nos humilha para nos exaltar.

V 49-50: “E Davi pôs a mão no alforje, e tomou dali uma pedra e com a funda lha atirou, e feriu o filisteu na testa, e a pedra se lhe encravou na testa, e caiu sobre o seu rosto em terra. Assim Davi prevaleceu contra o filisteu, com uma funda e com uma pedra, e feriu o filisteu, e o matou; sem que Davi tivesse uma espada na mão.”
Aqui está o desenlace dessa história maravilhosa. Davi deixou bem claro ao filisteu que não ia até ele com seus recursos, mas sim em nome do Senhor dos Exércitos a quem ele tinha afrontado, porque do Senhor é a guerra como ele bem afirmou.

Meus irmãos, é preciso entendermos que não vamos vencer com as nossas forças. Ana, quando pediu um filho ao Senhor, porque ela era estéril, compreendeu isso quando disse: “Os pés dos seus santos guardará, porém os ímpios ficarão mudos nas trevas; porque o homem não prevalecerá pela força.” (I Sm 2:9) O que você tem colocado diante do Senhor, saiba que Ele está te ouvindo. Às vezes, a batalha demora 40 dias, um ano, dez anos, mas em Cristo a vitória é certa. Pode ser que a sua enfermidade esteja durando anos; pode ser também que a porta de emprego que o Senhor te prometeu ainda não tenha se aberto; pode ser ainda que um familiar seu não tenha se achegado à presença do Senhor. O mesmo Davi em um de seus salmos afirmou: “Espera no SENHOR, anima-te, e ele fortalecerá o teu coração; espera, pois, no SENHOR.” (Sl 27:14)Espera no teu Senhor, porque no tempo da espera virá o milagre para a sua vida e isso te fará amar mais e mais o teu Criador.

Por fim, tiramos duas conclusões dessa história maravilhosa:

A primeira: a prova, a dor, a angústia em momentos adversos, geram gratidão e oração. É só vermos a composição de todos os Salmos, a maioria escritos por Davi;

A segunda: A sua vitória serve e servirá de testemunho para todos os que te cercam e todos os que oraram por você. Disseram as mulheres em Israel, logo após a vitória de Davi: “E as mulheres dançando e cantando se respondiam umas às outras, dizendo: Saul feriu os seus milhares, porém, Davi os seus dez milhares.” (I Sm 18:7)


Vem Jesus!!!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ESPECIAL REFORMA PROTESTANTE