Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

domingo, 31 de julho de 2016

O HOMEM QUE NEGOU JESUS

O HOMEM QUE NEGOU JESUS
Mateus 26:34

Disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que, nesta mesma noite, antes que o galo cante três vezes me negarás

Introdução

Pedro dentre todos os discípulos, tinha íntima comunhão com Senhor Jesus, era um companheiro inseparável, em todos os momentos estava junto dele, Mas Pedro  viria a pior das traições, a que mais feriria Jesus no momento mais crucial de sua prisão. Todos os discípulos traíram Jesus quando fugiram no momento da prisão, mas apenas a traição de Pedro mereceu uma prévia advertência mais específica.


 Pedro e João seguiram o Senhor Jesus até a casa do Sumo Sacerdote Caifás, Pedro permaneceu no pátio externo esquentando-se perto da fogueira, enquanto João entrou na sala de julgamento. Por que Caifás permitiu que um discípulo de Jesus testemunhasse seu julgamento? Ou será que ele não sabia da verdadeira identidade de João.


O cenário no pátio externo da casa do Sumo Sacerdote mudou drasticamente quando alguns criados reconheceram Pedro como discípulo de Jesus. Sem pensar duas vezes Pedro negou conhecer o réu que estava sendo julgado no interior da casa. Imediatamente depois de consumar a traição o galo cantou, e forçou Pedro a lembrar da fatídica profecia de Jesus.

O relato sobre a traição de Pedro nos faz meditar sobre a nossa frágil autoconfiança. Nossa fidelidade a Deus está sempre sendo reafirmada quando nos achamos seguros, até o momento em que, numa crise, constatamos que negamos a Jesus quando deixamos de praticar seus ensinamentos, mesmo que estejamos dentro da igreja, cantando hinos  ou estudando a Bíblia. Muitas vezes nos mantemos  no lugar de Pedro, traindo a Jesus, quando deveríamos ser suas testemunhas. No entanto, a pior situação se dá quando cegados pela nossa autoconfiança, continuamos traindo-o imaginando estar fazendo a coisa certa. Isto justifica a tradição popular: “O pior cego é aquele que não quer ver”.

Desenvolvimento

Pedro era o discípulo, podemos imaginá-lo, num gesto eloquente e cheio de autoconfiança afirmar: “Os outros todos podem te abandonar, Senhor, mas eu não, jamais”. Jesus diz: Sim Pedro – você vai me negar, sim. Antes que o galo cante duas vezes, três vezes você vai me negar.

O que era o canto do galo? É provável que não fosse o canto da conhecida ave doméstica. Ao que parece não era permitida a criação de aves dentro da cidade santa, isto era uma lei judaica. O horário das três da manhã era chamado de CANTO DO GALO. Neste horário era feito a troca da guarda romana nas fortalezas – O sinal para indicar essa troca da guarda romana nas fortalezas – Para indicar essa troca era o toque de uma trombeta. Nos dias festivos davam-se dois toques

A noite para os guardas era dividida em quatro vigílias (ver Mc 13.35-37).
A primeira vigília das 18 às 21 hs.
A segunda vigília das 21 às 00 hs.
A terceira vigília da meia-noite às três da manhã – O canto do galo
A quarta vigília do Canto do Galo (3hs) às 6 horas da manhã.

I – O FRACASSO DA AUTOCONFIANÇA.

Pedro tinha uma personalidade muito forte. Era um homem determinado, pronto para servir e era sempre o porta-voz dos outros. Depois da ascensão de Jesus ele se tornou o líder da igreja nos primeiros anos. Para que ele cumprisse o propósito de Deus na sua vida, ele teria que primeiro fazer morrer aquilo que o impedia de ser uma benção para o Reino. Ele precisava fracassar. Ele precisa ser o que se tornou. O que acontecia com ele que o levou ao fracasso.

1 – A AUTOCONFIANÇA ORGULHOSA – SOBERBA.

Quando Jesus disse que todos iriam fugir (Mt 26.31), ele disse: “Todos, menos eu” (v.33).Ele não admitia errar. Ele não admitia falhas. Nem nos outros, nem nele.

2 – ATITUDES ARROGANTES.

Ele não era bom ouvinte.
Ele muitas vezes falava sem pensar. Ele muitas vezes, até mesmo tinha a mania de contradizer a Jesus. Pedro, nem sempre parecia sentir quando deveria escutar em vez de falar.

3 – NÃO APRENDIA COM OS ERROS.

Muitas e muitas vezes Jesus o corrigia, mas ele continuava igual. Parece que Pedro nunca se achava errado. Finalmente, quando Jesus tentou avisá-lo com antecedência, que algo muito sério iria acontecer. Ele não aceitou, até discutiu com Jesus. “ainda que precise morrer contigo, eu não te negarei” Mt 26.35
Simplesmente não havia como falar com Pedro. Não havia como ensinar a Pedro.

4 – O FRACASSO DA SUPER ESPIRITUALIDADE.

Pedro era muito orgulhoso e seu orgulho atingia também sua espiritualidade. Ele se achava muito espiritual. “Todos pecam, menos eu”.
O segundo fracasso de Pedro, era se achar muito preparado e se achar mais espiritual do que os outros. Vejamos como Pedro fracassou na sua espiritualidade.

5 – O ORGULHO ESPIRITUAL E A IMAGINAÇÃO DE INFALIBILIDADE.

A sensação que Pedro nos passa, é que ele era infalível. Um santo (a)

6 - A ILUSÃO DE UMA ESPIRITUALIDADE SUPERIOR O DEIXOU VULNERÁVEL.

Pedro era vitima da autoconfiança. A devoção a Cristo que tanto ele gabava era pouco mais de mera emoção. Ele se achava em um nível acima dos demais. Ele se achava mais fiel do que os outros.


Conclusão



Este é um grande perigo. Você está de pé, não dependa de si mesmo, não confie em si mesmo. Confie em Jesus. Não tente ser super espiritual, não seja um perfeccionista na fé, admita suas falhas e admita que os outros também venham a falhar. O ecoar da trombeta despertou a vida de Pedro para aquele momento tão especial, permita que o Espírito Santo venha ecoar ao seu coração, trazendo a lembra da palavra de Jesus a sua vida. QUE ELE VOLTARÁ.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ESPECIAL REFORMA PROTESTANTE