radio

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

A DOUTRINA DA IGREJA CORPO DE CRISTO

A Primeira Carta de Paulo aos Coríntios – Uma Carta Doutrinária.

CORPO - ideia de CONJUNTO.
Não pensamos em CORPO de uma forma separada ou isolada, mas como um conjunto de partes que funcionam dentro de um mesmo objetivo.


CORPO - partes que são visíveis e partes que não podemos ver.

Paulo escreve que a igreja é um CORPO, um conjunto de membros funcionando para o bem comum.

Paulo vai além. Ele diz que a Igreja é o CORPO DE CRISTO.

CRISTO (do grego KRISTOS) = UNGIDO. A Igreja tem o mesmo Espírito que Jesus teve.

A Igreja para ser Corpo de Cristo, tem que ter as mesmas evidências do Ministério do Senhor Jesus.

A CEIA
A primeira noção de Corpo foi dada pelo próprio Senhor Jesus na última CEIA.

Neste ato, o Senhor Jesus substitui o pão, as ervas amargosas e o cordeiro, pelo pão e pelo vinho.

O Pão - Ele manteve, é o mesmo do Velho Testamento porque ele é tipo da Palavra; mas no Novo Testamento ela fala de Jesus profético, de Jesus revelado.

As Ervas Amargosas - Ele substituiu pelo vinho porque o vinho fala do seu sangue - Ele levou sobre si as nossas enfermidades.

O Cordeiro - era Ele mesmo, o Senhor Jesus.

Agora, a nova ordem é Pão e Vinho. Jesus tomou o pão e disse aos discípulos: Este pão é o meu corpo.

Ele partiu o pão e deu um pedaço para cada um, dizendo: Este pão é o meu corpo que é partido e dado a cada um de vós.

O CORPO estava com cada um dos doze, cada um deles tinha um pedaço do Corpo de Cristo, todos eles juntos formavam o Corpo.

O seu Sangue, que era o vinho, passa a substituir as ervas amargosas. O pão é repartido, a Palavra é revelada à Igreja, ali representada pelos doze discípulos, no partir do pão.


Pão é Corpo e Vinho é Sangue.  Por quê?

Porque todas as partes do corpo são integradas pelo sangue.

Quem leva a glicose e o oxigênio para as células nervosas no cérebro é o sangue.  Se o sangue parar de circular, por mais de três minutos, o cérebro morre.

Quando o paciente tem uma parada cardíaca, a enfermeira grita: Doutor, o doente parou. Aí todo o mundo corre, dá massagem, dá choque, faz de tudo para reanimá-lo porque o coração precisa voltar a bombear o sangue, no máximo em três minutos, a partir daí e paciente pode apresentar sequelas.

O sangue tem que estar circulando no corpo porque enquanto ele estiver circulando, você tem o principal governo do corpo, que é o cérebro vivo, a cabeça que está viva.

QUAL É O SANGUE QUE CIRCULA DENTRO DA IGREJA?
É o sangue de Jesus, que é o seu Espírito Santo. Enquanto Ele estiver operando dentro desse corpo, nutrindo a Igreja, ela tem vida - são os dons que vêm e são discernidos, que são completados, etc.  Os dons vêm incompletos porque eles vão ser aperfeiçoados no corpo, ele é trabalhado no corpo.

Se você tomar café com leite e dez minutos depois for tirar sangue, ele não vai sair misturado com café com leite. Não existe isso.  Por quê?

Porque esse alimento é todo trabalhado antes de ser absorvido.  Acontece a mesma coisa com o dom no corpo.  Se o sangue parar de circular, se ele deixar de trabalhar a primeira coisa que morre é o cérebro, é a cabeça.

Se o Espírito Santo parar de operar na Igreja, a primeira coisa que acontece é que o Senhor Jesus deixa de ser o cabeça, Ele desaparece, o cabeça já não é mais o Senhor Jesus.

O que acontece com um corpo morto, e o que se faz com ele?
  
Você faz o que quiser com um corpo morto.

Quando o Espírito Santo pára de operar na vida da Igreja ela se torna um corpo morto.


OS DISCÍPULOS NO CAMINHO DE EMAÚS
Qual foi a experiência dos dois discípulos que estavam no caminho de Emaús?
Eles estiveram com Jesus, andaram com Ele eram seus discípulos, no entanto, depois da sua morte (e ressurreição) não o reconheceram.

O Senhor Jesus se aproxima deles e começa a conversar, perguntando de quem falavam e porquê estavam tristes.
Eles não reconheceram Jesus.  Por quê?

Porque eles conheciam a Jesus somente até à morte, para eles Jesus era um corpo morto, só tinham saudades, as lembranças, as recordações.

Eles só foram reconhecer Jesus vivo em Emaús.  Jesus toma o pão e no partir do pão eles reconhecem que Jesus havia ressuscitado, que estava vivo.

A Igreja, nesta hora, identifica Jesus vivo na comunhão.  Quando ela está na comunhão, o Senhor se revela, é no culto profético, é nos dons, é na revelação, é na profecia.


A EXPERIÊNCIA DE TOMÉ
Qual foi a experiência de Tomé?
Todo o mundo fala de Tomé, mas ele fez o que todos nós fazemos antes de conhecer a Jesus.

Pedro fez pior do que Tomé porque ele negou o Senhor Jesus.

Tomé é tipo do homem que não tem uma experiência com Jesus vivo, para ele Jesus está morto. Você chega para ele e diz:

- Olha, nós estamos reunidos  ali, Deus está falando.
-  Deus está falando?  Que é isso, rapaz?
   
Mas dias depois, quando Tomé chegou no meio dos discípulos, Jesus se revelou e disse: Tomé, vem cá, põe aqui o teu dedo e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e mete-a no meu lado. (Jo. 20:27)

Quando Tomé tocou nas mãos de Jesus, ele sentiu a marca da cruz, ele soube que aquelas mãos eram de Jesus.  Ele concluiu o quê?  Que Jesus está vivo!

Quando o incrédulo entra no culto, na Igreja, a primeira coisa que ele tem que identificar é a mão de Jesus operando ali, é o seu ministério presente naquele lugar.

Quando ele sente o ministério de Jesus ali, ele tem a primeira experiência, e ele percebe que Jesus está vivo.  Aí está a importância do culto profético, a importância das revelações que são trazidas pelo corpo porque isto tudo vai identificar, vai mostrar que Jesus está vivo no nosso meio.

Quando Tomé apalpou o lado de Jesus, ele entendeu que a comunhão da Igreja é Jesus presente.

CORPO – IGREJA LOCAL
Quando Paulo escreveu aos Coríntios e aos Efésios, ele apresentou dois aspectos do Corpo.

O primeiro aspecto - Carta aos Coríntios - Corpo em relação à igreja local - Dons Espirituais.

O segundo aspecto - Carta aos Efésios -  Corpo em relação a toda a Obra - Ministérios.


DE QUE FORMA A IGREJA LOCAL FUNCIONA COMO UM CORPO?

Através da integração dos dons, da integração da operação do Espírito Santo, quer seja pela oração, pela busca, e em todas as necessidades que darão sustentação ao Corpo. Desta forma, quando todos os membros estão integrados neste corpo, os benefícios são os mais variados.


BENEFÍCIOS - Quais são estes benefícios?
São muitos. Você está aqui reunido e o irmão tem uma revelação com você.  A Igreja ora e o Senhor dá uma libertação, dá um livramento a você.

Existem pessoas que pensam que podem viver como crentes fora do Corpo. Ainda mais nos dias de hoje, com os programas evangélicos que passam na televisão, aí é que não se precisa estar na igreja mesmo, suportando aquele pastor “chato” e tolerando os irmãos com seus problemas. É melhor ficar em casa no domingo de bermuda, tomando suco de laranja e assistindo os cultos pela TV.  Essa situação é semelhante ao fato de uma perna sair andando sozinha pela rua, sem o corpo. Não é possível viver assim. A Palavra diz que “aquele que se isola busca seu próprio interesse (e não do corpo), e se insurge contra a verdadeira sabedoria” – Pv 18: 1.


OBJETIVOS - Quais são os Objetivos de uma vida no Corpo?
O objetivo é a prosperidade da igreja, é a edificação do corpo através dos dons espirituais, pois os dons não são propriedade individual. A Bíblia diz: “Quem recebe um profeta na qualidade de profeta, recebe galardão de profeta”. Assim quando alguém crê num dom entregue por outro irmão, recebe a mesma bênção que este irmão recebeu ao ser usado. Quando isso acontece todos são edificados.

RESULTADOS – Quais são os resultados de uma vida no corpo?
Uma igreja integrada como Corpo cresce sob vários aspectos. Ela cresce na maturidade espiritual, cresce na graça, nas experiências com o Senhor, no número de salvos e assim por diante. Ela é uma igreja que frutifica e alegra o Senhor.

O que Paulo fala em I Coríntios 11: 29 a respeito do corpo?

Ele diz: Portanto, qualquer que comer este pão, ou beber o cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor... Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para a sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor. (I Co. 11:27 a 29)

O que significa comer e beber para a sua própria condenação?

Isso ocorre quando a pessoa deixa de atender às revelações do Senhor para sua vida dadas no corpo. Quando isso acontece a pessoa corre o risco de ver as revelações cumpridas na sua vida. Existem revelações que o Senhor dá para nos advertir e nos livrar de certas situações que estão por vir na nossa vida. Quando atendemos e nos posicionamos conforme a vontade do Senhor, então vem o livramento de sua parte. Mas, se ao invés disso, o irmãos rejeitar a revelação, terá que arcar com as conseqüências da sua desobediência.

Nestes casos será que Deus castigou essas pessoas? Não. Ele apenas mostrou o que ia acontecer, Ele deu a cada um a liberdade de escolher, Ele queria dar um livramento, mas as pessoas não obedeceram. É por isso que Paulo disse: “Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para a sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor”.

E Paulo continua dizendo em I Co 11: 30: Por causa disto há entre vós muito fracos e doentes, e muitos que dormem.

O FRACOÉ aquele crente que não discerne a importância do Corpo para sua vida.

Este é o tipo do crente ruim.  A melhor maneira de fazer o diagnóstico do crente ruim é quando ele chega pra você e diz: “Olha, aqui na igreja há muita falta de amor...”  Pode colocar um rótulo na testa dele: CRENTE RUIM. Esse tipo de crente é o pior que existe, porque amor não se pede, amor se dá.

Se o irmão não gosta do outro, deve fazer um jejum de 24 horas. Se não resolver, faz de 48 horas. Se depois disso não conseguir amar o irmão, faz um jejum de 72 horas, pois deste ninguém escapa. Depois de 72 horas de jejum, o irmão já está “bambo” e começa a amar todo mundo na igreja. Ele se torna uma bênção.

O DOENTE  -  É aquele irmão que tem um probleminha espiritual e quando o Senhor dá uma orientação, ele não segue, ele não faz.  É aquele doente que não toma o remédio que é receitado.

O QUE DORME  - Existem aqueles doentes que dormem fisicamente, mas há aquele que além de dormir fisicamente, dorme espiritualmente.

O crente que dorme não sabe de nada, não sabe se tem jejum para fazer, não sabe as orientações, não ouviu.

Este é o crente que dorme. Nós não podemos ter uma igreja assim. Ela precisa estar funcionando como Corpo em todas as suas áreas de atuação (madrugada, culto profético, reuniões de Grupos de Assistência, etc.). Nós não podemos ter crentes simplesmente sentados no banco, desligados do Corpo.

CORPO – MINISTÉRIO
O Ministério na Obra está integrado no Corpo, levantado por profecia (revelação) e pela imposição de mãos do Presbitério. É a respeito deste ministério que Paula fala, o qual está dentro do Evangelho que ele pregou, e em qualquer lugar em que esse ministério estiver, ele é Corpo. Nós não estamos falando do ministério de todas as igrejas, mas de um tipo de ministério que está integrado num Corpo, cujo cabeça é Cristo.

A experiência que temos hoje é que todos os ministérios estão integrados no Corpo. Hoje nós temos umas 4 mil igreja no Brasil. Temos igreja em vários países da América do Sul, nos Estado Unidos, Canadá, temos quatro igrejas no Japão, treze na Itália, quarenta em Portugal, na Inglaterra, na Irlanda do Norte, na Holanda e nestes últimos dias o Senhor tem aberto as portas na Ucrânia e nos países do leste europeu, de maneira maravilhosa.

Em todos esses lugares, onde os ministérios estiverem, eles estão integrados num mesmo Corpo, numa mesma direção e num mesmo Governo, que é o do Espírito Santo.

Hoje nós temos tudo em comum. Nós não ouvimos falar nas nossas igrejas a respeito de dízimo. Muitos pensam que os pastores da Obra recebem salário, que são ricos, mas isso não acontece, pois todos têm suas atividades profissionais de onde retiram seu sustento. A Igreja Cristã Maranata não remunera ninguém. Todo o dinheiro arrecadado pela fidelidade do povo é empregado inteiramente na Obra do Senhor, na compra de imóveis para as igrejas, na construção de templos, e outras formas de fazer prosperar a Obra.

Existem igreja no interior formadas por irmãos pobres, mas que têm seus templos iguais aos dos irmãos que têm mais recursos. Isso acontece porque a Obra é um Corpo que tem tudo em comum, e os recursos são canalizados para onde houver necessidade.

A igreja deve ser um organismo, um Corpo que está integrado pelo Espírito Santo.

GOSTOU? IMPRIMA OU BAIXE A MENSAGEM EM PDF

Print Friendly Version of this page Get a PDF version of this webpage

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS

70