Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

ESPECIAL REFORMA PROTESTANTE

quarta-feira, 6 de abril de 2016

O JOVEM E OS JUÍZOS DO ESPIRITO SANTO NA IGREJA

O JOVEM E OS JUÍZOS DO ESPIRITO SANTO NA IGREJA

Atos 5:6-11


1) -          INTRODUÇÃO

                AMBIENTE DE PLENA COMUNHÃO NA IGREJA – (4:32)
Todas as coisas lhes eram comuns porque todos na igreja tinham direitos iguais, tinham acesso às mesmas bênçãos. Os varões, as servas, as crianças recebiam bênçãos e os jovens também. Não havia diferença, pois todos estavam envolvidos em plena comunhão dentro da igreja. A participação de todos era por igual.

                                                                                                                                                                                  
                ABUNDANTE GRAÇA NA IGREJA – (4:33)
Havia graça do Senhor naquilo que faziam, pois faziam tudo na direção do Senhor. Não era só o trabalho dos adultos que produzia frutos, dos jovens, adolescentes e crianças também. E era tudo agradável a Deus, pois havia abundante graça do Senhor em tudo o que faziam e tudo o que faziam prosperava. A graça do Senhor era sobre todos na igreja.

2) -          UMA PROVA DE DEDICAÇÃO AO SENHOR – (4 : 34 – 37)
Era a primeira prova que o Senhor pedia à igreja. Um teste do Senhor com a igreja, pedindo uma prova de dedicação exclusiva ao Senhor. Um juízo que o Senhor estabelece para a igreja, para saber se seu coração e sua alma pertenciam de fato somente ao Senhor.

1ª PROVA:

(4:36-37)               José Barnabé: fidelidade è bênção             - desapego a uma herança terrena

1.1)         Era Levita: da tribo da qual eram escolhidos os sacerdotes, que não tinham herança terrena, viviam da herança do Senhor.

1.2)         O nome: “filho da consolação”, o mesmo que herdeiro da salvação.

1.3)         Deu mais valor à bênção do Senhor (depositar o preço aos pés dos apóstolos). Do que uma herdade material, ou seja: um valor desta vida aqui. Exemplo: um namoro aos pés do Senhor. Isso é uma bênção. A alegria das bênçãos materiais, não é pelo valor delas, mas pelo fato de elas terem vindo do Senhor.

1.4)       Quando se dá valor à bênção espiritual, a comunhão do homem é direta com Deus. É no Espírito.

2ª PROVA:

(5:1-4)    Ananias e Safira: Infidelidade è maldição  -  o coração dividido entre a herança material (terrena) e a eterna.

2.1)         Reteve parte do preço: o preço da nossa vida não podemos reter, pois esse preço é a nossa salvação. A questão de salvação é uma dedicação total ao Senhor. Não dividimos isso com ninguém, nem conosco mesmos. Metade pertence ao espírito e metade à carne? NÃO.

2.2)         (5:3) “Satanás encheu teu coração?”: o coração estava dividido porque estava cheio daquilo que era do mundo, pois o mundo está posto no maligno.

2.3)         (5:5) EXPIRAR: acabar a vida, perder a vida. A mentira expira de imediato.

2.4)        Quando se dá valor às coisas materiais, a comunhão do homem é com o próprio homem (sentido genérico): a carne. UM CASAL em comunhão com a infidelidade. Essa comunhão é sempre na carne. A comunhão com o Senhor é uma VERDADE, mas a comunhão com o homem é uma MENTIRA, um engano, pois “enganoso é o coração do homem”.


3) – PARTICIPAÇÃO DO JOVEM NOS JUÍZOS DO ESPIRITO SANTO

1) -     COM RELAÇÃO A ANANIAS – (5:6)

a) -          “Levantando-se os jovens”: diante do corpo caído de Ananias, os jovens se posicionaram de pé, ou seja: a posição de firmeza diante do Senhor, quanto àquilo que estava morto dentro da igreja. Não tiveram acordo com aquilo que eram sinais de morte no “corpo”.

b) -          “Cobriram o morto”: Era um assunto para ser tratado isoladamente. Não generalizar. Não divulgar, nem comentar. Não serve de exemplo. Não é para ser imitado.

c) -          “Transportaram para fora”: o lugar da mentira, do engano, do pecado é do lado de fora da igreja. No interior da igreja há VIDA, mas aquilo que é morto fica do lado de fora.

d) -          “Sepultaram”: Era assunto para ser esquecido.
Nunca mais ser mencionado.
Não se devia repetir mais tal experiência negativa dentro da igreja.
Nunca ser mencionado como parâmetro para se cometer outra falha dessa na vida da igreja.
Há os que gostam de desenterrar defuntos.

2)       COM RELAÇÃO A SAFIRA – (9:10)

a)     – LIÇÕES QUE ELES APRENDERAM:

Ela havia combinado com o marido até quanto ao preço da mentira:
(5:8) para quem está macumunado com a mentira, o valor da salvação é sempre o mesmo. Também a recompensa é a mesma: a morte.
Um casamento (comunhão) para a morte. Quem dá apoio e quem está de acordo com isso, também vai morrer.

b) “Eis aí à porta”: (5:9b) Esse era o posicionamento que os jovens haviam tomado: estar à porta. Jesus é a porta:
Entrar por ela é valorizar a salvação e desfrutar das bênçãos da comunhão com o Senhor e com a igreja.
Sair por ela é levar para fora toda a impureza e as obras mortas, cujo lugar é do lado de fora da igreja. Isso é SANTIFICAÇÃO.

c) “Os pés dos jovens”: a caminhada deles agora estava firmada no Senhor, porque àquela altura já tinham entendido na primeira experiência com Ananias que as coisas do Senhor são sérias. “...porque o lugar em que tú estás é santo”.

d) “Também te levarão a tí”: Da mesma forma como os jovens fizeram com Ananias: cobriram o corpo, transportaram para fora e sepultaram. Os jovens estavam determinados a cooperar da mesma forma, todas as vezes que se repetisse aquilo dentro da igreja.

4) – A EXPRESSÃO: “Aos pés dos apóstolos”: Era equivalente a: ”aos pés do Senhor”, porque os apóstolos estavam ali na revelação do Senhor.

a) Depositar todo o preço aos pés do Senhor,
significava a troca de uma herança terrena por uma eterna. (4:34 e 37)

b) Depositar parte do preço aos pés do Senhor ou seja: o fruto do engano, da mentira e do pecado. significava perder o direito à bênção de uma herança eterna.
Ananias fez isso e Safira insistiu na mesma coisa.

c) Depositar aos pés dos apóstolos um gesto de fidelidade ao Senhor    ERA VIDA,
mas cair aos pés dos apóstolos num gesto de infidelidade ao Senhor ERA MORTE.
Isso era um juízo.

d) Os pés dos jovens (5:9) estavam firmes,
porque estavam à porta (Jesus), ou seja firmados em Jesus. E
porque haviam depositado todo o preço da salvação aos pés do Senhor.


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...