Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

Série de Estudos Sobre a 5ª Medida

quinta-feira, 10 de março de 2016

OS DOZE DISCÍPULOS DE JESUS

OS DOZE DISCÍPULOS DE JESUS
At 1:15-16;21-22 e 26 

  No estudo aqui veremos as características dos discípulos de Jesus, os mais íntimos, o traidor, e veremos como nós, servos de hoje, nos enquadramos em varias dessas características.
  
Introdução:

  Por que Jesus escolheu esses  discípulos? Por que eram bons? Eram homens especiais? Cultos? Veremos isso adiante, e veremos como DEUS tinha um projeto na vida daqueles homens.


Desenvolvimento:

Felipe: Natural de Betsaida, mar da Galileia. Jesus o encontrou em Betânia, além do Jordão, onde João Batizava. Ali foi convertido e chamado para seguir a Jesus. Encontrou Natanel e o levou a Jesus, convencido de Esse era o Messias. Sua confiança não falhou e um ano depois ele foi escolhido entre os  discípulos. Em uma ocasião, nos momentos finais do ministério terreno de Jesus, Felipe pediu para ver o Pai e não entendeu quando Jesus diz “Quem vê a mim, vê o Pai”. Assim como os outros discípulos, estava longe de entender o projeto de DEUS.
  Depois da reunião em AT 1:13, não temos mais referência sobre ele.

Bartolomeu: Como seu nome veio, na maioria das vezes, acompanhado pelo de Felipe, acredita-se que esse era Natanel. Mas sem nenhuma confirmação na palavra. De uma forma ou de outra, esse discípulo não é muito citado, nem nos evangelho e nem nos livros posteriores.

Tiago, filho de Alfeu: Suas informações são um pouco obscuras na Bíblia, podendo apenas nos levar a supostas conclusões mas sem nenhuma base sólida na Palavra. Podemos apenas chegar a conclusão que assim como os outros discípulos, exceto Judas Iscariotes, ele também era Galileu. Não foi muito mencionado nos evangelho e nos livros posteriores.

Simão, chamado Zelote: A Palavra se refere pouco a esse discípulo também. Mas nos deixa um detalhe muito interessante, o chamando de “Zelote”, já que, Zelote, era um partido nacionalista que converteu-se em centro de resistência aos romanos, atuais dominadores em Israel no tempo de Jesus, provocando assim muitas guerras contra o império. Daí podemos perceber a característica desse discípulo, nos levando a concluir que, certamente, ele só queria Jesus como Messias, pois para ele o Messias seria um líder militar.

Judas, também chamado Tadeu ou Lebeu: Outro discípulo que não é muito citado no evangelho e nos livros posteriores. Possuiu o mesmo nome daquele que traiu a Jesus. A única conclusão que temos baseado na Palavra é que, como o restante dos discípulos, ele também abandonou a Jesus no momento da prisão. O Judas que escreveu a carta que leva o seu nome e está no final do Novo Testamento, não é esse. Aquele é o irmão de Jesus e Tiago.

Tomé, também chamado Dídimo: Era da Galiléia. Teve a infelicidade de ficar conhecido pela sua incredulidade pela sua palavra de crer se somente “tocar nas feridas de Jesus”, mas na verdade os outros discípulos também todos foram incrédulos. Em Jo1:16 quando Jesus falou que iria voltar para a Judéia, onde pouco antes O queriam apedrejar, Tomé disse aos seus condiscípulos “Vamos também nós morrermos com Ele”. Ou seja, Tomé queria uma revolta, e queria que Jesus fizesse isso, esperava de Jesus um líder político. Já no fim do ministério terreno de Jesus ele não havia entendido o que era “O Caminho”. A palavra não nos mostra qual foi o seu fim.

Mateus: Escreveu o evangelho que leva o seu nome. Era publicano, cobrador de impostos, a classe mais odiada entre o povo. Foi chamado por Jesus quando estava em Cafarnaum. Escreveu o evangelho destinado aos Judeus, sendo o que mais citou as profecias do velho Testamento. Também abandonou a Jesus no momento da prisão, mas depois voltou e o viu ressuscitado, assim como os outros. Não é relatado outros fatos subseqüentes dele na palavra.

Andre: Irmão de Simão Pedro de Betsaida. Era pescador e morava em Cafarnaum, Ele e João foram discípulos de João Batista e foram, juntamente com Pedro e Tiago, os primeiros discípulos de Jesus.

Entramos agora a falar dos discípulos não mais importantes, mas os mais citados na Palavra, sendo Pedro e os filhos de Zebedeu (Pedro e Tiago) os mais íntimos de Jesus e Judas Iscariotes, o traidor.

João e Tiago: Eram filhos de Zebedeu, chamados por Jesus de filhos do Trovão. João escreveu o evangelho que leva o seu nome. Estes estiveram, junto com Pedro, no monte da transfiguração com Jesus. Em um certo momento, esses dois irmãos perguntaram a Jesus se ele queria que eles “pedisses a Deus” para descer fogo sobre uma aldeia de samaritanos que haviam negado hospedagem ao Mestre. Eram homens avarentos, por pedirem, através da mãe deles, para sentarem um a direito e outro a esquerda no Reino de Deus. Ou seja, também estavam certos que o Messias era um líder político-militar. Logo após a ressurreição de Jesus podemos encontrar Tiago citado em Jo21:2 na Galileia e em At11:13 em Jerusalém. Foi morto a Espada por ordem de Herodes, sendo o primeiro apóstolo a morrer pelo cristianismo. Já João acompanhou Pedro em muitos lugares e, mesmo com suas características violentas e avarentas, ficou conhecido como o discípulo amável. A ultima notícia vem de seu próprio punho, onde inspirado pelo Espírito Santo ele escreve as Revelações do Apocalipse. Sendo assim, baseado na Palavra, nem mesmo podemos afirmar que João morreu.

Simão Pedro: Pedro é a forma grega da palavra aramaica Cefas, que quer dizer rocha, nome esse que Jesus deu a Simão quando este compareceu a primeira vez em Sua presença. O seu nome não condizia com suas atitudes, já que era sempre inconstante, sendo que certa vez ao mesmo tempo que teve uma revelação que Jesus era o Cristo, logo após foi repreendido por Jesus ao dizer que não deixaria que Jesus padecesse, ou seja, foi usado por Satanás para proferir palavras contra o projeto do Senhor. Era sempre o que primeiro falava, o que primeiro agia. Teve a terrível experiência, relatada nos Evangelhos, de negar a Jesus. Nos mostrando que sua confiança só existia enquanto ele tinha Jesus por perto. Mas através da humildade e confissão de seu erro, recebeu o perdão de Deus e foi um anunciador nato das “Boas Novas” sendo um dos mais importantes homens no papel de pregar a palavra de Deus no inicio da Igreja. A historia diz que ele foi crucificado ao mesmo tempo que o Apostolo Paulo foi decapitado no ano 68. Mas a Palavra não nos afirma nada, apenas contem uma profecia em Jo21:19.

Judas Iscariotes: Filho de Simão Iscariotes. O sobrenome Iscariotes parece indicar que era natural de Quiriote, sendo então o único discípulo que não era da Galileia. Certamente ele era um dos mais cultos entre os discípulos, já que a Galileia era a parte mais desprezada onde os mais menosprezados residiam. Trocou Jesus por 30 moedas de prata, o preço de um escravo. Se arrependeu de seu erro, mas não foi humilde o suficiente para pedir perdão a Deus, tento assim um destino muito trágico suicidando.

Conclusão:

  Vemos nas características dos discípulos que Deus não quer o status dos homens para realizar a Sua Obra. Mas Deus quer homens dispostos a serem modificados pelo Seu amor, homens dispostos a reconhecerem seus erros e recorrerem a Jesus para pedirem Perdão. 
  Ali em Jerusalém, era necessário alguém para “substituir” Judas. Matias foi escolhido pelo SENHOR. O interessante é que a palavra “Matias” ou “Matatias”, significa em grego “dom de Jeová” ou “presente de Jeová”. 
  Infelizmente, muitos tem seguido o mesmo caminho de Judas, e o fim é a morte. Mas Deus tem um chamado para cada um de nós, é um presente de DEUS que devemos zelar e valorizar todos os dias.

Ademir Bonfa

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...