Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

Série de Estudos Sobre a 5ª Medida

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

A VITÓRIA DE ABRAÃO

A VITÓRIA DE ABRAÃO
Gen. 14:4 - Guerra de quatro reis contra cinco



1. DOMÍNIO DOS REIS:
Quedorlaomer, tendo como aliados outros três reis da Região de Babilônia, tinha domínio sobre os 5 reis do Vale do Jordão, incluindo os reis de Sodoma e Gomorra, os quais estavam subjugados há 12 anos.
Era comum reis mais poderosos dominarem outros reinos e estabelecerem ali um reino subjugado e tributário. 




2. SITUAÇÃO DOS DOMINADOS
Alguns reinos dominados achavam confortável a situação de tributário, visto que passava a gozar da proteção do rei dominante, pois quando vinha um adversário contra o seu  reino, enviava um mensageiro ao rei dominador e esse vinha com toda fúria e defendia-o, porque estava defendendo seus tributos. 

3. GUERRA DOS REIS CONFEDERADOS
Havendo os reis do Vale do Jordão servido a Quedorlaomer 12 anos, rebelaram-se no 13º ano e no 14º ano os 4 reis do norte guerrearam contra os 5 reis do vale do Jordão, tomando todos os seus bens e levaram junto com os prisioneiros a Ló, sobrinho de Abrão.
Na passagem, através da região sul de Israel, arrasaram todos os reinos por que passaram, visto serem grandes e poderosos os exércitos, movidos pela fúria de Quedorlaomer.


4. A VITÓRIA DE ABRÃO
 Abrão com seus 318 nascidos em casa  e feriu os quatro reis, trazendo Ló de volta com todos os despojos. Considere-se que Abrão venceu uma batalha com pouca gente, que era uma batalha de 4 exércitos contra 5 exércitos. Essa vitória foi  possível  somente,  porque Deus pelejou por ele.
Evidentemente que havendo Abrão vencido os quatro reis do Norte que massacraram as nações que habitavam em Israel, caiu na inteira graça dos mesmos, operação essa promovida pelo Espírito Santo. 
 Abrão teve o discernimento de não receber os despojos da guerra - senão a parte dos seus aliados e o que ofertou a Melquisedeque, devolvendo-o aos reis do Vale do Jordão, o que o fez cheirar bem perante eles.


5. DOMÍNIO DO E. S.
Essa luta trouxe uma alteração de domínio na região de Israel, que estando subjugado por reinos adversários, passou a ter um domínio concedido por Deus, que engrandeceu a Abrão, visto que lhe havia dito: 
“ ...À tua semente darei esta terra...”




6. ABRÃO TRIBUTA A DEUS
Reconhecido, Abrão entrega os dízimos a Melquisedeque (Sacerdote de Deus) num entendimento de que ele era tributário do Senhor, de quem gozava a proteção e que lhe deu a vitória numa luta grandíssima.
É de se admitir que tendo Abrão tributado o dízimo a Melquisedeque, que deveria ser esse o valor  padrão do tributo dos reis, sendo adotado por ocasião da Lei.
Por sua vez Melquisedeque vai ao encontro de Abrão com pão e vinho, mostrando vivamente a comunhão que tinha Abrão com o Senhor.


7. PROMESSAS QUE DEUS CUMPRIU NA VITÓRIA
Gen. 12:2 ...Far-te-ei uma grande nação;
...Abençoar-te-ei;
...Engrandecerei o teu nome;
...Tu serás uma benção.
Gen. 12:3 ...Abençoarei os que te abençoarem
...Amaldiçoarei os que te amaldiçoarem;
...Em ti serão benditas todas as famílias da terra.
Gen.12:7 ...À tua semente darei esta terra.


8. PRESENÇA VIVA DE DEUS NA VITÓRIA
A vitória foi tão grande que contemplou a presença de Melquisedeque, tipo do Senhor Jesus que foi ao encontro de Abrão para consolidar a presença de Deus na vitória concedida, outorgando a “Abrão do Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra”, um domínio pacífico e reconhecido sobre a terra prometida, dizendo: “Bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos!”

(*) Jesus disse em João 8:56:   “Abraão, vosso pai, exultou por ver o meu dia, e viu-o, e alegrou-se.”

9. SIGNIFICAÇÃO DOS NÚMEROS
Há considerações a ser feitas quanto ao números que aparecem:
- nº 4, representando o amplo domínio do adversário;
          Após a vitória a região recebe o domínio de Deus;
- nº 5, número dos dominados, ministério da impiedade;
          Após a vitória sob ministério concedido por Deus;
- nº 9, consolidação da vitória (no Espírito Santo);

- nº 318 (servos nascidos em casa com quem fez a guerra):
           3 - Trindade - Espírito Santo
           1 - Deus Único - Pai
           8 - Graça - Filho
         12 - Soma - Obra completa do E.S.

APLICAÇÃO
Na comunhão com o Senhor, confiando inteiramente na sua justiça e nas suas promessas, alcançamos a vitória completa e 
realizada pelo Espírito Santo. Vivemos sob seu domínio.



 N O T A S :


4 REIS DE BABILÔNIA
ANRAFEL (guarda de deuses) Rei de Sinar (Babilônia)
ARIOQUE (servo do deus lua) Rei de Elasar (região da Babilônia)
QUEDORLAOMER Rei de Elão (região leste de Babilônia)
TIDAL Rei de Goiim (região de Babilônia)


5 REIS DO VALE DO JORDÃO
BERA (dom) Rei de Sodoma
BIRSA (filho da perversidade) Rei de Gomorra
SINABE Rei de Admá (= terra)
SEMEBER Rei de Zeboim (=hienas)
REI de ... Rei de Belá = Zoar (=pequeno)

LOCAL DA PELEJA: Vale de Sidim, Noroeste do Mar Morto

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...