Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

ESPECIAL REFORMA PROTESTANTE

segunda-feira, 13 de julho de 2015

A PRENSA DO AZEITE

Texto: Mateus 26:36

Objetivo: Entender que todos os recursos para a realização da Obra, provém do sacrifício do Senhor Jesus.

Mateus 26:36 – “ Em seguida, foi Jesus com eles a um lugar chamado Getsêmani e disse e seus discípulos: assentai-vos aqui, enquanto eu vou ali orar.

INTRODUÇÃO:

O Senhor Jesus chama os seus discípulos ( Pedro, João e Tiago ), para ir ao monte das oliveiras, um lugar chamado Getsêmani.O Senhor Jesus tinha algo muito importante para ensinar aos seus discípulos. Qual foi ensinamento espiritual que o Senhor Jesus estaria passando para os seus discípulos para a realização da sua obra?
Porque todas as coisas que foram realizadas no ministério do Senhor Jesus  foram proféticos ( as curas, libertações, ressurreições, etc ) , que apontam para o projeto de Salvação que seria consumado na cruz do calvário .



Mostrar que somente através do sacrifício do Senhor Jesus provém todos os recursos para a realização da obra de Deus.

DESENVOLVIMENTO:

Um detalhe que a Palavra de Deus nos fala no verso lido, é o local escolhido por Jesus, Getsêmani que significa “prensa do azeite”.
Getsêmani era um dos muitos hortos que se espalhavam pelas férteis encostas do Monte das Oliveiras, separado de Jerusalém pelo Cedron. Getsêmani, em aramaico, significa “prensa de azeite”, seguramente por causa das prensas para as azeitonas que eram produzidas pelos olivais plantados por todo o Monte.
No entanto, o grande objectivo da cultura da oliveira era e é o da produção do azeite, produto de grande valor econômico. O fruto da oliveira é a azeitona.  A azeitona no tempo de Jesus servia para produzir quatro tipos de azeites: O óleo da unção, alimentação, iluminação e Sabão. 
 Como era feita a prensa do azeite?
Esses azeites eram feitos em uma grande prensa, composta por uma tora de madeira maciça e quatro pedras. Nela eram depositadas as azeitonas e em seguida, colocava-se a primeira pedra, que pesava espremendo as azeitonas, assim era extraído o primeiro azeite.
A Prensa do azeite nos fala do sofrimento do Senhor Jesus na cruz do calvário por amor ao pecador. Como diz a Palavra de Deus em Isaías 53:5 – “ Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados”.
 Esses quatro tipos de azeites representam os recursos que são necessários que precisamos para realizarmos a obra do Senhor:

Primeiro azeite: óleo da unção

Esse azeite servia para ser usado no templo do Senhor, que era o óleo da unção. 
óleo da unção= batismo com E.S.
 É a capacitação para realizarmos a obra do Senhor; Is. 61:1
Um revestimento para suportarmos as lutas; Lc. 24: 49
Poder para testemunharmos do Senhor e um preparo para o arrebatamento. At. 1:8 ; Mt. 25: 4,10.

Segundo azeite: alimento

Com o peso da segunda pedra na prensa era extraído o segundo azeite: 
Este servia como alimento. 
O alimento= O Senhor Jesus é o pão vivo ( Jo. 6:48)
O único que alimenta e satisfaz a alma do homem. ( Sl.107: 9 )
Que concede vida eterna ( Jo. 6: 51)
Fortalece espiritualmente ( Sl. 104:15c )

Terceiro Azeite: iluminação

Com o peso de uma terceira pedra na prensa era extraído o terceiro azeite.

Esse servia para iluminar. Eram depositados em lâmpadas e essas eram o principal instrumento de iluminação daquela época. 
Iluminação= Jesus é a luz do Mundo, ou seja, a revelação (Jo.8:12 )
 Guia-nos no mundo de trevas (livra-nos da morte eterna); Is.9:2
Dar-nos uma direção segura que nos levará a eternidade (a revelação); Sl.139:24
 Faz-nos  enxergar o caminho da vida  ( o projeto eterno de Deus ); Sl.16:11

Quarto Azeite: Sabão

Com o peso de uma quarta pedra na prensa, era extraído o quarto azeite.
Ele já vinha com um certo farelo da azeitona e servia  para fazer sabão. 
Sabão aponta para Limpeza, Purificação = Santificação
A santificação é a direção do E.S. em nossas vidas para sermos agradáveis ao Senhor. Servindo-o por amor e gratidão.
O poder do Sangue de Jesus nos purifica de todo o pecado (o perdão); 1Jo. 1:7
Para vermos o Senhor ( arrebatamento); Hb.12;14
A operação do E.S. na vida do homem ( comunhão ); Js.3:5

O azeite era conservado em talhas de barro. Mostrando-nos que todos os benefícios que o sacrifício do Senhor Jesus nos proporcionam, precisam ser conservados em nossas vidas. Entendo que somos pó, ou seja, que somos necessitados e dependemos do Senhor para a realização da obra do Senhor.
CONCLUSÃO:

Valorizando o sacrifício do Senhor Jesus por nós na cruz do calvário temos todos os recursos ( a unção do Espírito Santo, Jesus o alimento vivo que desceu dos céus, a luz  que é a revelação do Senhor conduzindo os nossos passos e vivendo uma vida  em santificação) que são necessários para a realização da Obra de Deus. Para isso é necessário que o homem entregue a sua vida ao Senhor reconhecendo como único e suficiente Salvador.


Josenilson Félix
Palmeira dos Índios _ AL.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...