radio

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

AS 4 PROPOSTAS DE FARAÓ

1ª PROPOSTA -  Êxodo 8: 25, 26

            “Então chamou Faraó a Moisés e a Aarão, e disse: Ide, e sacrificai ao Vosso Deus nesta terra...”

            O Senhor já havia enviado quatro pragas sobre o Egito (águas em sangue, rãs, piolhos e moscas) para forçar Faraó, que é tipo do inimigo, a libertar o povo de Israel do seu jugo, mas ele resistia. Neste momento Faraó faz sua proposta aos servos do Senhor.


            O inimigo procura lutar para que o homem não se liberte do seu jugo. Ele resiste para manter o homem preso e escravizado no seu reino, e quando muito, procura propor de maneira sutil, que este sirva a Deus (o sacrificar) sem sair do mundo. Ele tenta convencer o homem que para servir a Deus não precisa deixar a vida mundana e pecaminosa que muitas vezes ele leva. Quando o homem se deixa seduzir por esta proposta, os resultados são terríveis, pois o homem se torna profanador das coisas do Senhor e um crente mundano, trazendo um mal testemunho e escandalizando o Evangelho. As religiões têm aceitado esta proposta com muito boa vontade, deixando de dar ouvidos às palavras do Senhor Jesus: “Não podeis servir a dois senhores...”
            A resposta de Moisés foi: “Não convém que façamos assim...”
            Não existe o caso de servir ao Senhor sem deixar o mundo (Egito). Deus não aceita tal sacrifício. Tentar ser servo sem renunciar ao mundo e ao pecado é abominação diante do Senhor. Os que hoje em dia proclamam serem servos do Senhor, mas têm vida mundana são citados pelo Senhor, quando diz: “Este povo me louva com os lábios, mas o seu coração está longe de mim”.

2ª PROPOSTA - Êxodo 8: 28, 29

            “Então disse Faraó: Deixar-vos-ei ir, para que sacrifiqueis ao Senhor vosso Deus no deserto; somente que indo, não vades longe; orai também por mim”.

            O inimigo procura convencer o servo a não se afastar demais do mundo, a manter uma certa distância dele. O propósito desta proposta é convencer o servo de que ele não precisa se santificar nem se consagrar muito ao Senhor. Não precisa ser “fanático” e nem abrir mão de certas coisas que o mundo oferece, nem deixá-las totalmente. Não precisa ir ao culto todos os dias (certos maridos de servas dizem isto), isto é um exagero. Não precisa deixar coisas tão boas como ir à praia, ao cinema, a uma festinha com os amigos, e não precisa deixar os modismos do mundo para não parecer arcaico. O inimigo quer é manter o servo ao alcance da sua mão, não permitindo que se afaste muito dele, pois a hora que quiser o puxa de volta para seu reino. A Palavra do Senhor diz: “Sede santos porque Eu sou Santo”, e também: “Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento”.
            O propósito do inimigo é causar confusão e insegurança, o que leva à mornidão. Quando Faraó pede a Moisés que ore por ele, isso representa um propósito do inimigo em estabelecer uma obra de confusão, misturando algo que é espiritual (oração) com as coisas deste mundo.
            Moisés mais uma vez não aceitou aquela proposta e reconheceu que nela havia um engano e um laço de mentira. O servo do Senhor não pode dar brechas nem aceitar as coisas deste mundo, pois ainda que aparentemente inofensivas, trazem por trás o propósito destrutivo do inimigo que com disfarces tenta nos enganar.

3ª PROPOSTA - Êxodo 10: 8, 9

            “Então Moisés e Aarão foram levados outra vez a Faraó, e ele disse-lhes: Ide, servi ao Senhor, vosso Deus. Quais são os que hão de ir ?”

            A intenção de Faraó era manter os familiares dos israelitas presos no Egito, libertando somente os homens para que em breve voltassem por causa das esposas e filhos e fossem presos novamente. Esta proposta mostra a intenção do adversário em impedir que toda a família sirva ao Senhor, e seja assim usada para dificultar a caminhada daquele que já foi liberto. Se o servo não discernir isso, por qualquer desculpa ele deixa de levar sua esposa e filhos para a igreja, principalmente na escola dominical, quando muitos têm pena de acordar as crianças cedo, depois de uma semana de escola e tudo mais. Muitas vezes as esposas preferem ficar em casa vendo telenovelas e os esposos aceitam isso passivamente. Com isso a família vai permanecendo no mundo. Alguns pensam que a criança vai dar trabalho na igreja, ou que é pequena demais para entender o culto. Tudo isso são desculpas que são induzidas pelo inimigo, pois ele sabe o bem que a igreja nos faz. Josué falou: “Eu e a minha casa serviremos ao Senhor”. O propósito de salvação do Senhor é para toda a família e nós precisamos despertar para este fato e lutar para manter a nossa família na presença do Senhor. É triste ver que alguns servos vão sozinhos para a igreja, deixando seus filhos em casa, se ocupando de coisas que muitas vezes não edificam suas vidas. Paulo falou: “Crê no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo tu e a tua casa”.

4ª PROPOSTA - Êxodo 10: 24 - 26

            “Então Faraó chamou a Moisés, e disse: Servi ao Senhor; somente fiquem vossas ovelhas e vossas vacas; vão também convosco as crianças”.

            Os israelitas não possuíam ovelhas e vacas para se alimentar, e sim para os sacrifícios. Faraó sabia disso e queria que o povo servisse a Deus mas não tivesse o que sacrificar ao Senhor, e o sacrifício era o principal fundamento na adoração naquele tempo. O sacrifício, que era a ovelha, aponta para o Senhor Jesus. O que o inimigo quer nesta hora é que o homem tenha uma religião, mas sem Jesus, pois ele é o fundamento da fé para a salvação. Ele é o caminho, a Verdade e a Vida e ninguém vai ao Pai, senão por Ele. Hoje em dia existem muitas religiões e seitas que já aceitaram esta proposta do inimigo: o espiritismo, o budismo e tantas outras seitas orientais, os Testemunhas de Jeová, o Catolicismo Romano, que exalta mais a mãe do que o próprio Filho. Todas elas são exemplos de religiões que excluíram o Senhor Jesus, que se entregou por nós como sacrifício vivo pelos nossos pecados, relegando-o a um plano muito aquém do que Ele merece. Esses tipos de religiões estão sendo ensinados até às crianças hoje em dia, conforme a sugestão do inimigo, para que elas sejam enganadas desde cedo.
            Moisés mais uma vez respondeu: “Também o nosso gado há de ir conosco, nem uma unha ficará”.  A revelação do Senhor Jesus tudo que temos, é a nossa vida e o nosso tesouro maior. Tudo devemos dedicar a Ele, pois nos espera caminho de três dias (ressurreição, vida nova, eternidade). O mundo não nos interessa, e nem uma unha, a mínima coisa deve ser concedida ao inimigo. Tudo pertence ao Senhor.
            A última proposta de Faraó é semelhante à primeira, pois uma obra sem Jesus, é o mesmo que permanecer no mundo e no pecado. 

GOSTOU? IMPRIMA OU BAIXE A MENSAGEM EM PDF

Print Friendly Version of this page Get a PDF version of this webpage

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS

70