Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

Série de Estudos Sobre a 5ª Medida

sábado, 18 de abril de 2015

UMA NOITE NA COVA

UMA NOITE NA COVA
 Daniel 6:21-22

Neste capítulo Daniel já estava com aproximadamente 85 anos, o reino da babilônia já havia caído, e agora era o império Medo-Persa que dominava o mundo de então, sob o comando do rei Dario.

Daniel havia sido abençoado e prospero desde que chegou em Babilônia, isto porque, lá no começo ele e seus companheiros tomaram uma decisão que fez toda a diferença: Assentou no seu coração não se contaminar com a porção do manjar do rei nem com o seu vinho. Foi por isso que aqueles quatro servos foram tão abençoados, alcançaram livramento, viveram experiências, tiveram visões celestiais, etc.





O segredo para ser abençoado é este: não se contaminar com o mundo. Mas isto não se dá por imposição, segundo normas e regras, por legalismo, mas dever ser espontâneo, resultado do temor e da reverência ao Senhor. Daniel assentou no seu coração, não foi o “pastor” dele que lhe obrigou, não era a “igreja” dele que o proibia, mas ele, sendo servo do Senhor, com fidelidade, temor e reverência, determinou santificar-se. Que possamos seguir o mesmo exemplo.

Nos dias de Dario, o reino estava confiado a três governadores, e Daniel era um destes governadores, homens de confiança do rei, pessoas honestas dignas de credito. Dario pensava em colocar Daniel como governador geral.

Foi neste momento que os inimigos de Daniel, aqueles que o invejavam, que não gostavam dele, procuravam meio de incrimina-lo, mas não achavam nada o que dizer contra ele, pois era íntegro e seu testemunho era notável.

Não tendo o que dizer de mal a respeito de Daniel, seus inimigos arquitetaram um plano para o eliminar. Como sabiam todos que Daniel era servo do Deus de Israel, e que três vezes por dia orava, articularam então da seguinte maneira: Convenceram o rei Dario a editar um decreto pelo qual, no espaço de trinta dias, ninguém fizesse petição a nenhum deus senão ao rei, com pena de ser morto na cova dos leões, os que descumprissem este decreto.

Quando Daniel leu o decreto, ele fez o que sempre fazia, foi orar. Os inimigos então flagraram Daniel orando (eles sabiam que ele não deixaria de orar), então o denunciaram ao rei. Quando trouxeram Daniel ao rei, isto lhe foi muito desagradável, pois Dario gostava muito de Daniel, mas o decreto não podia ser revogado. O rei tentou o dia todo, mudar aquilo, mas não conseguiu, e no fim do dia não teve jeito, Daniel tinha que ir para a cova dos leões.

Mesmo sendo fieis a Deus, às vezes passamos por momentos difíceis na nossa caminhada, somos provados, e por permissão do Senhor, assim como Daniel nós vamos à cova. E quando é o propósito de Deus, ninguém pode fazer nada para nos livrar. A cova dos leões ás vezes é inevitável, vamos ter que descer a ela, mas com uma certeza, o Senhor nos há de livrar.

“E, falando o rei, disse a Daniel: O teu Deus, a quem tu continuamente serves, ele te livrará.” Dan. 6:16

·         Deus pode até não impedir que entremos na cova, mas ele entrará conosco.

·         Deus pode até não fazer nada para que não entremos na cova, mas certamente ele  fará tudo para sairmos de lá sem dano algum.

·         Ser jogado na cova não foi novidade nenhuma naquele reino, mas sair vivo e sem nenhuma lesão, isto foi inédito.

·         Os que se alegraram quando te viram descer à cova vão se espantar quando te virem sair com a vitória nas mãos e vão ter que reconhecer que o nosso Deus é quem nos livra.

·         É impossível passar uma noite numa cova na companhia de leões devoradores pois em minutos seria devorado, mas quando tem um servo do Altíssimo, ele manda seu Anjo pra fechar a boca dos leões.

·         Daniel foi sentenciado à morte, mas o Senhor Todo Poderoso desfez esta sentença trazendo-o à vida. Se o nosso inimigo quiser nos destruir, maior é o que está em nós que nos fará vencer.

·         Se o Senhor permitiu você descer à cova dos leões é porque ele estará lá também e nenhum leão vai se “meter a besta” contigo, pois é Jesus que conosco está, e o seu sangue nos garante a vitória.

·         O que marcou a passagem de Daniel pela cova dos leões não foram os leões mas o anjo do Senhor que fechou a boca dos tais. Na hora da tua cova, não valorize os leões mas olhe para aquele que é maior do que eles, olhe pra Jesus o Todo Poderoso, e veja o grande livramento que ele operará.


No dia seguinte o rei correu à entrada da cova e disse:  “Daniel, servo do Deus vivo, dar-se-ia o caso que o teu Deus, a quem tu continuamente serves, tenha podido livrar-te dos leões?”

Interessante o sobrenome que Dario deu a Daniel: SERVO DO DEUS ALTÍSSIMO. Será que podemos ser chamados assim também?

O testemunho também continuava sendo uma marca na vida de Daniel: O TEU DEUS, A QUEM TU CONTINUAMENTE SERVES. Será que o nosso testemunho é este, servos que continuamente estão servindo ao Senhor?

Alguém deve ter achado que Dario estava louco, falando sozinho junto à cova, pensavam que de Daniel nem osso mais existia.

Mas a  resposta foi um brado lá do fundo da cova:  “Ó rei, vive para sempre!   O meu Deus enviou o seu anjo, e fechou a boca dos leões, para que não me fizessem dano, porque foi achada em mim inocência diante dele; e também contra ti, ó rei, não tenho cometido delito algum.”

Quando as pessoas te perguntarem: E aquele problema? E aquela luta? Você poderá dizer também: O MEU DEUS ENVIOU O SEU ANJO E ME LIVROU. Assim poderemos testemunhar do poder do nosso Jesus, nele nós somos mais que vencedores.

O rei então muito se alegrou e mandou logo tirar Daniel lá de dentro da cova dos leões:  “Assim foi tirado Daniel da cova, e nenhum dano se achou nele, porque crera no seu Deus.”

Creia também no Senhor, e ele te livrará. “O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.” (Sl. 30:5)

Os inimigos foram então para a cova e morreram, mas Daniel saiu cantando vitória no Senhor seu Deus e nosso Deus.



Um novo decreto agora foi editado, tornando sem efeito o anterior, agora o povo tinha que reconhecer a grandeza e o poder do Deus de Daniel:

“Da minha parte é feito um decreto, pelo qual em todo o domínio do meu reino os homens tremam e temam perante o Deus de Daniel; porque ele é o Deus vivo e que permanece para sempre, e o seu reino não se pode destruir, e o seu domínio durará até o fim. Ele salva, livra, e opera sinais e maravilhas no céu e na terra; ele salvou e livrou Daniel do poder dos leões.”

1 .    PORQUE ELE É O DEUS VIVO
2 .    QUE PERMANECE PARA SEMPRE (ETERNO)
3 .    O SEU REINO NÃO SE PODE DESTRUIR
4 .    O SEU DOMÍNIO DURARÁ ATÉ O FIM
5 .    ELE SALVA
6 .    LIVRA
7 .    OPERA SINAIS E MARAVILHAS NO CÉU E NA TERRA


Nosso Deus é vivo, Eterno, o seu reino é indestrutível, seu domínio é para sempre, ele é o nosso Salvador, ele nos livra do mal, ele opera sinais e maravilhas, seu nome é JESUS, O TODO PODEROSO.




LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...