Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

Série de Estudos Sobre a 5ª Medida

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

A REVELAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS

A REVELAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS
“Mas se andarmos na luz, como Ele na luz está, temos comunhão uns com os outros e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.” 
I João 1:7
1 -        Introdução
No sentido restrito, a revelação faz parte de um dom espiritual, o dom de ciência, juntamente com o sonho e a visão.
No sentido amplo, a revelação é o conhecimento do projeto de Deus para o homem.


O Senhor está realizando uma obra, Ele traçou um projeto para esta obra e o conhecimento deste projeto (que é um mistério para o homem) vem através da revelação.
Nós podemos dizer, então, que a revelação, no sentido global, é o conhecimento do projeto de Deus para o homem. Deus tem um projeto para a eternidade do homem e o conhecimento deste projeto nós chamamos de A Revelação.
Muitas pessoas  têm experiência com a revelação enquanto dom espiritual, mas ainda não conheceram a revelação enquanto conhecimento de um projeto eterno para o homem, de um mistério que chega até nós através da revelação.
2 -        Os Dois Universos
Nós entendemos que existem dois projetos, dois universos criados por Deus. São eles:
Universo da Obra Criadora e Universo da Obra Redentora.
3 -        Universo da Obra Criadora.
O nome pode parecer um pouco complexo, mas nada mais é do que o universo que contem toda a criação de Deus. Para toda a criação de Deus nós chamamos de Universo da Obra Criadora.
a)  O tempo.
A característica deste universo é a temporalidade, aqui tudo é finito, tudo tem um limite, toda a criação é em parte, nada é completo , nem definitivo, tudo vai passar, a vida não é plena, ela acaba.
Quando Deus criou todas as coisas pela sua palavra, Ele usou o verbo hebraico barah, que significa criar do nada para existir por um tempo determinado. Esse verbo aparece poucas vezes na Bíblia, mas em todas elas, ele está relacionado com a pessoa de Deus.
Quando Deus criou tudo, Ele assinalou a sua criação com uma sentença de fim, Ele determinou que tudo é parte e que vai acabar.
O tempo do homem é contado pelas gerações. Davi disse:
“Pois tens sido o meu refúgio e uma torre forte contra o inimigo... Prolongarás os dias do rei; e os seus anos serão como muitas gerações.” Salmos .61:3 e 6
A temporalidade do homem é algo que está patente. Quando o homem nasce, ele começa a contar o seu tempo para a morte. Podemos dizer que alguns estão contando o seu tempo para a morte há trinta anos, outros há quarenta anos. Moisés disse:
“Pois todos os nosso dias vão passando na tua indignação; acabam-se os nossos anos como um conto ligeiro. A duração da nossa vida é de setenta anos, e se alguns, pela sua robustez, chegam a oitenta anos, o melhor deles é canseira e enfado, pois passa rapidamente, e nós voamos.” Salmos. 90:9 e 10
É neste universo temporal que o homem exerce a sua história, sabendo que a sua vida é limitada. É aqui neste universo que o homem tem um sentimento nato da presença de Deus, ele luta com todas as suas forças para trazer uma resposta ao seu interior, ao que ele chama de “ganhar a vida” e ele passa toda a sua efêmera existência a ganhar a vida, procurando uma resposta para o vazio do seu interior.
O Senhor Jesus disse:
“Quem achar a sua vida perde-la-á; e quem perder a sua vida por amor de mim acha-la-á.” Mateus. 10:39
Quanto mais o homem corre para ganhar a vida, mais ele a está perdendo; e aqueles que, segundo o seu conceito de felicidade, conseguem ganhar tudo aquilo que queriam, acabam-se tornando profundamente infelizes porque eles descobrem que a sua infelicidade decorre da ansiedade da alma e essa ansiedade só o Senhor pode corresponder.
A vida neste universo está relacionada com o tempo, ela não é uma vida plena, ela é limitada, dia a dia ela avança para um fim.
b)  A luz
Neste universo nós também conhecemos a luz, mas não a conhecemos como um todo porque aqui ela também é parte, porque a luz que conhecemos está relacionada com velocidade. A velocidade é uma evidência do nosso universo criador, tudo o que nós fazemos está dentro de uma velocidade, por exemplo, quando nós andamos, isso acontece dentro de um tempo consoante a velocidade que empregamos nisso.
A luz do sol é decorrente de explosões que acontecem naquela estrela, ela não é uma luz plena. A luz artificial, como a elétrica, por exemplo, também não é uma luz plena. Nós não conhecemos a luz como um todo no nosso universo.
Então, neste universo nós conhecemos:
Vida relacionada com o Tempo / Luz relacionada com Velocidade.
4 -        Universo da Obra Redentora.
O universo da obra redentora é a eternidade onde Deus está, é uma outra dimensão e nesta dimensão de Deus.
a)  O Tempo
A grande evidência é que o tempo não existe.
Se nós quiséssemos representar o tempo de Deus, teríamos que demonstrá-lo através de uma linha que se prolongaria infinitamente para a direita e para a esquerda já que o tempo neste universo não existe, é tudo eternidade. Nesta dimensão tudo é pleno, nada é em parte, a vida é eterna, não é limitada, ela existe por si só, ela não está relacionada com o tempo.
b)  A Luz
Também neste universo nós conhecemos a luz plena, ela existe por si só, não está relacionada com nada.
No princípio criou Deus os céus e a terra e disse: Haja luz.
A luz é a primícia da criação, é a luz plena, ela é o todo, essa luz aí não é a claridade provocada por nenhum elemento, o sol foi criado depois, o sol em si mesmo não é luz.
A grande evidência do universo da obra redentora é que tudo existe plenamente, a luz é plena, a vida é plena porque é eterna, não há limites, tudo é possível.
o   A velocidade da Luz.
O cientista Albert Einstein na sua Teoria da Relatividade descreveu os efeitos do movimento na forma de valores observados de comprimento, massa e tempo. Uma conseqüência dessa teoria é que a massa (m) é equivalente à energia (E), um conceito expresso pela equação E=mc2, onde (c) é a velocidade da luz. Einstein demonstrou que existe uma equivalência entre eles:  energia é igual a massa de um corpo, pelo quadrado da velocidade, ou seja, quando a velocidade aumenta muito, a massa diminui e pode chegar a tal ponto que a massa quase desaparece, virando energia.
Com essa equação, Einstein postulou que o princípio da relatividade sustenta-se nas leis da física, mas também no que diz respeito à velocidade da luz.
O valor da velocidade da luz é de, aproximadamente, 300.000.000 m/s, é a maior velocidade conhecida, enquanto que a velocidade do som é de, aproximadamente, 300 m/s.
Einstein evidenciou a existência de uma relação entre velocidade e tempo.
Exemplificando:
Se daqui a New  York gastamos 1h/100km, se dobramos a velocidade para 200 km/h, gastaremos 30 minutos; 400 km/h, 15 minutos. À medida que a velocidade for aumentando, o tempo diminui até que finalmente desaparece, a pessoa sai e chega ao outro lugar no mesmo tempo. Tem umas pessoas exageradas que dizem que a uma velocidade altíssima, a pessoa sai agora e chega lá antes de ter saído, isso é ficção.
Então, o que Einstein quis demonstrar é que quanto mais a velocidade aumenta, mais o tempo tende a desaparecer até o momento em que vira zero, aí então tudo é transformado em energia.
Para se ter uma idéia de como é grande esta velocidade da luz, vamos compará-la com a velocidade do som. Na velocidade da luz percorremos 300.000 km em 1 segundo. Na velocidade do som percorremos 300.000 km em 11 dias, viajando dia e noite, sem parar.
o   No que esta fórmula pode interessar ao nosso estudo?
Na sua primeira epístola o apóstolo João disse:
“Mas se andarmos na luz, como Ele na luz está, temos comunhão uns com os outros e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.” I João 1:7
O que João quis dizer é que quando o homem entra na velocidade da luz, que é Jesus, ele sai do tempo do homem e entra no tempo de Deus, ele sai do tempo da razão e entra no tempo da revelação, mas para que isso aconteça é preciso que ele diminua, para que a sua massa desapareça, para que a razão do homem desapareça e ele passe a andar na velocidade da luz, não dessa luz que nós conhecemos, mas da luz verdadeira, que é Jesus.
Quando nós entramos na velocidade do Senhor Jesus, nós estamos entrando na velocidade da revelação e quando isso acontece, a massa desaparece, o homem desaparece e o tempo desaparece e isso significa que nós saímos do tempo do homem e entramos no tempo de Deus, e é por isso que quando estamos na presença do Senhor acontece aquilo que o salmista disse:
“Porque vale mais um dia nos teus átrios do que em outra parte mil.” Salmos 84:10
O salmista sabia que a melhor coisa para nós é estarmos nos átrios do Senhor, nada do mundo se equivale a isso, o mundo não pode dar isso. Ele aqui fala de uma outra dimensão, que é o tempo de Deus.
Quando nós saímos do nosso tempo, do tempo da razão, do tempo do homem e entramos no tempo de Deus, nós entramos numa outra dimensão, que é a dimensão de Deus, que é a eternidade.
c)  Tudo é Possível
No universo da obra redentora todas as coisas são possíveis e é por isso que nós vemos maravilhas acontecerem no nosso meio quando nós alcançamos essa velocidade plena, que é de Deus. Nesta posição, o mudo fala, o surdo ouve, o paralítico anda, curas impossíveis são realizadas porque no tempo de Deus tudo é possível.
O homem que quer ter uma experiência com Deus, ele precisa entrar neste tempo da luz, que é o Senhor Jesus e para isso ele precisa crer, a massa precisa desaparecer, virar zero. Por isso Paulo disse:
“Porque quando estou fraco (na carne) então sou forte (no espírito).” II Coríntios 12:10
5 -        Diminuindo a Massa
Jesus é o Rei da glória, Ele estava na glória e veio ao mundo para cumprir o projeto de Deus, Ele se fez o mais humilde de todos os homens, e para conhecê-lo é preciso descer à humildade dele, porque se o homem não diminuir a sua massa, se a carne dele não desaparecer, ele não poderá conhecer a Jesus, ele não chegará à humildade de Jesus, que foi o mais humilde dos homens. Para conhecer a revelação é preciso que a massa desapareça, é preciso que o homem desça à humildade de Jesus, saindo da razão e entrando na revelação, onde o Senhor revela coisas maravilhosas.
Todos os servos usados pelo Senhor desceram ao zero. O profeta Daniel buscava ao Senhor com jejuns, saco e cinzas, ele sentia dores com a presença do Senhor porque ele se diminuía. João caiu como morto, acabou a carne. Se nós quisermos também uma experiência com o Senhor, se quisermos alcançar a vida que está nele, precisamos reduzir a zero a nossa massa, que é a carne, que é a razão.
Paulo era um homem de muito conhecimento, de muita cultura, de muita projeção, cidadão romano, mas quando essas coisas vinham à tona na sua mente, ele tinha problemas, surras, chicotadas, naufrágio, mas ele dizia:
Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a tribulação que nos sobreveio na Ásia, pois que fomos sobremaneira agravados, mais do que podíamos suportar, de tal modo que até da vida desesperamos (não esperamos mais).”            II Coríntios 1:8
Mas era nessas situações que ele tinha as grandes experiências com o Senhor e muitos que estão aqui, para os quais o Senhor tem um plano, mas que ainda não têm a capacidade de alcançar algumas coisas que o Senhor quer mostrar, o Senhor vai permitir algumas lutas, alguns vão ser quebrados porque quando o vaso é quebrado, o Senhor faz outro, é a única forma que o Senhor usa para dar uma outra mentalidade e vão chegar ao ponto de dizer:
“Já estou crucificado com Cristo e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim.” Galatas 2:20
Quando Paulo foi preso em Filipos (At. 16:22), ele apanhou muito, mas ele não perguntou o porquê, ele não perguntou se tinha havido alguma revelação errada, nada disso, o que ele dizia era somente:
“Por cuja causa padeço também isso, mas não me envergonho; porque eu sei em quem tenho crido e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até àquele dia.” II Timóteo 1:12
À meia-noite, Paulo e Silas, encarcerados, cadeias nas mãos e nos pés, glorificavam, com louvores, o nome do Senhor. O anjo do Senhor apresenta-se junto àqueles servos que se fizeram nada para que a luz do Senhor apareça e possa operar as maravilhas em suas vidas; eles saíram da razão e entraram na velocidade da revelação, na direção de Deus, na luz que é Jesus.
Quando entramos na luz de Jesus, nós tomamos conhecimento do projeto que Ele traçou para o homem. O seu projeto é de eternidade. O homem é um ser temporal e Deus é um ser eterno, e no seu projeto Ele quer dar a eternidade ao homem que é um ser mortal.
6 -        O que aconteceu com Adão e Eva?
Eles estavam na eternidade. Qual era a idade deles na eternidade?
Impossível dizer porque na eternidade o tempo não existe, masquando eles ouviram a voz da serpente, eles saíram da velocidade da luz e entraram na velocidade do som, na velocidade da razão do homem porque ali eles já tinham o conhecimento do Bem e do Mal, sabiam discernir.
Quando Deus perguntou a Adão o que tinha acontecido a ele, porque ele estava-se escondendo, e se ele havia comido da árvore do conhecimento do Bem e do Mal, ele foi logo dizendo: Foi a mulher que tu me deste.
Ele tinha razão?
Tinha sim, o que ele não tinha era revelação.
Da mesma maneira quando Deus pergunta à mulher porque ela fez aquilo, ela diz logo: Foi a serpente.
Ela tinha razão?
Também tinha, só não tinha revelação.
Eles saíram da velocidade da luz, da revelação e entraram na velocidade do som, na velocidade da razão, não precisaram nem de pára-quedas, caíram direto aqui na terra, que é o lugar onde o homem morre.
Deus não tem prazer na morte do homem e por isso Ele traçou um projeto de resgate e o conhecimento desse projeto é a revelação.
O projeto de Deus é um só, Ele enviou o seu Filho Unigênito para pagar um preço pelas nossas vidas, vida por vida, esse preço vem da eternidade, passa pelo tempo do homem e volta para a eternidade.
Quando esse projeto passa na sua vida, você (que tem o conhecimento do Bem e do Mal e tem o livre arbítrio) pode escolher se quer entrar nele ou não, é um direito seu.
7 -        A vida antes de Adão.
O que havia antes de Adão? Houve a era glacial? Quando foi que o macaco virou gente?
Dentro do seu tempo eterno, Deus criou um tempo para o homem, não sabemos se Deus criou um projeto para os macacos, só sei que Ele criou um projeto para o homem e é isso que nos interessa. Todos ficam procurando o elo perdido, o macaco-homem (ou homem-macaco), mas pergunta-se: Quem tirou o rabo do macaco? Quem ensinou o macaco a falar? Por que ainda existem macacos? Houve acepção de macacos? O certo é que o homem de hoje está virando primata, macaco porque estamos vivendo a era da imitação, se um aparece com os cabelos compridos, ninguém corta os cabelos, se é cabeça raspado, se é com roupa, se é sem roupa... depois de todo aquele trabalho para vestir o índio.
Se isso aconteceu lá atrás, não contradiz a Palavra, não é nosso problema porque nós estamos no tempo de Adão, somos sua descendência. Se há alguém descendente do macaco, preciso saber se Deus fez um projeto para ele. Deus fez um projeto para os descendentes de Adão e neste projeto nós temos a eternidade.
Quando o homem caiu, Deus providenciou um projeto para o seu resgate. Se o homem não for humilde como Jesus foi (ao ponto de morrer por nós) e sair do seu orgulho, da sua vaidade, da sua razão, ele não vai conhecer o projeto porque esse projeto só é conhecido através da revelação, que é Jesus. Não se alcança esse projeto pela razão, nem pela cultura, nem pelo dinheiro, nem pelo poder, nem pela caridade humana, nem pela fórmula de Einstein, somente pela revelação, que é Jesus.
Muitos, no passado, alcançaram, outros não. Abel alcançou? Sim. Caim alcançou? Não. Jacó alcançou? Sim.  Esaú alcançou? Não. Você alcançou?
Neste ponto não há mais ou menos, ou entra ou não entra.

O projeto vem da eternidade, passa pelo tempo do homem e nesse ponto ele tem a faculdade de decidir o seu futuro, se vai ser na eternidade com Deus ou não.  uem escolher por entrar neste projeto, tem a vida eterna.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...