Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

ESPECIAL REFORMA PROTESTANTE

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

ONDE ESTA O CORPO?


“E, estando elas muito atemorizadas, e abaixando o rosto para o chão, eles lhes disseram: Por que buscais o vivente entre os mortos?” Lucas 24:5
1 -        Introdução
A pergunta é: Onde está o corpo?
A que corpo esta pergunta está-se referindo?
Ao corpo de Jesus, que é a Igreja Fiel.

A Palavra diz que a Igreja é o corpo de Cristo, então a pergunta seria Onde está a Igreja Fiel?
O corpo pode-se apresentar de duas maneiras, ou ele está vivo ou ele está morto, então nós vemos que o elemento principal é a vida, o corpo que não tem mais vida é um corpo morto.
A primeira coisa que nós observamos é aquilo que Jesus transmitiu para nós no momento da ceia. Ele partiu o pão e disse: Isto é o meu corpo, que por vós é dado, fazei isto em memória de mim. (Lc. 22:19)
Jesus estava entregando o seu ministério para a Igreja que ia começar, ali representada pelos seus apóstolos, a partir dali, toda a ministração do ministério de Jesus passaria a acontecer na Igreja.
Então, onde está o corpo? Onde está essa ministração de Jesus, onde está o ministério de Jesus?
No corpo que está vivo.
2 -        O corpo Morto.
A principal característica de um corpo morto é a morte cerebral, isso define a morte de um corpo. A pessoa está num estado grave, evoluindo para o óbito, o coração ainda bate, as funções em plena atividade, mas o médico chega e diz para a família: O paciente já teve morte cerebral.
Morte cerebral significa, praticamente, morte do corpo porque o cérebro é o comando de todo o corpo, portanto, quando o cérebro morre, o corpo fica sem comando. A Bíblia mostra, claramente, que a Igreja é corpo. Mas quem é o cabeça desse corpo? É Cristo. Então nós vemos que a primeira identificação, a primeira evidência de morte do corpo, que é a Igreja, é quando Jesus deixa de ser o cabeça desse corpo.
Você pode até ter um corpo com todas as suas características, mas é um corpo morto.

a)  Sem o Governo de Jesus
A característica de morte do corpo é a ausência de governo, o cabeça não governa mais. A Igreja, como corpo, morre quando Jesus não é mais o governo, quando o Espírito Santo já não governa mais. Quando o cabeça morre, a morte do corpo já está decretada.
Quem governa aqui é o conselho administrativo da Igreja? Quem governa aqui é o conselho de anciãos da Igreja? É o grupo de pastores? É o colegiado? Se for assim, esse é um corpo morto. No corpo vivo, o cabeça está vivo, está no comando. A Igreja é corpo e o cabeça desse corpo é Cristo.
b)  Incessível à Luz
Às vezes chega um paciente que sofreu um acidente grave e nem sempre se pode fazer um eletroencefalograma para saber se ele está vivo ou morto, então o médico da emergência abre o olho do paciente e fica acendendo e apagando uma luz direcionada para a pupila, se ela abrir e fechar por causa da luz, é sinal de que há vida, isso porquea pupila é fotoreagente, ela se dilata e contrai devido a luz. Se não houver reação à luz, é um sinal claro de que houve morte cerebral, é um indício de morte.
A Igreja que não reage à revelação, ela está praticamente morta, porque a revelação é a luz.
Um corpo morto, um corpo sem comando, não tem como caminhar sozinho, ele precisa de gente para levá-lo. Você pode enterrá-lo de qualquer maneira, ou de cabeça para baixo, ou em pé, ou de lado, não vai fazer diferença porque ele está morto.
3 -        O corpo Vivo.
Uma das características do corpo vivo é o dinamismo. Ele se move em todos os sentidos, porque tem um comando que o direciona, que o orienta. O corpo vivo é dinâmico porque a vida é dinâmica, ninguém fala de vida como se fosse uma coisa estática. Quando você vai dormir, você não desliga o seu coração e volta a ligar na manhã seguinte quando acordar, a vida é um processo dinâmico.
a)  Ações Voluntárias
Há certas ações do corpo que dependem da sua vontade, mas que são aceitas pelo cérebro. Por exemplo, eu quero andar e ando, eu quero sentar e sento, eu quero deitar e deito, mas também isso depende do comando do cérebro. Se tiver um dano cerebral, até estas ações serão prejudicadas, por mais simples que nos pareçam ser.
Com a Igreja acontece a mesma coisa, há certas coisas que o Senhor nos permite fazer, você pergunta:Senhor, posso fazer isto?  Pode.  Posso fazer aquilo?  Pode.  Posso resolver isso?  Pode.  Há coisas com as quais o Senhor concorda conosco.
b)  Ações Involuntárias
Há coisas que o nosso sistema nervoso central controla independentemente da nossa vontade. Por exemplo, você manda o seu coração bater? Você manda o seu aparelho digestivo funcionar? O estômago se contrair? Não, isso depende do sistema nervoso autônomo, ele trabalha independe da sua vontade.
Isso também acontece na Igreja. Há coisas que o Senhor faz independente da nossa solicitação, da nossa vontade, porque Ele é o comando de tudo.
c)   Circulação do Sangue
Uma outra característica do corpo vivo é o sangue circulando, isso é fundamental. O coração não pode parar de bater porque o sangue não pode parar de circular no corpo.
Quem é esse sangue que circula no corpo, que é a Igreja? É o Espírito Santo.
Quando o Espírito Santo pára de operar na Igreja, tem que correr depressa porque está acontecendo alguma coisa. É clamar, é buscar, é madrugada, para saber qual é o problema. O culto profético não está funcionando? Não está havendo dons na igreja? Uma igreja sem culto profético é uma igreja morta.
Uma igreja sem culto profético é uma igreja onde o Espírito Santo não está operando. É hora de clamar, de buscar, colocar a Igreja para funcionar.
O Espírito tem que estar operando e você vai entender esse corpo de acordo com aquilo que o Senhor estiver orientando.
d)  Necessidade de Alimentação
De que se alimenta o corpo para viver? O que alimenta a Igreja é tudo aquilo que o Espírito Santo faz.
Jesus é o pão vivo que desceu dos céus, Ele é a Palavra. Um dos elementos fundamentais para a Igreja é a Palavra revelada, é ela que alimenta o corpo. A letra mata, porque ela alimenta o intelecto, ela alimenta a razão, mas a Palavra revelada alimenta o corpo de Cristo.
Por quê? Porque junto da Palavra revelada vem toda a manifestação do Espírito Santo, é um conjunto.
Quanto mais de Palavra revelada uma igreja tem, mais ela se fortalece, mais ela cresce.
Cada revelação é um impulso para o corpo, é sangue, é Espírito, cada revelação é um impulso do cabeça que é transmitido ao corpo através do sangue de Jesus, injetando vida a cada momento. É por isso que a Palavra diz que o dom é para a edificação da Igreja.  Todas as vezes que o Espírito Santo se manifesta na Igreja, ela cresce, ela se fortalece, ela se desenvolve, isso é fundamental na vida da Igreja porque é a operação do Espírito Santo na sua vida.
e)  Definição de Obra
A Obra é o corpo cuja cabeça é Cristo, ela é a realização de um projeto de Deus.
  • Qual é a diferença entre a Obra e a Tradição?
Na Tradição, o material governa o espiritual, isso é obra de homem. Pode até usar o nome de evangelho, mas não é obra de Deus.
  • Qual é a diferença entre a Obra e os Movimentos?
Assim como na Tradição, também existem servos de Deus, homens abençoados, nos Movimentos, mas eu não estou falando em salvação, estou falando sobre a obra que Deus quer realizar.
A Obra tem revelação. E os Movimentos, eles também têm revelação? Sim, eles também têm, mas existe um problema, é que eles misturam a revelação com a razão e aí, o que acontece?
A razão anula a revelação, eles anulam o projeto de Deus, eles aniquilam com tudo aquilo que é corpo porque dão ênfase ao homem individual.
f)    Ação da Palavra Revelada
O que alimenta o corpo é a Palavra revelada e tudo o que vem dela, tudo aquilo que dela resulta.  As experiências são resultado da Palavra revelada, os dons do Espírito são resultado da Palavra revelada, o corpo é resultado da Palavra revelada.  Por quê?
Porque o dom não é um elemento isolado, você tem o dom, mas tem o discernimento.
Se a Palavra é revelada, ela tem uma autoridade especial.  Qual é esta autoridade?  De onde ela vem? Ela vem do Senhor.
“E eles, tendo partido, pregaram por todas as partes, cooperando com eles o Senhor, e confirmando a palavra com os sinais que se seguiram.” Marcos 16:20
Se a Palavra é revelada, então ela não é minha, ela é do Espírito Santo, aquilo que eu prego é confirmado pelo Espírito Santo. A Igreja, nesta hora, se alimenta disso.
Quanto mais ela tem do Espírito Santo, mais vida ela tem, e quanto mais vida, mais revelação, e quanto mais revelação, mais do Espírito ela terá. É um ciclo de vida extraordinário dentro da Igreja, é o sangue circulando sem parar. Quanto mais o Espírito Santo opera, mais a Igreja tem sinais do Espírito Santo, a revelação está presente. Quanto mais o Espírito se revela, mais a Igreja é edificada. É um processo dentro da Igreja, um processo de vida
g)  Evidências do Ministério de Jesus
Nós estamos falando da expressão do ministério de Jesus vivo na vida da Igreja. Isso é corpo vivo, é o corpo onde estão identificados os sinais do ministério de Jesus, é a mesma Igreja primitiva, não há diferença. A Igreja primitiva pregava Jesus ressuscitado e a Igreja dos últimos dias prega que Jesus vai voltarSão duas mensagens difíceis.  Nesta hora, há necessidade da operação do Espírito Santo.
Pregar a ressurreição é mostrar ao mundo o corpo de Jesus vivo. O mundo está envolvido com a sua cultura, com a sua ciência, com a sua intelectualidade, é o mundo racional e a Igreja vai pregar exatamente aquilo que está além da razão, que é a revelação, que é aquilo que atinge o coração do homem.  É por isso que Paulo disse:  As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam.  (I Co. 2:9)
A graça é a expressão que vem do interior do homem, é aquilo que o Espírito Santo opera no interior do homem. O homem cheio do Espírito Santo, é um homem cheio de gratidão ao Senhor, cheio de fé, que são tipos de exemplos daquilo que é a operação do Espírito Santo na vida da Igreja, na vida do homem.
h)  Crescimento
Uma outra característica do corpo vivo é o crescimento.
Porque é crescer na graça e no conhecimento, é crescer no tamanho e no entendimento.
Você leva uma criança de um ano ao médico.  Ele examina, coloca os dados na ficha dela.  Dois anos depois a criança volta lá, o pediatra examina e vê, pelos dados anteriores que ela não cresceu nada. Tem alguma coisa errada.  Com um ano ela media 70 cm, vai lá com três, o pediatra olha... Eu acho que ela diminuiu, eu acho que ela está com 69,5 cm.
Com a Igreja é a mesma coisa. Você vai numa igreja, o trabalhinho está começando agora, tem quinze membrosl  Dois anos depois, você volta lá.. Quantos membros tem agora? Tem quatorze. Espera aí, tem alguma coisa errada, diminuiu, tinha quinze e agora tem quatorze
O crescimento também não pode ser somente no tamanho, um rapaz de quinze anos não pode chegar no consultório do clínico geral chupando chupeta, sem saber se expressar direito, falando “criancês”, ficar sentado no chão.  Ele cresceu fisicamente, mas no entendimento ele ainda está com três anos.
Com a Igreja é a mesma coisa, se ela cresceu em número, mas ainda não entendeu nada de Obra,  tem alguma coisa errada.
O aperfeiçoamento do corpo consiste em crescer: na graça (a Igreja cresce no tamanho) e no conhecimento(ela cresce na profundidade, no conhecimento da doutrina, na experiência com os dons, na intimidade com o Senhor).
4 -        O Pentecostes.
O Pentecostes foi muito importante para a Igreja. Por quê?
A Igreja estava reunida e o Espírito Santo veio sobre ela e eles falaram uma só língua, enquanto os que estavam à sua volta falavam em línguas diferentes.
O Espírito Santo uniu a Igreja em uma só língua, numa língua que não era a língua dos homens. Os que estavam ali entendiam o que era falado pela Igreja em seu próprio idioma, mas o que estava sendo falado pela Igreja era a língua dos anjos.
O que o Senhor fez ali conosco, como Igreja, foi exatamente a inversão daquilo que Ele fez em Babel, quando os homens tentavam alcançar os céus pelos seus próprios meios. Todos falam a mesma língua e então Deus fez uma multiplicação de línguas de maneira que ninguém se entendia mais.
A Religião tentou chegar aos céus pelos seus próprios recursos, cada segmento passou a falar uma língua diferente, eles se tornaram diferentes, cada um passou a pregar um tipo de argumento, um conceito próprio, mas o Espírito Santo veio e uniu a Igreja em uma única língua, que não é a língua do homem, mas que é a língua do Espírito Santo, que é a revelação.
A revelação unificou a Igreja, colocando-a dentro de um só pensamento, falando a mesma língua, que é a língua dos anjos, que é a língua do Espírito Santo.
A revelação fez com a Igreja exatamente o oposto daquilo que aconteceu em Babel.
A Igreja é corpo e como corpo ela traz a identificação com o Senhor Jesus e com o seu ministério, sem isso ela é um corpo morto.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...