Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

ESPECIAL REFORMA PROTESTANTE

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

A inscrição em cima da Cruz (por Judith Green)

A inscrição em cima da Cruz (por Judith Green)

A inscrição em cima da Cruz (por Judith Green)
A nona estação da cruz, Via Dolorosa, Jerusalém. No fundo pode ser vista a cúpula da Igreja do Santo Sepulcro, local tradicional da crucificação de Jesus.
“Pilatos escreveu também uma inscrição e a colocou em cima da Cruz. Nela estava escrito: Jesus Nazareno, o Rei dos Judeus. Muitos dos Judeus leram esta inscrição, porque o lugar onde Jesus foi crucificado ficava perto da cidade; e estava escrito em Hebraico, em Latim e em Grego”. (João 19:19-20).
Uma intrigante passagem no Evangelho de João, descreve detalhadamente a crucificação, incluindo a inscrição escrita pelo próprio Pilatos e afixada à cruz. A acusação oficial contra Jesus parece ter sido desafiar a autoridade dos Romanos na Judéia proclamando si mesmo, ou sendo proclamado, “Rei dos Judeus”. É bastante plausível que havia essa inscrição, proclamando o crime do homem sendo punido, como sabemos dessa prática de outras fontes históricas Latinas do período em que se descreve os criminosos usando sinais em torno de seu pescoço, ou acima de seus corpos, descrevendo seu crime e castigo.
Na verdade, todos os quatro Evangelistas mencionam a inscrição em cima da Cruz, mas só em João a inscrição, chamada  titulus em Latim, é  relatada como sendo em três idiomas. Enquanto se discute acaloradamente sobre a língua que o próprio Jesus falava (talvez mais de uma?), este versículo deixa clara a natureza tri-lingue de seu ambiente Palestino. O afresco abaixo do pintor Renascentista Italiano, Fra Angelico, de um Mosteiro Dominicano em Fiesole (1434),  ilustra as línguas da inscrição na barra horizontal da cruz. Esta representação cuidadosa reflete o novo interesse nas línguas antigas  durante o Renascimento. A versão Latina mencionada em João, IESUS NAZARENUS REX IOUDAEORM, resulta na  sigla INRI, uma abreviação que é encontrada em cima da cruz em tantas imagens.  O Grego, Ἰησοῦς ὁ Ναζωραῖος ὁ Βασιλεὺς τῶν Ἰουδαίων = Jesus o Nazareno, o Rei dos Judeus, dá origem a uma discussão entre os Judeus e Pilatos nos versículos seguintes em João:...



A inscrição em cima da Cruz (por Judith Green)
Fra Angelico, dum Mosteiro Dominicano de Fiesole (1434)
“ Então os Sumos Sacerdotes dos Judeus diziam a Pilatos, ‘não escreva O Rei dos Judeus, mas  Ele disse eu sou  Rei dos Judeus.’ Mas Pilatos respondeu, “O que escrevi, escrevi.” (João 19:21-22).
O que perturba os Sumos Sacerdotes? Aqui está um ponto de gramática Grega! Em Inglês, há uma diferença entre dizer “o livro” e “um livro”. “O” é chamado o “artigo definido”, e indica um livro específico e  definido. Considerando que “a” é o “artigo indefinido”, e indica  qualquer livro,  ainda não especificado. Em Grego, há também um artigo definido e é utilizado na inscrição de Pilatos, referindo-se aO Rei dos Judeus, um título absoluto. Claro, os Sumos Sacerdotes não aceitam este título para Jesus; eles só estão dispostos a aceitar o fato de que ele poderia  ter chamado a si mesmo Um Rei dos Judeus, talvez uma das muitas pessoas que se chamavam a si mesmas com este título. É muito perspicaz de João, tanto em termos de psicologia Judaica, o ambiente lingüístico Palestino e em seu entendimento  da gramática Grega! Novamente, ele se destaca dos Evangelhos sinóticos nesta descrição da cruz. A versão Hebraica dada por Fra Angelico também é correta: ישוע הנצרי ומלך היהודים = Jesus o Nazareno e o Rei dos Judeus. (difícil  ver este texto na reprodução, mas acredite em mim!).
A inscrição em cima da Cruz (por Judith Green)
A Pedra do Pilatos

Fonte:
jewishstudies.eteacherbiblical.com/
A ilustração final abaixo é uma inscrição Latina única. Chama-se a Pedra de Pilatos e é um bloco de pedra calcária com uma inscrição entalhada atribuída a Pôncio Pilatos, prefeito da província da Judeia controlada por Roma durante a vida de Jesus. A pedra foi encontrada em 1961 por uma equipe de arqueólogos Italianos e é sem igual  porque é a única descoberta arqueológica universalmente aceita com uma inscrição mencionando o nome de “Pôncio Pilatos” até hoje  – veja no final da segunda linha. Foi encontrada no antigo teatro construído por Herodes o Grande, na atual cidade de Cesaréia, que era a capital da Província da Judéia quando Pôncio Pilatos era o governador Romano.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...