Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

O ARREBATAMENTO DA IGREJA

O Arrebatamento da Igreja
Quando o homem peca (Adão e Eva), ele perde o direito de morar na eternidade com o Senhor, ele perde a benção da salvação, pois se ele continuasse a ser eterno macularia a eternidade de pecado. Então não havia outra opção para Deus a não ser lançá-lo fora da eternidade. Mas o amor de Deus para com o homem é incomensurável, e assim sendo ele traça um plano para levar o homem de volta à eternidade.

E este plano inclui o arrebatamento, que é hoje o momento mais aguardado pela igreja.
. A palavra arrebatar significa arrancar com força. Então o arrebatamento consiste no momento em que a igreja será tirada deste mundo com a força, o poder de Jesus. A igreja será então arrancada de um mundo mal para ir morar com o Senhor. O objetivo deste estudo é mostrar não só o arrebatamento, como também todo o plano de Deus ao longo dos séculos para preparar o homem para este momento, e posteriormente a isto, salvar também os judeus, seu povo amado.

Plano de Deus
1a
2a
3a
4a
Aqui se dará o arrebatamento.

O diagrama acima ilustra o plano do Senhor, chamado tantas vezes pela palavra de concerto eterno. O plano está dividido em quatro partes, e cada uma delas corresponde a uma parcela deste maravilhoso plano de redenção do homem, fruto do inefável amor do Senhor. Vamos ver bem resumidamente a 1a e 2a parte deste plano e um pouco mais detalhadamente a 3a e 4a parte, que compreendem objeto deste assunto.
1a Parte – Começa com o chamado de Abraão para que dele o Senhor formasse uma nação, afim de que dela nascesse o salvador que é o Senhor Jesus. Esta parte termina na época de Josué, com entrada na terra prometida que é Canaã,
e Israel se constituindo agora em uma nação, um país propriamente dito. Esta parte compreende cerca de 671 anos mais ou menos para se concretizar.


2a Parte – Israel é o berço do Senhor Jesus, e agora com ele formado, começa a 2a parte deste maravilhoso plano o preparo de Israel para o nascimento do Senhor Jesus, seu ministério aqui na Terra, apontando para o homem um novo caminho capaz de levar-nos de volta para a eternidade. Inclui seu sacrifício e ressurreição, termina com sua ascensão à eternidade que está descrita em Atos 1. Dura cerca de 1300 a 1400 anos.
3a Parte – Começa com a formação da igreja primitiva, com o derramar do Espírito Santo, e durará até o arrebatamento. Ou seja, compreende também nossos dias. Esta parte é chamada de período da Graça porque é a parte em que é dada a todo o homem a oportunidade da Salvação.
4a Parte – Começará após o arrebatamento, e tem dois objetivos principais, a saber: a salvação de Israel (os judeus serão os únicos que terão uma Segunda oportunidade), e o juízo sobre o homem que não aceitou a salvação de Jesus.
Nós vamos começar a ver então a 3a parte do plano eterno de Deus. Como já foi dito, compreende nossos dias e é chamado de Período da Graça porque é nesta parte que o Espírito Santo luta incessantemente para convencer o homem do pecado, é dada a todos a oportunidade de salvação. Exata oportunidade é dada duas maneiras, com a evangelização que é feita pela igreja (testemunho dos servos, convite para se ir à igreja, experiências que o Senhor dá como sonhos, etc.) e também com o cumprimento das profecias milenares dadas pelo Senhor Jesus e os profetas, que servem como sinais para o homem de que o tempo do fim está próximo. Dividiremos esta parte em 4 outras, que são:
-       Os sinais deixados pelo Senhor Jesus.
-       O toque das trombetas.
-       As profecias de Daniel
-       O reverdecimento da figueira.
Quanto aos sinais deixados pelo Senhor Jesus, falaremos deles superficialmente, pois são de fácil compreensão, os outros falaremos com mais detalhes.

OS SINAIS DEIXADOS PELO SENHOR JESUS. MATEUS 24.
Estes sinais o Jesus os deixou para nos mostrar que quando eles se cumprissem estaria próximo o tempo do fim (v. 3 )
V. 5 - Diz que muitos viriam se dizendo o Senhor Jesus e enganariam a muitos. Este sinal já se cumpriu e continua se cumprindo em nossos dias. Pois constantemente aparecem na mídia loucos se apresentando como sendo o próprio Senhor Jesus, enganado a muitos. No Brasil há um caso bem recente de um homem chamado Inri Cristo, que se autodenominou Jesus. Segundo ele, ele é a reencarnação de Jesus e disse também que Moisés, Davi e Jesus foram a mesma pessoa que foi reencarnando. Este homem foi aos programas de maior audiência na TV e teve também suas balelas publicadas por revistas de grande circulação nacional. O pior é que ele teve um grande número de adeptos à sua doutrina, sendo usado assim para enganar a muitos, afastando-os do verdadeiro Senhor Jesus. Mas isto foi para a igreja um sinal do arrebatamento. Há muitos outros casos ocorrendo pelo mundo, nos EUA, por exemplo, um se apresentou como sendo Jesus, arrebanhou para si mais de 500 pessoas depois os levou à morte naquilo que foi o maior suicídio em massa da história.
V.6 e 7 – Fala das guerras e rumores de guerras. Nosso século e principalmente a década de 90 ficaram conhecidos como sendo o de maior número de conflitos. Tivemos a 1a e 2a guerra mundial, o conflito Irã e Iraque que se arrastou por 10 anos, a guerra do golfo que teve a maior movimentação bélica desde a 2a guerra e que ocorreu já nos anos 90, mais recentemente tivemos o conflito da Iugoslávia, e atualmente temos a guerra entre a Rússia e a Chechênia. E assim há inúmeros outros exemplos. Quanto aos rumores de guerra podemos citar a antiga guerra fria, que envolveu praticamente todo o mundo, a constante possibilidade de guerra no oriente Médio, etc.
V. 12 e13 – Nos fala frieza espiritual que acometeria o evangelho, esfriando a muitos dos escolhidos, coisa que se cumpre sempre em nosso meio, inclusive muitas vezes dentro da igreja que congregamos. Fala ainda da multiplicação da iniqüidade, que só se multiplica com o objetivo de contaminara igreja fiel uma vez que a palavra diz que o mundo jaz no maligno.
O restante do capítulo traz muitos outros sinais que se cumprem a cada momento. Há a multiplicação da ciência, como exemplo dela temos, por exemplo, a Internet, a telefonia celular, a palavra fala da bomba atômica, da dissensão nos lares, etc.
A palavra ainda nos fala dos lobos em pele de cordeiros, que mostra as pessoas que se apresentam numa aparente santidade como mediadores entre o homem e Deus. Podemos dar como exemplo padre Marcelo, padre Zeca, os movimentos Deus é 10, carismático, e ainda alguns evangélicos que não têm outro objetivo que não seja o de explorar a fé das inocentes. Isso causa duas seqüelas principais que são: A ilusão de muitas pessoas inocentes que pensam que, ao seguir estas pessoas, estão indo para o céu, enquanto na verdade estão caminhando a passos largos para a perdição eterna, e por outro lado fazem com que um outro grupo de pessoas criem uma antipatia à palavra de Deus, fazendo-os assim se afastarem do caminho da salvação. Mas tudo isto acontece porque é uma profecia da volta de Jesus.
É necessário que o escândalo venha, mas ai daquele homem por quem vem o escândalo.
( MT. 18: 7 )
O TOQUE DAS TROMBETAS. APOCALIPSE 8.
Este capítulo de Apocalipse nos fala de trombetas que seriam tocadas por anjos, e ao toque de cada trombeta algo grande aconteceria. E a cada toque de trombeta, a volta do Senhor Jesus ficaria mais próxima. Alguns desses toques de trombetas já ocorreram, mais precisamente 3, e a igreja aguarda com ansiedade o toque da quarta trombeta, pois é nela que se dará o arrebatamento. O toque de trombeta aqui não é literal, mas algo espiritual, e o toque de trombetas significa juízo. A cada toque então um juízo é exercido sobre a Terra. A única que ouve estes toques é a igreja fiel, pois para ouvi-los é necessário ter audição espiritual (ver Ap. 2: 7).Ao mundo então isto (o juízo sobre a natureza) passa desapercebido, como sendo uma atitude inconseqüente do homem, o que não deixa de ser verdade, mas a igreja vê como sendo bem mais do que isto.
V. 7 -- Descreve o toque da 1a trombeta. Quando isto ocorre, o versículo diz que a Terça parte de todo o verde da natureza foi queimado. Este toque de trombeta então mostra um juízo e ao mesmo tempo um sinal de Deus sobre o verde da Terra. Podemos verificar que é algo que já vem ocorrendo em nossos dias, pois o homem vem destruindo sistematicamente o verde. Ë notório a nós as queimadas, a destruição das florestas, o desmatamento ilegal que de tantos e poderosos que são os órgãos competentes não conseguem coibir. Matas virgens são algo em extinção em nossos dias. Pesquisas recentes mostram que se nada for feito em poucos anos o oxigênio será um bem limitado, tamanho é a destruição do verde.
V.8 e 9 – Mostra-nos o toque da segunda trombeta, através do qual é exercido um juízo sobre o mar. A palavra fala que a terça parte do mesmo foi destruída e com ela boa parte dos seres viventes que nele haviam também foi. Sabemos hoje que alguns tipos de peixes que viviam nos mares já foram extintos. A destruição do mesmo pelo homem é evidente, a menos de 10 dias esta trombeta tocou novamente no Estado do Rio de Janeiro, num acidente envolvendo a Petrobrás, que é então a mais segura empresa de exploração de petróleo marítimo no mundo, que se gabava de nunca haver se envolvido num acidente deste porte. Isto mostra claramente que por mais que o homem se esforce para preservar a natureza, ele não pode impedir a profecia de se cumprir.
V.10 e 11 – Já no toque da terceira trombeta, a profecia se cumpre sobre os rios e fontes de água doce. Estudos feitos recentemente mostram que num futuro muito próximo, o país que tiver mais rios e águas potáveis será o país que dominará o mundo economicamente. Isso ocorre porque os mesmos vêm sendo destruídos alarmantemente, é cada vez maior o número de dejetos poluentes derramados nos rios, tornado as águas cada vez mais poluídas. Por mais que as autoridades tentem impedir que setas poluições cessem, elas não conseguem. Os lençóis subterrâneos de água também já sofrem devido aos aterros de lixos e, o que é pios materiais tóxicos feitos pelas grandes empresas. O homem na busca do lucro Fácil vem propiciando o cumprimento das profecias, pois tudo que o homem visa não é nada mais do que o lucro.
O toque destas trombetas já aconteceu há muito tempo, mas as suas conseqüências não param de se alastrar, para verificar o cumprimento de tais profecias basta somente ler os jornais, pois a cada dia eles trazem notícias com estes assuntos. A destruição da natureza é um sinal evidente de que Jesus está às portas (ver Rm. 8: 22 e 23). Estes sinais bem como outros que vermos se intensificaram muito nos últimos 50 anos, mostrando que o Espírito Santo tem pressa em avisar ao homem da volta do Senhor Jesus. Assim sendo ninguém poderá dizer que não sabia, que não fora avisado, pois o Espírito Santo tem se encarregado disto.

3. O REVERDECIMENTO DA FIGUEIRA
Deus sempre nos falou. E ele faz isso de várias maneiras; pelos dons espirituais, pela sua palavra, pelos seus servos, etc. Mas há algo em comum em todas estas maneiras de Deus nos falar, que é são os símbolos. Tudo na palavra de Deus tem um significado, o homem, a mulher, os animais, os objetos, as cores, os astros, os objetos, enfim, tudo tem um significado espiritual. E não é diferente com a figueira. Biblicamente ela simboliza Israel, a nação de Israel, o Israel político que aí está.
E este aspecto que abordaremos nesta parte do nosso estudo: Israel como sinal da volta do Senhor Jesus.
3.1 – A figueira se secou (MT. 21: 18 e 19).
As profecias antigas acerca do nascimento do Senhor Jesus falam de dois aspectos distintos do Messias:
-       O primeiro aspecto é aquele que o aponta como um rei valente como Davi, magnífico como Salomão, da descendência de Davi, que vem para restaurar Israel.
-       O segundo aspecto apontava para um messias sofredor, sem beleza alguma, como a raiz de uma terra seca. Que viria para servir e não para ser servido, para dar a sua vida pelo mundo.
Por causa deste segundo aspecto profético, Israel não aceitou o Senhor Jesus; pois esperava um principie montado num cavalo branco com as características mostrada no primeiro aspecto, que com mão forte os livrasse do julgo do império romano. Como Israel rejeitou o Messias, foi comparado pelo próprio Senhor Jesus à figueira que não tinha frutos, e por causa disto se secou. Este secar de Israel corresponde à sua expulsão por muitos séculos da terra prometida.
Como se deu o secar de Israel, da figueira?
Como dissemos, Israel não acolhe Jesus como sendo o salvador, por isto Jesus lança a primeira profecia acerca da expulsão de Israel de sua terra, dizendo que a casa deles ficaria deserta (Mt. 23: 37 e 38).
A rejeição de Israel pelo Senhor Jesus fica evidente na escolha que eles fazem entre Jesus e Barrabás. Quando Pilatos lava as mãos mostrando não Ter culpa na escolha feita por eles, eles fazem a escolha final: O seu sangue seja sobre nós e nossos filhos (ver Mt. 27: 24 e 25). A partir daí, Israel passa a colher os amargos frutos da sua escolha.
No ano 70 depois de Cristo, O general Tito do império romano, cerca Jerusalém, o povo fica preso dentro da cidade por vários dias. Segundo relatos históricos, quando o alimento acaba eles passam a roer o coro de suas sandálias e bolsas para matar a fome, como isto não é suficiente, passam a comer carne dos companheiros já mortos pela fome num ato desesperado de canibalismo; em alguns casos, as mãos impiedosas das mães coziam seus próprios filhos. Quando o povo já estava totalmente enfraquecido, Tito invade Jerusalém, mata a maior parte dos judeus, leva os que sobraram cativos, mas não sem antes cegá-los arrancando-lhes os olhos. Alguns poucos conseguem fugir e se espalham pelo mundo afora, naquilo que ficou conhecido historicamente como a Diáspora. Assim sendo os judeus colhem a primeira parte do juízo que eles mesmos chamaram para si (“Seu sangue seja sobre nós”). A profecia da figueira estava cumprida, Israel se secou completamente, viveu séculos a fio sem pátria sendo rejeitados e perseguidos mundo a fora, a própria igreja católica se encarregou de fazê-los sofrer ainda mais durante toda a Idade Média, levando-os à fogueira através da Inquisição.
Mas ainda assim, Israel não havia acabado de colher os amargos frutos da escolha feita por eles. Faltava a Segunda parte, (nossos Filhos). Isto veio a ocorrer já no nosso século, durante a Segunda Guerra Mundial. Os países nazistas liderados por Hitler, varreram da face da Terra nada menos do que 6.000.000 de judeus dos mais ou menos 7.000.000 existentes então. Isto ficou conhecido pela história com “O Holocausto”. A Segunda parte do juízo chamado por eles mesmos estava cumprido.
3.2 - A Figueira brota novamente (Mt. 24: 32 e 33).
Depois deste triste episódio, começa a se cumprir a Segunda parte da profecia que diz respeito diretamente à volta do Senhor Jesus. O texto lido diz que quando a figueira brotasse novamente estaria próximo o momento da volta do Senhor Jesus, ou seja, quando os judeus voltassem para a Terra prometida, se reconstituísse como país, Jesus estaria às portas. Isto ocorreu em 1947, vamos ver historicamente o reverdecimento da figueira, vendo isto, veremos que é Deus quem escreve a história, e que age de maneira a cumprir o que diz em Mt. 24: 35.
-       1875 – Após a diáspora, ocorrem os 1os sinais de reagrupamento do povo.
-       1878 – É formada a 1a colônia agrícola em Jerusalém com Terras compradas em dinheiro.
-       1897 – É promulgada na Suíça, em um congresso sionista, a constituição do Estado de Israel, com povo já crendo que voltaria à terra prometida.
-       1922 – A então Liga das Nações Unidas dá a Inglaterra um mandato sobre a Palestina, reconhecendo que aquelas terras têm conexão histórica com Israel.
-       1939 a 1945 – 2a Guerra Mundial, ocorre o holocausto.
-       1947 – A O.N.U. reconhece Israel como uma nação e determina a devolução das terras a ele. A FIGUEIRA BROTOU. Nesta eleição quem dá o voto Minerva é um brasileiro, então presidente daquela instituição, que só votava em caso de empate. Ele vota favoravelmente a Israel a pedido de seu irmão que era evangélico e lhe fala da importância de não ir contra a nação do Senhor e cita a ele o versículo 3 do capítulo 12 de Gênesis.
-       1948 – A cidade nova de Jerusalém é tomada numa pequena guerra contra os árabes, porém não consegue tomar a cidade velha de Jerusalém, o que é preciso para que a figueira dê novas folhas de acordo com a profecia.
-       1967 – Na chamada guerra dos 6 dias contra os egípcios, Israel retoma a parte velha de Jerusalém. A FIGUEIRA RENASCE ASSIM POR COMPLETO.
Com isto, se cumpre a última profecia para a volta de Jesus, o arrebatamento só não ocorreu ainda porque o Senhor está dando ao homem uma nova oportunidade, e preparando o cenário para a grande tribulação. Mas como o cumprimento das profecias já se deu, Jesus pode voltar a qualquer momento, pois não falta nenhum sinal referente a isto para se cumprir.
De acordo com a palavra, Israel tem que Ter a posse do local do Templo para reconstruí-lo afim de que os acontecimentos inerentes à grande tribulação se desencadeiem. O local do Templo é o Monte Moriá, onde Davi sacrificou na Eira de Araúna e onde posteriormente Salomão edificou o Templo, que é o único lugar aceito e revelado por Deus. Presume-se que este local seja onde hoje está a Mesquita de Omar, templo muçulmano, onde os israelitas são proibidos de se aproximar e guardado por soldados. Esta foi a providência que o Senhor tomou para que Israel só reconstrua o templo e sacrifique depois do arrebatamento da igreja. Pois é isto que a profecia diz, mas é assunto para a próxima aula.
Resumo: Sinais relativos à volta de Jesus envolvendo Israel.
Israel perder a posse das Terras (A figueira se secar). Mt. 23: 37 e 38 (Ocorreu em 70 D. C.)
-       Israel recompor-se como nação (A figueira brotar). Mt.24: 32 e 33. Ocorreu em 1947
-       Israel tomar posse da cidade velha de Jerusalém. Ocorreu em 1967.
-       Israel tomar posse do local do templo, reconstruí-lo, e começar a sacrificar. Ainda não ocorreu.
Conclusão: Israel é hoje o termômetro para que a Igreja perceba a hora do Arrebatamento.
Obs. 1 - A cidade velha de Jerusalém são as ruínas da Jerusalém bíblica e a nova é a cidade que foi construída posteriormente ao redor destas ruínas.
Obs. 2 – Sionismo é o movimento nacionalista de Israel



LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ESPECIAL REFORMA PROTESTANTE