Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

ESPECIAL REFORMA PROTESTANTE

domingo, 17 de agosto de 2014

A BENÇÃO APOSTÓLICA

A Benção Apostólica1.      A Benção Apostólica
“A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo seja com vós todos.  Amém.” II Coríntios 13:13

É importante que passemos para a Igreja o entendimento acerca da bênção apostólica. O que acontece no final do culto, quando o pastor, o ministério impõe as mãos e impetra a benção utilizando o texto bíblico acima?
A Igreja agora precisa entender que a benção apostólica não é apenas uma repetição de palavras, um ato cerimonial.



Disse mais o Senhor a Moisés: Fala a Arão, e a seus filhos, dizendo: Assim abençoareis os filhos de Israel; dir-lhes-eis: O Senhor te abençoe e te guarde; o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti; o Senhor levante sobre ti o seu rosto, e te dê a paz. Assim porão o meu nome sobre os filhos de Israel, e eu os abençoarei.” Números 6:22-27

Desde o Velho Testamento, Deus já havia revelado um modo de abençoar todo o seu povo.
Era a bênção sacerdotal, ministrada por Arão e seus filhos. Todos aqueles que estivessem participando do culto ao redor do tabernáculo (e mais tarde do templo) recebiam a bênção do Senhor. A bênção era dada e todo o povo voltava para casa sabendo que o nome do Senhor estava sobre ele, que o Senhor já o havia abençoado...



“A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo seja com vós todos.  Amém.” II Coríntios 13:13

“Porque tendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas...” Hebreus 10:1


Nós entendemos que as coisas passadas eram a sombra das coisas que haveriam de vir. O Antigo Testamento está repleto de coisas ocultas que só seriam reveladas no Novo Testamento.
A bênção sacerdotal é a sombra da bênção apostólica. Na bênção apostólica foram revelados os elementos que eram apenas sombra na bênção sacerdotal.
Na bênção sacerdotal nome do Senhor aparece três vezes:
O Senhor te abençoe e te guarde;
O Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti;
O Senhor sobre ti levante o seu rosto, e te dê a paz.
Esse número três é característica de uma revelação que seria dada no Novo Testamento, que era a presença da Trindade, que era a presença do Pai, e do Filho e do Espírito Santo, manifestada diante da Igreja Fiel.
Na bênção sacerdotal a Trindade estava em oculto, sob o nome Senhor.
Na bênção apostólica a Trindade está bem identificada. Aparecem os nomes do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Está tudo muito claro. Essa clareza é o cumprimento de uma profecia dada a Joel.
“E há de ser que, depois, derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos mancebos terão visões.” Joel 2:28
Quando a bênção apostólica é ministrada no final do culto é o nome da Trindade que está sendo colocado sobre a Igreja, é em nome dela que a bênção está sendo dada.
As dádivas que o Senhor manifestava no Antigo Testamento vão ser agora reveladas no meio do seu povo. São elas:
Na bênção sacerdotal era dito: O Senhor te abençoe e te guarde.
Quando o Senhor diz abençoar e guardar, Ele está falando das bênçãos necessárias nas questões de saúde, nas questões familiares, nas questões econômicas, tudo aquilo que está relacionado às necessidades do seu povo.Tudo isso são favores imerecidos, é a graça do Senhor sobre nós.
Na bênção apostólica se diz: A graça do Senhor Jesus Cristo.
Quando a bênção apostólica é ministrada acontece a mesma operação que acontecia no Antigo Testamento. Quando se diz: A graça do Senhor Jesus, os favores de Jesus estão sendo colocados à disposição de todos aqueles que estão debaixo da imposição de mãos.
Este momento é mais uma oportunidade que o servo tem para colocar a sua necessidade diante do Senhor.



O servo vai para a igreja levando aquela necessidade, passa o culto inteiro pedindo uma bênção ao Senhor sobre aquele assunto, e quando a bênção apostólica é ministrada, uma imposição de mãos está sendo feita sobre aquele servo, o Senhor Jesus está colocando a sua graça, o seu favor, sobre a vida daquela pessoa. É na bênção apostólica que vai se consolidar toda a operação de Deus na vida do necessitado.
O servo se coloca como necessitado da graça do Senhor Jesus.  Ele diz: Senhor, eu preciso do seu favor, da sua graça neste momento sobre este assunto.
Na bênção sacerdotal era dito: O Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti.
Na bênção apostólica se diz: E o amor de Deus.
A revelação da misericórdia do Senhor vem para o Novo Testamento no ensinamento de Paulo sobre o amor de Deus, sobre o amor do Pai.
Todos os apóstolos finalizam as suas cartas mencionando a bênção apostólica porque é uma revelação do Senhor passada para a sua Igreja. É a interligação da misericórdia do Senhor com o amor do Pai. A misericórdia do Pai era uma necessidade porque o destino do pecador era a morte, era o afastamento eterno de Deus na sua vida.
Quando o sacerdote dizia: O Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti, ele estava dizendo: Senhor, nós precisamos de um escape, nós precisamos de uma bênção porque se formos levados pelas considerações do nosso pecado, estaremos eternamente afastados de Ti.

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” João 3:16
A misericórdia vai se consolidar em Jesus Cristo, que foi dado pelo Pai para a salvação do homem.
Nesse momento da bênção apostólica a pessoa precisa estar mais achegada ao Senhor, ela precisa do amor do Senhor, da misericórdia do Senhor, por isso nesse momento ela diz: Senhor, eu falhei, eu preciso sair daqui deste culto pleno da tua misericórdia, do teu amor pela minha vida.
Então vemos que quando o amor do Pai está sendo mencionado, a misericórdia do Senhor está sendo dada àquela pessoa.
Na bênção sacerdotal era dito: O Senhor sobre ti levante o seu rosto, e te dê a paz. É a paz do homem com Deus e com a Igreja.
Na bênção apostólica se diz: E a comunhão do Espírito Santo.
A paz vai se consolidar na comunhão com o Espírito Santo. É o Espírito Santo quem nos dá a paz do Senhor. É Ele quem faz a comunhão entre Deus e a Igreja. É Ele quem leva as nossas orações. É Ele quem traz as revelações do Pai para a Igreja, que é corpo do Filho. É Ele quem intercede por nós.
“E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis.” Rm 8:26
O vínculo que nos une é o da paz e, é o da comunhão concedida pelo Espírito Santo, ela nos faz:
“... um só povo, uma só fé, por ela temos um só Senhor, um só batismo, um só Deus e Pai de todos, e por todos e em todos.” Efésios 4:5- 6
Na bênção sacerdotal era dito: Assim porão o meu nome sobre os filhos de Israel.
Na bênção apostólica se diz: A graça do Senhor Jesus, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo seja com vós todos.
Na bênção apostólica estão sendo concedidas a graça do Filho, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo, tudo isso em nome do Senhor, da Trindade.
O nome do Senhor é a bandeira que nós levamos quando vamos de encontro ao adversário. É pelo nome do Senhor e em nome do Senhor que somos vencedores.
Na benção sacerdotal era dito: E eu os abençoarei.
Na bênção apostólica é dito: Amém.
No Novo Testamento estão reveladas as bênçãos concedidas pelo Senhor ao seu povo.
A Igreja precisa entender agora que esse é o momento das bênçãos do Senhor. É uma revelação, está na Bíblia, é a confirmação de uma promessa, é uma palavra revelada pelo Senhor para a sua Igreja.


O ministério impõe as mãos sobre a Igreja e aquela pessoa que necessita de uma bênção sobre um determinado assunto não vai precisar levantar a mão pedindo oração, nem vai precisar esperar para ser atendido e receber imposição de mãos porque ela já foi dada durante a bênção apostólica impetrada pelo ministério.
Nessa bênção estão incluídos todos os atos de justiça do Senhor.
É a sabedoria que ele vai usar na conversa com o filho. É o sucesso daquela cirurgia. É a entrevista de emprego que ele vai fazer.  Tudo o que ele necessita.
É preciso que o povo do Senhor aprenda a valorizar a bênção apostólica e compreendê-la como revelação, como imposição de mãos do ministério.  A partir daí não será mais necessário enfrentar fila para ser atendido e receber imposição de mãos.
Todos receberam imposição de mãos durante a bênção apostólica e podem ir para casa sabendo que foram abençoados, com a certeza de que o Senhor já concedeu a vitória sobre todos os assuntos.
Se a pessoa não entender essa revelação
A pessoa pode pedir.  Ninguém vai chegar e dar um empurrão nela... Olha, acabou essa doutrina...
A pessoa pode vir ao diácono, ao ungido, ao pastor e pedir uma imposição de mãos, mas ela tem que estar ciente de que está pedindo uma segunda imposição de mãos pelo mesmo assunto.
Aquele assunto já foi colocado diante do Senhor no momento em que a bênção apostólica foi ministrada e foi tratado por Ele.
Às vezes a pessoa precisa ir embora, mas não tem tempo para esperar naquela fila e vai pensando que não foi abençoada naquele assunto.
Essa pessoa tem que entender que está saindo com uma imposição de mãos e com a bênção do Senhor sobre a sua vida.

Se a pessoa entender essa revelação
A pessoa quer uma orientação. Ela compreendeu bem esta doutrina.  O que ela vai fazer?
Ela vai dizer ao diácono: Olha, eu não preciso mais de imposição de mãos, mas eu queria uma orientação para lidar com determinado assunto.  Como devo tratar essa questão?


Ela vai ser orientada pelo ungido, pelo pastor. À medida que a Igreja for entendendo isso, ela vai receber a bênção sem perder tempo.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...