Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

Série de Estudos Sobre a 5ª Medida

sábado, 25 de outubro de 2014

A alma do Homem tem um Dono

A alma do Homem tem  um Dono
Deuteronômio 22:1-4 “Vendo extraviado o boi ou ovelha de teu irmão, não te desviarás deles; restituí-los-ás sem falta a teu irmão. E se teu irmão não estiver perto de ti, ou não o conheceres, recolhê-los-ás na tua casa, para que fiquem contigo, até que teu irmão os busque, e tu lhos restituirás...”
Introdução
O Livro de Deuteronômio é conhecido como o livro das “repetições das leis”, nelas o povo de Israel encontraria a maneira correta de agirem e se conduzirem diante do Senhor seu Deus. O texto lido nos fala de uma situação futura e que uma vez esta se materializando, cada israelita saberia perfeitamente como agir; porque havia uma instrução de Deus acerca daquele assunto. É interessante notarmos que o Senhor fala acerca do amor ao próximo e para ensina-los acerca desse amor, o Senhor usa uma situação. Qual era a situação? “Vendo o boi, a ovelha ou o jumento extraviado... recolhê-los-ás em casa até que o teu irmão os busque...”.
Desenvolvimento
Quem aqui já não viu um animal extraviado? Um animal que se apartou do seu dono? É uma situação corriqueira, comum. Mas uma vez tendo achado este que se extraviou ninguém poderá afirmar que este não tinha um dono. Embora estes tenham se extraviados, trazidos um dano ao seu dono, estes não deixaram de ser importantes para o seu dono que os buscaria até encontra-los.  Há algumas características nestes animais: o boi, a ovelha e o jumento; que os diferencia um do outro. O boi – tem como característica o uso da sua força; a ovelha- tem como característica a sua fragilidade; o jumento- tem como característica o trabalho, suporta o peso. Mas havia uma coisa que nivelava todos esses na mesma condição: estavam extraviados, ou seja, haviam cometido um ato de rebeldia ao seu dono.
O homem tem dentro de si um tesouro que é a sua alma e esta tem um dono que é o Senhor.
Quando Deus criou a alma do homem na eternidade, a criou para viver eternamente. Todavia, embora seja o dono da nossa alma, o Senhor deu ao homem o poder de escolha, onde o mesmo pode recusar o Senhorio do Senhor em sua vida, dando a sua alma outro destino, vivendo extraviado, separado e distante do Senhor (dono).
 Ezequiel 18: 4 – “Eis que todas as almas são minhas; como a alma do Pai, também a alma do filho é minha; a alma que pecar, essa morrerá.”...



Nas características apresentadas podemos traçar algumas considerações acerca do homem e a sua situação espiritual diante de Deus. O homem dos nossos dias se extraviou, apartou do seu criador e são inúmeras as razões que o levou a essa situação. O uso da força da razão, dos seus argumentos e pontos de vista em relação às coisas; a falta de dependência do Senhor, pois embora saiba da sua fragilidade, de que é um ser temporal, o homem decide seguir os seus próprios caminhos. E em muitos casos o trabalho que o envolve, acaba sobrecarregando-o com aquilo que é material. O extravia-se do caminho é o grande perigo, uma vez que apartamos a nossa alma daquele que é o seu dono que é o Senhor Jesus.
Recolhê-los-ás na tua casa- O Senhor orientou que todo israelita que visse um boi, uma ovelha ou jumento extraviado; não poderia se desviar deles, nem se omitir, mas pelo contrário deveria recolhê-los em casa até que o dono os buscasse. Aquele israelita não poderia se apropria daquele animal extraviado, nem vendê-lo, ou fazer qualquer outra coisa; pois este tinha um dono que a qualquer momento iria reavê-los. O papel que cabia a eles era cuidar daquilo que não lhe pertencia. A Igreja cuida daquilo que não é seu, não lhe pertence, ou seja, as vidas que vem a casa do Senhor; vem porque o Espírito Santo as trouxe. São vidas que se extraviaram, se distanciaram do Senhor, estava distante daquele que é o dono e Senhor das suas vidas.
Até que os busque – O dono nunca esquecer daquilo que lhe pertence. Havia uma procura, uma busca incessante para reencontra aquilo que havia se extraviado. O Salvador tem feito isto, tem buscado o homem a fim de conceder-lhe a salvação. O Senhor Jesus fez isso no seu ministério e continua fazendo em nossos dias, pois ele é o mesmo hoje, ontem e eternamente; Zaqueu (o Senhor veio buscar e salvar o que estava perdido); a ovelha perdida (uma se extraviou, o Senhor foi em buscar desta e encontrando, a trouxe sobre os seus ombros), a mulher que ia ser apedrejada, o Senhor a livrou da morte.
Se vires o jumento ou o boi caído – o caído precisava ser levantado. Muitos se encontram prostrados, pois o mundo os derrubou. Mas a operação do Espírito Santo consiste em erguer-nos do pecado, tirando muitos do lamaçal do pecado, nos apresentando uma vida nova em Cristo Jesus. 
Ajudarás a levanta-los – A Igreja está incumbida de socorrer os necessitados e de coloca-los de pé na presença do Senhor. Não podemos nos omitir, pois conhecemos um Senhor que é poderoso para erguer o homem e sustenta-los de pé na sua presença.
Conclusão
Nos cuidamos daquilo que não nos pertencem. Os israelitas sabiam muito bem disso, haveria um momento em que eles dariam contas, pois quando o dono chegasse, os bens seriam devolvidos ao dono. Há um momento em que aquele que se extraviou será encontrado pelo seu dono. O grande encontro é quando o pecador se encontra com o Senhor Jesus, e esse encontro é para a vida eterna.


“... recolhê-los-ás na tua casa, até que teu irmão os busque...”.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...