Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

MARANATA X ANÁTEMA

MARANATA X ANÁTEMA A palavra ANÁTEMA:
Vem do grego: ἀνάθεμα (anátema) que significa: "maldito”.

A palavra MARANATA:
Vem do Aramaico (seja מרנא תאmaranâ' thâ' ou מרן אתאmaran 'athâ') e significa: “nosso Senhor vem". Tem o sentido do anúncio da execução de um juízo. A expressão era muito usada pelo povo de uma cidade que aguardava a chegada do seu rei aclamando a sua vinda com a expressão: “nosso Rei vem”.


UMA CONTRIBUIÇÃO DE UM GRUPO DE JOVENS E OBREIROS:
“A expressão era usada quando o rei era esperado para fazer justiça. Um arauto ia adiante dele tocando a trombeta e anunciando ao povo: O Rei está vindo! - Maranata. Aqueles que esperavam por justiça desejavam a vinda do Rei. O povo da terra a ser visitada preparava-se para sua chegada limpava e reparava os caminhos, demonstrando assim obediência e desejo de agradar ao Rei”.

Maranata é uma palavra citada no Novo Testamento, transliterada para o grego, em vez de traduzida, e é encontrada no final da primeira epístola de Paulo aos Coríntios 16:22.

A tradução do grego pode ser entendida como:
1.      “Nosso Senhor vem!” ou
2.      “Nosso senhor está vindo”
3.      “Vem, ó Senhor” – na forma de uma oração pela breve volta de Jesus, conforme Apocalipse 22:20b – “...Amém! Ora, vem, Senhor Jesus!”...



INTRODUCAO:

1.      MARANATA, O SENHOR JESUS VEM! – UM PROJETO
Cada organização religiosa possui o nome que identifica sua missão. Alguns são identificados pela forma de batismo, outros pela estrutura organizacional que possuem e outros pelos usos e costumes.
Nós fazemos parte de uma organização religiosa que possui o nome Maranata. Um nome não muito comum para ser dado a uma organização religiosa como as demais que existem, mas foidado por revelação do Espirito Santo. Esse nome foi dado para entendermos o projeto de Deus para nós neste o momento atual. 

2.      Fomos chamados para pregar a mensagem identificada pelo nome Maranata. Ainda que outros grupos religiosos também preguem isso, o compromisso deles é diferente do nosso. Nosso compromisso é com o momento profético relacionado aos sinais para a igreja e para o mundo, assumido por nós diante do Senhor de anunciar a sua vinda para buscar a sua igreja.

3.      O nosso chamado para pregar esta mensagem ao mundo é um chamado por fé.

Temos um nome que está identificado com o momento profético atual da igreja e fomos chamados para discernir esse momento. Estamos identificados com esse momento.
Consideramos o nosso chamado com uma diferença, porque o nosso preparo para isso é diferente, a nossa mensagem é diferentea doutrina também é diferente, porque ela é revelada pelo Espirito Santo e está além da letra.
Escolhemos e aceitamos esse projeto para pregarmos diante da Igreja, da família, do Espírito Santo, diante do mundo e diante dos grupos religiosos.
Eles têm suas diversas doutrinas e ensinos cujo propósito revela outro projeto, mas o nosso propósito revela um projeto que é anunciar que Jesus virá.

4.      O nome Maranata apenas como rótulo pode até ser retirado, mas o importante é o significado desse nome na nossa forma de vida. Fomos chamados para dizer ao mundo que o Senhor Jesus virá. Isso não fazemos com palavras, mas com forma devida revelada pelo Espirito Santo.

O nome Maranata identifica a mensagem do nosso chamado. Esta doutrina envolve todo o momento profético relacionado com o tempo presente que antecede o arrebatamento da igreja.
Nossa ênfase hoje é a mensagem que nos identifica: Maranata! O Senhor Jesus vem!
A Obra do Espirito Santo tem uma missão a cumprir, pois tem uma mensagem, uma ênfase para o momento: Maranata! O Senhor Jesus vem!

(DESENVOLVIMENTO DO ASSUNTO) RESPOSTA:

I – O QUE MOTIVOU PAULO A USAR A PALAVRA MARANATA CITADA NA PRIMEIRA CARTA AOS CORÍNTIOS CAPITULO 16, VERSO 22:
Paulo tinha recebido cartas sobre o desvio de conduta da igreja em Corinto, estava havendo dissensão e divisão na igreja. Os capítulos 11 a 15 revelam uma verdadeira discórdia entre os irmãos com relação a várias questões doutrinárias, tais como: a ceia, corpo, dons espirituais e a ressurreição da igreja. Isso então o motivou a escrever este versículo à igreja.
Carnalidade e dissenções: I Cor.3:3
Ceia:                                  I Cor. 11:29-30
Dons Espirituais:               I Cor. 12:1-3
Dons na carne:                  I Cor. 13:1 (o amor é o Espirito Santo)
A ordem no culto:             I Cor 14:39-40
A ressurreição e o Arrebatamento: I Cor 15:12-14 // I Cor 15:51-52

Ao escrever à igreja que estava em Corinto, Paulo fala sobre doutrinas tais como Igreja corpo de Cristo, Batismo com o Espírito Santo, dons espirituais, e, no capítulo 15, fala sobre o arrebatamento da igreja e a ressurreição do ultimo dia (I Co 15:52). – Paulo falou sobre estes assuntos para que a igreja em Corinto estivesse apercebida da volta do Senhor Jesus. 

Paulo ouviu relatos preocupantes sobre os crentes da igreja de Corinto, tais como: cheios de orgulho e tolerando a carnalidade na igreja; uso indevido dos dons espirituais; mal-entendido das doutrinas; divisões na igreja em grupos leais a determinados líderes; litígio entre irmãos e entrada de falsos crentes no meio da igreja.

Para tanto, Paulo deu instruções à igreja de Corinto acerca de vários assuntos e doutrinas, como a sabedoria de Deus, os dons espirituais, o caráter e o alvo da pregação da Palavra de Deus, acerca do pecado no meio da igreja, idolatria, ceia, igreja corpo de cristo, ressurreição dentre outros, e tudo com a finalidade de exortar essa igreja sobre a maneira correta de lidar com as condutas impróprias dentro da igreja.

2 – FAZER UMA ASSOCIAÇÃO ENTRE O USO DA PALAVRA ANÁTEMA E O USO DA PALAVRA MARANATA NO TEXTO ACIMA.

2.a. USO DA PALAVRA ANÁTEMA

Paulo usa a palavra anátema no contexto de quem não ama a volta do Senhor Jesus. A falta do amor pela volta do Senhor Jesus caracteriza uma mensagem voltada para objetivos terrenos e materiais. Isso causa divisões e dissenções na igreja. Amar a Jesus somente para as coisas desta vida presente não traz bênção, mas maldição.

Falar pela carne: ANÁTEMA – I Cor 12:3a
Falar pelo Espirito Santo: MARANATA. – I Cor 12:3b
“Portanto, vos quero fazer compreender que ninguém que fala pelo Espírito de Deus diz: Jesus é anátema! E ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, senão pelo Espírito Santo”.

Outro Evangelho: ANÁTEMA – Gal. 1:8
“Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema”.

Evangelho de Paulo: MARANATA –  I Cor 16:22
“Se alguém não ama o Senhor Jesus Cristo, seja anátema; Maranata”!

2.b. USO DA PALAVRA MARANATA
O uso da palavra Maranata está no contexto de quem ama a volta do Senhor Jesus.

O grande amor da igreja pelo Senhor Jesus está ligado à expressão da palavra aramaica Maranata, usada por Paulo no texto citado, que significa: nosso Senhor vem. Esse amor liga tão intimamente a igreja ao Senhor Jesus que seu maior desejo é que Ele venha logo para busca-la, conforme prometeu em João 14:3 – “...virei outra vez...”.

A igreja expressa esse amor juntamente com o Espirito Santo em Apocalipse 22:17 – “O Espírito e a Esposa dizem vem...” e confirma esse desejo no verso 20b dizendo; “...amém, ora vem Senhor Jesus”.
Cada “amém” pronunciado pela igreja revela seu discernimento das profecias se cumprindo e fazendo pulsar seu coração pelo anseio pela volta do Senhor.

O sentido dado por Paulo à palavra Maranata, está relacionado ao amor pela vinda do Senhor Jesus que ele, antes de sua partida, se assegurou da recompensa desse amor ao se referir à coroa da justiça, que o Senhor Jesus, o Justo Juiz tem, não só para ele, mas para tantos quantos amam a Sua vinda. II Tim. 4:8. Anunciar ao mundo esta mensagem é uma prova que damos de que verdadeiramente amamos a Jesus.

ASSOCIAÇÃO

Poderíamos associar o uso que Paulo faz da palavra anátema “maldito’’ para designar aquele que não ama a vinda do Senhor Jesus e, portanto, não crê no seu Projeto, não permanece na sua doutrina, não vive esta mensagem e, por isso, não entrará no Reino de Deus, pois nele só entrarão os “benditos de meu Pai”. Mat.25:34.

Usando a palavra Maranata Paulo demonstra um profundo desejo de que a igreja de Corinto creia nesse Projeto da volta do Senhor Jesus e assim esteja no meio dos benditos que herdarão o Reino.

Maranata expressa o amor da igreja pela vinda do Senhor, pois ela anuncia isso movida pelo Espirito Santo na expressão de Apoc 22:17 – “O Espírito e a Esposa dizem vem...”. Ela anuncia o projeto que é do Espirito Santo, pois Ele é quem diz primeiro.

Maranata é uma confirmação da igreja de que está atenda ao cumprimento das profecias que anunciam que Jesus está às portas e ela confirma isso dizendo: “Amém, ora vem, Senhor Jesus”! – Apoc. 22:20.

ANÁTEMA: um juízo para uma igreja que vai ficar.
MARANATA: uma esperança de salvação para uma igreja que vai subir.

BREVE CONTRIBUIÇÃO - CVPFB

Evidentemente, uma denominação que se identifica com o plano de Deus, em especial a segunda vinda do Senhor Jesus, trilha um caminho maravilhoso. Começamos dizendo que se cremos em Jesus Cristo só para esta vida, somos as mais miseráveis das criaturas. Essa, ademais, é a séria advertência à igreja de Laodicéia. Havia em Laodicéia tudo, riqueza, sabedoria, doutrina bem fundamentada, teologia (no bom sentido), tecnologia, enfim, uma igreja de bem dotados, de pessoas de bem.

A repreensão à igreja foi uma só: "Conheço as tuas obras, que não és quente nem frio. Melhor que fosse quente ou frio, mas porquanto és morno, vomitar-te-ei da minha boca. Dizes: rico sou, de nada preciso, mas não sabes que és um miserável, desgraçado, pobre, cego e nu. Aconselho-te que compres de mim que compres ouro provado no fogo, vestes brancas para cobrir a nudez, e compres colírio para os olhos, para que vejas" (Ap. 3.15-18).

Veja-se que a única repreensão foi o afastamento do fogo, do calor do Espírito Santo. Não se verificam erros doutrinários, heresias, práticas fraudulentas, nada. A única repreensão foi a mornidão. Sim, por consequência desse afastamento do Espírito de Deus, tem-se então o pecado em suas variadas nuances. Miserável: mendigo, não tem nada a oferecer, não tem o pão da padaria e nem o pão vivo, que é Jesus; Desgraçado: faltou unção, faltou graça, está faltando tudo; Pobre: não tem frutos, não tem evangelização, não tem sinais, não tem conversão; Cego: a soberba e a vaidade é quem cega, o envelhecimento espiritual cega; Nu: sem comentários, a nudez do pecado. Ou seja, o anátema é aquele que começa a pregar um evangelho voltado exclusivamente para as coisas materiais. Deus passa a ser o empregado, e à invocação do seu nome o milagre tem de acontecer. Mas para que? Só tem valor se for para gerar vida, senão naquele dia se ouvirá: Não vos conheço!

Continuando, é bom que uma organização religiosa identifique-se com um nome, com uma missão, que é anunciar a volta do Senhor Jesus.

O que não se pode ensinar é que outras missões sejam menos nobres. Por exemplo: De todas as missões, a mais nobre é a evangelização. Foi pelo cumprimento dessa maravilhosa missão que Daniel Berg e Guna Vingrem chegaram ao Brasil. Tinham no alforje um dom espiritual: "Viriam para uma terra cujo nome era Pará, e aqui iniciariam uma obra". Passaram fome, não tinham onde dormir, mas cumpriram a missão. O evangelho pentecostal chegou vigorosamente ao Brasil, com batismo com o Espírito Santo e dons espirituais.

MARANATA!  O SENHOR JESUS VEM!

Qual deve ser o norte de uma igreja que anuncia a volta do Senhor Jesus? Eis a questão primordial.

Em primeiro lugar, vivemos em um mundo em que surgem os homens amantes de si mesmo, em que muitos apostatam da fé, em que uma igreja acha que pode abrir mão do poder do Espírito Santo, do batismo com o Espírito Santo. Uma igreja disposta a recusar aqueles que não se adequam à sua forma de culto, como se a sua forma de culto fosse a única, que menospreza as demais.

A voz do que clama no deserto não fez acepções de pessoas, tampouco de castas religiosas. A mensagem de João Batista era dirigida a todos.

Uma igreja que tem por missão pregar a vinda do Senhor Jesus, que ama a vinda do Senhor Jesus, deve primeiro identificar o público alvo. 

Ora, o público alvo são TODAS as ovelhas do Senhor, não importando a denominação. Pois se essa organização religiosa entender que só em seus átrios há salvação, não pode mais cumprir sua missão, pois sua missão está restringida a poucas ovelhas, um percentual de todo o povo de Deus sobre a face da terra.

Muito bem, o segredo da unção maravilhosa do Senhor é justamente a humildade em reconhecer que todos nós somos irmãos, independentemente de denominação. Foi isso que moveu o Pr. Jonas, homem de Deus que jamais insurgiu-se contra quem quer que fosse. Só é possível comprar poder de Deus, ouro refinado, nas lutas, na humildade, na prova, no exercício do perdão diante das perseguições e das calúnias.

"Nós vivíamos inteiramente ocupados com o trabalho do Senhor. Por isso, não percebíamos que estávamos sendo perseguidos e caluniados, nem supúnhamos que houvesse alguém trabalhando contra nós" (Daniel Berg).

O colírio para os olhos vem junto com o poder de Deus. Não é possível conhecer a Deus sem conhecer o poder de Deus. E isso ocorre no exercício da humildade, no viver pela fé.

Veste de santidade é sinônimo de pureza de propósito. Vacinas para impedir que as ovelhas procurem outra denominação é uma afronta a essa pureza, a essa santidade. Pregar que saiu da organização religiosa caiu é outra forma de afastar-se da humildade, da santidade, da pureza de propósitos e do poder de Deus.

Nudez do pecado é não anunciar a boa nova tal qual ela é, não se pode acrescentar tres medidas de fermento ao trigo, sob pena de se criar um evangelho anátema. A única coisa que podemos afirmar, diante de Deus, do justo juiz, é que somos uma denominação que prega a volta do Senhor Jesus, e que não temos nenhuma exclusividade nisso. As profecias, os dons espirituais, as conversões e o batismo com o Espírito de Deus ocorrem em outras denominações também. A missão agradável ao Senhor é que, em meio às angústias deste fim dos tempos, esforçamo-nos para manter nossa sinceridade diante do Senhor, não enganando as ovelhas ensinando-as, por exemplo, que somos o único povo de Deus. Igreja não é denominação, igreja não é organização religiosa, igreja é congregação, igreja é família de Deus.

Nesse contexto, a única forma de amar o Senhor é apascentando com sinceridade as ovelhas. Foi isso o que Jesus disse a Pedro: Tu me amas? Apascenta então as minhas ovelhas! 

Pedro! Não precisa me dar a sua vida no lugar da minha, não precisa se interpor entre mim e o sinédrio, não requeri isso de ti, homem! Eu quero que  tu apascentes as minhas ovelhas, que as livre dos lobos devoradores! Estou dizendo de outra maneira a cobrança de Jesus ao apóstolo Pedro.

A UNÇÃO QUE VIRÁ 

Oseias 6.3: 


Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao SENHOR; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra. 


Se a missão é anunciar a volta do Senhor, então é preciso ser como o profeta Jonas. No início, ele não queria que a bênção chegasse aos ninivitas, mas o Senhor, após o fazer passar por duras experiências por causa do seu sectarismo judaizante, disse que a bênção é para todos os homens, todos os que crêem.

Primeiro : O público alvo - toda a família de Deus, todos os homens, sem acepção de pessoas;

Segundo: Sem exclusivismo ou sectarismo, mas com amor por TODAS as ovelhas do Senhor. Todo o povo de Deus é responsabilidade nossa. Cada igreja que professa o nome de Jesus Cristo é responsabilidade nossa. Não adianta ficar falando mal do cristianismo falido dos nossos dias, pois nós fazemos parte dele. Nossa função é denunciar os erros, mas abraçar com amor, apontar o rumo certo, mostrar o verdadeiro evangelho, sem mentiras ou segundas intenções. Somos todos uma família;

Terceiro: Com humildade e buscando o poder de Deus, buscando conhecer o Senhor e seus propósitos, sem ideologias, sem exclusivismo barato. Temos de buscar as ovelhas do Senhor, temos de ajudar as outras denominações, temos de levantar os caídos, temos de socorrer os feridos;

Quarto: O evangelho da última hora é o mais árduo. A ordem é: "Saí pelos caminhos e valados e força-os a entrar!" 

Diga com sinceridade se você está buscando os necessitados, aqueles que nada são, os enfermos, os presidiários, os excluídos, os aleijados, os banidos do convívio social. O evangelho da última hora está sendo dirigido para os excluídos da sociedade cristã. É para aqueles que ninguém quer. Todo mundo quer gente que não dá trabalho, que tem um dízimo bom, que tem filhos sem piolho ou sarna. Mas o evangelho da última hora é para chamar pessoas que vão dar trabalho no início, mas representarão um alto galardão para os trabalhadores da última hora, que receberão tanto quanto aqueles que, aos olhos humanos, mereciam mais do que eles.

A unção que começará a descer sobre aqueles que agirem assim será maravilhosa. Igreja cheia é o que não faltará. Poder de Deus não vai faltar, nem olhos que vêem, nem ouvidos que ouvem. Os sinais seguirão os que crêem. Toda dor ficará para trás.

A Paz do Senhor

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ESPECIAL REFORMA PROTESTANTE