Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

domingo, 12 de outubro de 2014

OS NAZIREUS - NOSSAS CRIANCINHAS NA OBRA

Os Nazireus- Nossas Crianças na Obra
Texto:Lucas 1: 5-17
Tema: As crianças na Obra
            Vs. 15  Porque será grande diante do Senhor, e não beberá vinho, nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre de sua mãe.

1) INTRODUÇÃO
            Passaram-se 400 anos desde Malaquias até o episódio narrado no texto.  Na vida do povo de Israel não havia profecia há quatrocentos anos.  Deus, em seu silêncio profético, não falou com seu povo durante todo este tempo.

            Para Zacarias, uma surpresa: um anjo ao lado do incenso.  Ele tinha vindo anunciar, depois de 400 anos, que o Senhor iria mudar os tempos, tanto na vida do povo de Israel quanto em sua própria vida.  O anjo revelou que Deus ia mudar o rumo dos tempos, bem como dar nova direção para sua vida.

2) A PROFECIA
            O anjo revelou também que um menino ia nascer na família de Zacarias, inclusive seu nome.  Importante nisso tudo foi que, antes mesmo de seu nascimento, já o menino seria batizado com o Espírito Santo (no ventre de sua mãe, Isabel), pois o Senhor tinha pressa no cumprimento da profecia de que Jesus, o salvador, viria ao mundo para salvar a humanidade.  Deus iria usar João Batista como o último profeta e, por isso, batizou-o ainda no ventre de sua mãe (Lucas 1:41  E aconteceu que, ao ouvir Isabel a saudação de Maria, a criancinha saltou no seu ventre; e Isabel foi cheia do Espírito Santo)...



            Ele iria ser o porta-voz do Senhor Jesus pois, desde o profeta Isaías, esta profecia havia sido posta sobre o povo de Israel.
3) O MOMENTO ATUAL
            Estamos como no tempo de Zacarias.  Deus quer fazer da Sua igreja, de nossas vidas, de nossos filhos, porta-vozes de que Jesus voltará.
            Vivemos a fase das bodas de Caná.  Havia uma festa, na qual Jesus estava presente, havia duas igrejas, a fiel e a infiel, e havia dois vinhos, um bom e um mais do que excelente.  A igreja fiel está na fase do segundo vinho.  Jesus alegra-se com Sua igreja, oferece o melhor vinho e batiza nossas crianças já no ventre de suas mães.  Elas estão nascendo para anunciar a vinda de Jesus, para buscar um povo que Lhe é fiel.           
4) O NASCIMENTO DE JESUS
            Seis meses depois o anjo anuncia que Maria seria mãe do Salvador.  Vemos que, a partir do nascimento de João Batista, Deus iniciara Sua manifestação no meio do Seu povo.  Novamente a voz da profecia, após 400 anos de silêncio, volta a se manifestar no meio de Israel, anunciando que: o povo que andava em trevas viu uma grande luz ... (Is 9:2)
Assim nos encontramos no dia de hoje, pois estamos no tempo do breve, na carta de Laodicéia, estamos na parábola da rede.  Deus quer levantar servos valentes para anunciar o 2º vinho, a volta do Senhor Jesus.  Os filhos devem nascer para a vida com alegria e gozo dos pais e do Senhor Jesus (Lucas 1:14  E terás prazer e alegria, e muitos se alegrarão no seu nascimento).
5) UM POVO SEPARADO – O NAZIREU
            Porque será grande diante do Senhor, e não beberá vinho, nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre de sua mãe. (vs. 15)
            Não beber vinho significa não tomar parte naquilo que alegra o coração com as coisas do mundo e da carne, como o uso de vícios, revistas, filmes e outras coisas que não glorificam o nome do Senhor.
            Nem bebida forte.  É diferente do vinho, pois no vinho sabemos que estamos errando, mas, ao fazer uso da bebida forte, perdemos toda a noção do que é certo ou errado.  Perdemos nossa identidade de Cristão, nossa referência que é o Senhor Jesus.  A mente fica cauterizada.  Todavia, no fundo, sabemos em nossa consciência que estamos nos enganando.
            Quando Sansão nasceu (livro de Juízes), seus pais também receberam uma orientação de que ele, Sansão, seria um nazireu.  O nazireu era uma criança que seria criada sem comer comida imunda, não deveria cortar seus cabelos e, logicamente, não beberia vinho.  Ele, o nazireu, seria diferente de todos os outros de Israel.
            Deus quer que o Seu povo seja diferente, seja sal, luz para convencermos o mundo da verdade, da justiça e do juízo.
            Os nossos filhos devem nascer em lares santificados que tenham luz.  Estamos nos dias de Laodicéia, dos direitos do povo, o homem “pode” fazer de tudo, porque é o tempo da última carta.  O povo do Senhor, discernindo o tempo atual o que faz?  Torna-se nazireu.  Não tomamos vinho, bebida forte, comida imunda (TV, revistas, etc.).
            Não cortar os cabelos era símbolo de que os pensamentos da criança, nazireu, estavam ligados, em sintonia, com os pensamentos de Deus.  Tanto Sansão quanto João Batista foram diferentes dos outros meninos israelitas.  Eram os únicos meninos, na sua época, que nunca cortaram seus cabelos.  Esta orientação veio de Deus para seus pais.  Desta forma, seus pais eram os responsáveis perante Deus para transmitirem a seus filhos nazireus a orientação do Senhor: a doutrinaa herançao propósito de Deus para suas pequenas vidas que, mais tarde, seriam transformadas em grandes homens de Deus.
6) AS CRIANÇAS  NA OBRA
            Nossas crianças, como nazireus, não precisam ter cabelos compridos, pois, além de ser uma tipologia, iriam se igualar aos do mundo.  O que Deus quer de sinal são vidas de testemunho, são crianças já definidas pela intervenção de seus pais, de suas orações, jejuns, madrugadas e, sobretudo, da constância de suas vidinhas na igreja, entendendo que são parte do culto e que a mensagem de cada reunião também é dirigida a elas.  Mesmo que ainda pequeninas e irrequietas, Deus fala e abençoa seus corações.
            Os pais jejuam por elas, oram por elas e com elas, lêem a palavra, fazem madrugadas por suas vidas, levam-nas à igreja constantemente, conversam com elas sobre sua participação no culto: a reverência, o dobrar dos joelhos, a mensagem.  A partir dos três anos de idade, qualquer criança tem capacidade para entender as mensagens ditas no púlpito, nem que seja uma pequena frase.
A palavra de Deus nunca volta vazia.
            Deus quer crianças definidas, batizadas com o Espírito Santo, que não se envergonham de serem servas do Senhor, de anunciar a volta de Jesus.
            Quando João pergunta a Jesus: És tu o Messias ?  Ele perguntava para que Jesus desse Seu testemunho porque ele, João, já sabia, por ser profeta de Deus.  Mesmo sem palavras, nossos filhos podem testemunhar.
            Quem não crê não pode educar e falar pelos filhos.  Zacarias não creu que teria um filho depois de velho, por isso ficou mudo, como sinal de sua incredulidade, porque não crera na palavra do anjo.  Quem não crê não pode ensinar e preparar seus filhos.
7) CONCLUSÃO
            Deus faz assim com as crianças:
            - Levantou João Batista para anunciar Jesus;
            - Moisés foi levantado apesar de estar comprometido com o Egito;
            - Também no tempo dos Filisteus o povo estava, além de comprometido, subjugado por eles, e o Senhor levantou a Sansão, nazireuzinho desde criança.
           
            Hoje Deus está levantando crianças definidas, cheias do Espírito Santo, para anunciar o Senhor Jesus e testemunhar.  Crianças até envolvidas com o sistema desta vida juntamente com seus pais. 
Deus está contando com os pais para prepararem estas crianças, pois Deus nos mostrou que as crianças não são o futuro da igreja, são o presente, pois testemunham desta Obra e anunciam o Maranata, que Jesus está voltando.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ESPECIAL REFORMA PROTESTANTE