Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

terça-feira, 22 de abril de 2014

JESUS E AS FESTAS JUDAICAS

Levítico 23 descreve as festas solenes do Senhor, festas sagradas que eram símbolo de redenção e de consagração, associando a vida espiritual do povo a sua vida diária, pois a adoração a Deus e a lembrança dos seus feitos precisavam está associadas ao cotidiano do povo. 

O interessante é que todas as solenidades de algum modo apontam para a figura do Senhor Jesus.





1) Sábado: O dia do descanso para o povo Judeu. Este dia aponta para o Senhor Jesus. É interessante notarmos que dos 10 mandamentos, guardar o sábado é o único que não é mencionado no novo testamento como necessário a ser seguido, pois Jesus é o nosso descanso, “Vinde a mim todos os que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei”
 2) A Páscoa: I Cor 5:7 aponta “Cristo, nossa páscoa, que foi sacrificado por nós”. Esta festa aponta pra Jesus, pois ele é o “cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. Jesus foi crucificado numa sexta feira de páscoa, à tarde, na mesma hora que a festa era comemorada, pois naquele momento Ele era o cordeiro pascal.
 3) Festas dos Paes Asmos: Aponta Jesus como o “pão vivo que desceu do céu”, sem fermento, pois é um Jesus sem pecado, que sacia a fome da alma do homem.
 4) Primícias: Nesta festa era ofertado ao Senhor os primeiros frutos da sega, foi durante esta festa que Jesus ressuscitou dentre os mortos. Aponta para o Senhor Jesus como o “primogênito dentre os mortos (I Col 1:18)” ou seja, o primeiro homem a ressuscitar da morte, para que um dia os que foram mortos em Cristo possam ressuscitar também para viver com Ele eternamente.
  5) Pentecostes: Festa comemorada 50 dias após as primícias, foi durante esta festa que houve a descida do Espírito Santo. Esta festa era celebrada no fim da colheita do trigo, quando os celeiros estavam abarrotados de alimento. Era uma gratidão a Deus pela fartura, pela abundancia. Aponta para Jesus, aquele que nos dar com fartura, bênçãos em abundancia. Aquele também que nos batiza com o seu espírito. João Batista profetizou a respeito: “Eu vos batizo com água, o que vem após mim vos batizará com fogo”
 6) O Dia da Expiação: De todas as solenidades, esta era a única que não era comemorada com festa, mas com reflexão, arrependimento. A palavra expiação significa “cobrir o pecado mediante um resgate”, ou seja, era a profecia de Isaias 53 a respeito de Jesus “ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades”. O pecado que era nosso caiu sobre Jesus. Ele é o nosso Dia da Expiação, ou seja, aquele que remiu nossa culpa, levando-a sobre si.
7) Festas dos Tabernáculos: Paulo em Hebreus compara Jesus como o nosso tabernáculo, ou seja, o único Mediador entre Deus e o homem. Era uma festa que comemorava a sustentação do povo durante a caminhada de 40 anos pelo deserto, apontando Jesus como aquele também que nos sustenta no deserto deste mundo, onde não há nada pra nossa alma.
 As Festas que Jesus participou relatadas na Bíblia
 1) Festas dos tabernáculos: João 7:37 diz assim, “no ultimo dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé e clamou dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba. Nestas palavras Jesus deu um grande ensinamento, pois durante a festa, os Judeus habitavam em cabanas no deserto ao redor de Jerusalém, e ali permaneciam por 7 dias. Durante a festa eles faziam uso das fontes e poços que haviam ao redor da cidade (como o tanque de Betes da, descrito em João 5) para saciarem a sua sede durante aqueles dias no deserto. Jesus naquele momento fala sobre a sede da alma da homem, sede que a água terrena, ou seja, as coisas materiais não suprem, mas Jesus é a fonte das águas vivas. A religião tem para o homem água do poço de Betes da, bênçãos pra esta vida, Jesus tem a vida eterna.
 2) Páscoa: Jesus não comemorou a páscoa como era o costume, ele faz uma substituição dos elementos:
 - Não havia o cordeiro sem macula, pois ele era o cordeiro que seria sacrificado. O cordeiro precisava morrer todo ano, mas Jesus era um cordeiro tão perfeito, que só precisou de um sacrifício, que serviu por toda eternidade (Hb 9:26).
 - Não era preciso o sangue, pois o seu próprio sangue seria derramado, tipo do seu espírito.
 - Não era preciso as ervas amargosas, pois todo o sofrimento ele levou sobre si, o homem hoje não precisa mais sofrer, pois já houve um que sofreu no nosso lugar.
 Os elementos que Jesus usou para celebrar a páscoa foram O Pão e o Vinho, pois aponta para uma igreja (corpo) que tem sobre si o Espírito Santo (Vinho). Houve naquela época um homem que apontou aos discípulos o lugar que Jesus iria cear com eles. Hoje o Espírito Santo aponta ao homem este lugar, a casa de Deus, onde todos os dias uma ceia é celebrada “aquele que abrir a porta do seu coração eu cearei com ele e ele comigo” Jesus quer isso para todos nós, sermos participantes de um corpo, pois quem vai subir é corpo de Cristo, batizado com o seu Espírito Santo e não uma denominação, uma religião.  
  Jesus ao longo do seu ministério sempre operava um sinal nos dias que antecediam a páscoa, como se fosse uma preparação para aquele dia, vejamos:
 João 2: 13 – Jesus purifica o templo
 João 2: 23 – Jesus opera milagres
 João 6: 4 – Jesus multiplica os pães
 João 11:55 – Jesus ressuscita Lazaro


Nós vivemos este momento, onde Jesus tem operado grandes sinais na sua Obra, nos preparando para a grande páscoa, ou seja, para a grande saída desde mundo, quando iremos cear com o Senhor Jesus na eternidade. Os sinais estão aí pra confirmar a Obra do Senhor e nos alertar de que o grande dia da volta de Jesus se aproxima e precisamos está prontos para a grande festa, a Grande Ceia do Senhor !

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ESPECIAL REFORMA PROTESTANTE