Bloquear botão direito do mouse: Bloquear seleção de texto: Bloquear tecla Ctrl+C/Ctrl+V: Bloquear arrastar e soltar:

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE

Série de Estudos Sobre a 5ª Medida

segunda-feira, 14 de abril de 2014

FUNDAMENTOS DA OBRA DE DEUS


“E houve uma longa guerra entre a casa de Saul e a casa de Davi; porém Davi ia se fortalecendo, mas os da casa de Saul se iam enfraquecendo”. II Samuel 3:1
"Porque a Palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até a divisão da alma e do espírito, e das medulas , e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração." Hebreus 4:12

1 - Introdução
A Palavra de Deus não é um livro de simples referências do passado, ela é vida e nos fala hoje, através de um contexto que envolve vidas e fatos (figuras), que em tudo se identificam com as nossas. Ela nos conduz hoje, no mundo tenebroso de indefinições, pois "é lâmpada para os nossos pés e luz para os nossos caminhos".
Assim temos duas vidas, no Velho Testamento, Saul e Davi, que tipificam duas alas de pessoas que de maneiras distintas buscam servir ao Senhor. As maneiras de obrar se divergem. A obra que Saul realizava objetivava servir ao Senhor. A obra que Davi realizava tinha o mesmo fim...


Acontece porém, que Saul terminou os seus dias renegado por Deus, atormentado por espíritos malignos, angustiado, triste, desesperado, com o final suicídio.
Davi, porém, terminou os seus dias glorificando o nome do Deus de sua vida, e transmitindo em meio a glorificação uma mensagem de esperança e conforto para o povo de Israel.
“O Espírito do SENHOR falou por mim, e a sua palavra está na minha boca. Disse o Deus de Israel, a Rocha de Israel a mim me falou: Haverá um justo que domine sobre os homens, que domine no temor de Deus. E será como a luz da manhã, quando sai o sol, da manhã sem nuvens, quando pelo seu resplendor e pela chuva a erva brota da terra”. II Samuel 23:2-4
Assim foi sem que Deus pretendesse distinguir Davi de Saul, com privilégios maiores; a vontade de Deus é que todos recebam a sua bênção completa. Mas Saul desobedeceu, Davi, porém, era um homem segundo o coração de Deus, (não era um "super homem", era um homem, sujeito a quedas e fraquezas), sua confissão: "eu sou pobre e necessitado".
2 - Considerações sobre a Obra de Saul
O povo de Israel queria um rei que reinasse sobre ele, Deus o estava abençoando desde que do Egito o havia tirado, mas a exclusiva vontade de Deus sobre ele não estava satisfazendo, queria um rei, (vontade do homem na carne). "Dá-nos um rei para que nos julgue".
a) As desculpas do povo:
“Porém seus filhos não andaram pelos caminhos dele, antes se inclinaram à avareza, e aceitaram suborno, e perverteram o direito. Então todos os anciãos de Israel se congregaram, e vieram a Samuel, a Rama. E disseram-lhe: Eis que já estás velho, e teus filhos não andam pelos teus caminhos; constitui-nos, pois, agora um rei sobre nós, para que ele nos julgue, como o têm todas as nações”. I Samuel 8:3-5
As falhas humanas na Obra sempre foi a principal desculpa para o homem devolver o governo de sua a vida para a carne.
Deus permitiu que a vontade do povo fosse realizada.

b) Características do rei escolhido - SAUL
Satisfazia os desejos do coração do povo.
Tinha aparência, se destacava no meio do povo, atraente.
Era modesto
I Sm. 10:22. "Se escondeu entre as bagagens". É bom observar que a modéstia de Saul era intempestiva. É um pecado tão grande insistir na modéstia e permanecer atrás, quando o Senhor chama à frente, como o é, passar à frente quando a vontade de Deus é que se fique atrás.
Foi escolhido por Deus
I Sm. 9:17; 15:1.
Foi usado por Deus
I Sm. 10:7, 10; 11:6.
Obteve muitas vitórias
I Sm. 11 (Leia).
c) Decadência e morte de Saul
A principal causa da perda da bênção de Saul foi a DESOBEDIÊNCIA.
Desobedeceu ao Senhor sacrificando no lugar do sacerdote, I Sm 13:8-23, comparado com Nm. 3:10 e 38. A desobediência levou a falta de temor.
Desobedeceu ao Senhor não matando o inimigo de Israel I Sm. 15:1-9. A desobediência levou a tolerância com a carne
Depois da desobediência, as razões, mas não o arrependimento. I Sm. 13:11-12 e I Sm. 15:9, 19, 20, 21.
d) As Conseqüências
O sentimento do Senhor para com Saul.
"Até quando terás dó de Saul, havendo-o eu rejeitado, para que não reine sobre Israel?” I Samuel 16:1
Consciência pesada e falta de paz.
"E o Espírito do Senhor se retirou de Saul, e o assombrava um espírito mau da parte de Deus". I Samuel. 16:14
Deus parou de falar com Saul.
“E perguntou Saul ao SENHOR, porém o SENHOR não lhe respondeu, nem por sonhos, nem por Urim, nem por profetas”. I Samuel 28:6
Perdeu a sensibilidade do Espírito.
Perdeu o discernimento (Ecumenismo).

Misturou-se com a feitiçaria. I Sm 28:7.

3 - Resumo da Obra de Saul


A obra de Saul se identifica com as religiões, organizações, movimentos, que é bem diferente da Obra do Espírito Santo. As religiões impedem a verdadeira bênção, enquanto o povo desfalece.
O Deus que fala, manda, determina, não é muito importante, o importante é o que ele acha no coração. O que Deus quer é que sua Obra seja realizada e que o pecado seja destruído.
A obra de Saul chegou ao seu final em visível desagrado à vontade do Senhor".
4 - Considerações sobre a Obra de Davi
Com a desobediência de Saul, e conseqüentemente desagrado ao Senhor Deus, diante da dor e miséria que tomava todos os corações, levantava Davi, filho de Jessé, o belemita. Samuel unge-o rei de Israel numa hora decisiva na vida do povo.


a) Características de Davi
Foi escolhido por Deus
I Sm 16:12. Agora, não porque o povo requeria assim, como foi o caso de Saul.
Não tinha aparência.
I Sm. 16:7.
Era o menor dos filhos de Jessé.
I Sm. 17:14
"Era como raiz de uma terra seca, não tinha aparência nem formosura". Isaías 53:2.
Foi levantado quando Saul não tinha mais como enfrentar o inimigo.
I Sm. 17:19 e 24; I Sm. 17:10 e 16.
Era valente.
I Sm 17:32; Jz. 8:3. (não era covarde).
Tinha experiência com o Senhor.
I Sm. 17:34-37.
b) Davi identifica a Obra que Deus amou
Nas madrugadas.
I Sm. 17:20; 29:10; Pv. 18:17.
Na consulta ao Senhor.
I Cr. 14:10, 14 e 15 - Perguntar por causa do detalhe. Observe a segunda parte de II Cr. 14:15.
Na busca do Poder.
Subida ao monte. (óleo, II Sm. 15:30). Acerto no monte antes das lutas era comum em Israel.
No quebrantamento.
II Sm. 15:30; Sl. 6:6;
Mt. 5:4. - “Bem aventurado os que choram...”
Na humildade.
II Sm. 15:30, "Pés descalços"; II Sm. 16:11, "Deixai-o que amaldiçoe, pois o Senhor o disse". Cabeça coberta diante do Senhor. Todos somos necessitados. Ninguém sabia quem ia subindo ao monte chorando, era um servo, um homem, não era um rei. Era um necessitado. Sl. 40:17.

No clamor, na Oração.
II Sm. 15:31b, (2ª parte do versículo). Aitofel, símbolo do inimigo. "O Senhor transforma o conselho de Aitofel".
No Jejum
Sl. 119:164; 109:24. De jejuar estão enfraquecidos os meus joelhos". Sl. 85:13
c) Obra de Lutas e Provas
Perseguições.
II Sm. 17:1
Acusações e calúnias.
II Sm. 16:5-8
Traições.
Absalão - II Sm. 16:11; 15:10-13. Aitofel - II SM. 15:31
Críticas.
II Sm. 16:8 - Simei - I Cr. 15:29 - (mulher de Davi critica-o). Davi diante da arca, poder da Palavra; vestido de linho, no Espírito; dançava (glorificava ao Senhor). Argumentos: que era um rei, homem de posição, estava indo ao ridículo. Por que críticas? Porque sua mulher era filha de Saul; e Simei despeitava (ciúme) porque era da linhagem de Saul.
Humilhações.
- II Sm. 16:21-22; 15:14. Temos que estar prontos para as provas. Vão é o socorro do homem, Sl. 60:11. Ninguém levanta ninguém. Abateu-me até ao chão, Sl. 143:3. Volvei filhos dos homens. Nesta Obra não podemos confiar em pessoas de recursos financeiros, intelectuais, políticos e sociais. SÓ PODEMOS CONFIAR NO SENHOR.
d) Obra de Discernimento
I Sm. 18:17-18 - Não estava na hora de entrar na família de Saul.
e) Obra onde o pecado não fica encoberto
f) Onde há sentimento e sofrimento pelo pecado.
II Sm. 12:12, 16, 19
Deus é santo e sua Obra, antes de tudo é santa. Não fica impune.
O filho morrerá - o pecado não permanece por mais que se ama. V. 14.
Ao sétimo dia morreu a criança. Depois do acerto, do sofrimento, vem a bênção. II Sm. 12:24.
g) Obra de amor e perdão
"Meu filho Absalão, quem me dera que eu morrera por ti, Absalão, meu filho, meu filho!" II Sm. 18:33; II Sm. 19:23; II Sm. 1:17-27; Ob. 1:12-14.
h) Obra de respeito e consideração aos ungidos
"Não estenderei a minha mão contra o meu senhor, pois é o ungido do Senhor". I Sm. 24:10b (2ª parte); II Sm. 26:9; I Cr. 16:22 - Vemos que o Senhor é o que trata com seus ungidos. I Sm. 24:12,13 e 15.
i) Obra de prudência
"E Davi se conduzia com prudência". I Sm. 18:14.
j) Obra de zelo pelas coisas do Senhor
"O zelo da Tua casa me devorou". Sl. 69:9; I Cr. 17:1; 22:13. "Maldito o que faz a Obra do Senhor relaxadamente". Jer. 48:10.
k) Obra de glorificação e louvor
I Cr. 29:10 em diante. Sl. 119:97; Sl. 105:17; Sl. 19:7.
5 - Obra de vitórias
Sobre a obra de Saul.
I Cr. 10:6, 13, 14; 11:9.
Sobre a falsa obra de Absalão.
II Sm. 15:2, 5.
Há sempre os descontentes que querem forjar um pastor melhor, uma igreja melhor, um presbitério melhor, às custas de uma ovelha pior. Ficam na espreita, prometendo, mentindo, adulando. É a falsa obra, criticam tudo. Nesta Obra (de Davi) ninguém precisa adular ninguém. O certo é que todos que se levantam contra a Obra de Davi, morrem presos pelas suas próprias tranças (mente fértil para vaidade), terminam derrotados no seu próprio animal (mula).
Contra as nações em volta.
II Sm. 8. Contra as religiões. religião, é uma coisa, porém, Salvação, Evangelho, Poder de Deus, Autoridade do Espírito, é coisa bem diferente.
Contra os inimigos do reino - Rebanho.
Urso, falso irmão, na obra ele é logo descoberto. numa simples palavra (pela barba). O urso é próprio do lugar frio. O irmão que fala que é de Jesus, mas não dá testemunho, não vive na sua Palavra, gosta de estar sempre na frente, em evidência; pela barba logo se conhece.
Leão, cuidado! O inimigo gosta de impressionar, pela aparência. I Pe. 5:8.
Golias, Carne (gigante) quarenta dias é simbólico. A carne é o último inimigo a ser vencido. Ela está exposta em todas as revistas, vitrines, ruas, em nossa casa, em nossa vida.
6 - Obra para valentes
I Cr.11:10 em diante; II Sm. 17:8 - note-se que assim que Davi foi chamado pelo Senhor, uma jornada de lutas iniciava, I Sm. 17:28b (segunda parte). Um dos maiores inimigos de Davi era Saul, I Sm. 18:9; II Sm. 3:1. Apesar de grande perseguição de Saul, Davi tinha muitos simpatizantes que lhe confiavam tudo, da casa de Saul, I Sm. 18:28 (Mical). O Senhor era com Davi. Saul matou mil, Davi matou dez mil. Este foi o grito das mulheres. Reconhecimento das igrejas.
7 - A Obra de Saul não gosta da Obra de Davi
I Sm. 18:11 - Lança palavra na carne, mas não consegue atingir (pegou na parede) palavra sem poder. O contrário aconteceu com Davi, com a espada (Palavra) cortou o manto de Saul, mas poupou a sua vida, porque esta Obra não é do homem, é do Senhor.
8 - Davi estava ligado à casa de Saul
(Mical e Jônatas); I Sm. 18:19; 19:1.
Apesar das ligações, Davi não cedeu diante da vontade de Saul, mesmo sendo parentes, "Aquele que não deixar pai..." Lc. 18:29.
9 - Obra de Misericórdia
A Obra de Davi deve estar sempre preparada para receber os inválidos da casa de Saul (Mefibosete, II Sm. 9:3). "Ide dizer aos coxos, aleijados". Lc. 14:21-23.
10 - Armas de Davi
Na Obra de Davi lutamos com novas armas. "Porque as armas da nossa milícia não são carnais". II Cor. 10:4; Ef. 6:12. "A nossa luta não é contra a carne nem contra o sangue".
Cajado na mão - Direção do Espírito
Ribeiro de águas - Batismo, enchimento do Espírito Santo
Desceu ao Ribeiro - Renovação de poder, cobertura do Espírito
De joelhos - Melhor posição para apanhar os elementos ou as armas da vitória, profundidade da bênção do Espírito (ribeiro). Nesta posição a água cobre melhor do que de pé
Funda - Poder do Espírito, atinge à distância
Lugar certeiro - Cabeça, na fronte
Outras pedras - Recursos colocados dentro do alforje para garantir o ataque
Alforje - Coração, um coração cheio de fé, oração, clamor, jejum e glorificação - quatro pedras - está em condições de anunciar a Palavra, derrubar o inimigo e corta-lhe a cabeça com a espada do Espírito.
Espada de dois gumes - Obra completa.
11 - A Luta
Nesta Obra, a luta contra Golias - a carne - não deve ser de perto. Ninguém precisa de agarrar com a carne para lutar contra ela. Mantenha-se longe dela e apresse-se em destruí-la. Davi atirou a pedra de longe. Depois da passagem pelo ribeiro se apressou para lutar e correu ao combate. I Sm. 17:48.
Só na Obra de Davi há recursos para vencer a carne - GOLIAS. Quarenta dias desafiava Saul e seus exércitos e ninguém ia ao combate. Este grande inimigo não pode ser vencido com armas semelhantes a ele. Saul tinha exército, tinha roupas de guerra, escudo, espada, varapau, mas não entrou na luta porque sabia que sua derrota era certa.
A obra de Saul tem todos os meios aparentes: organização, bens, nome, aparência, porém não tem autoridade, nem poder, nem coragem para lutar porque não pode, ou não sabe, ou não quer dobrar seus joelhos no ribeiro para apanhar as pedras para lutar. Só no rio das águas vivas e na sua profundidade é que encontramos os elementos da vitória. A roupa de Saul é bonita mas não serve para lutar.
Prepare-se e passe pelo rio, mergulhando para morte do homem e não se demore a tirar a pedra. Derrube o velho homem. Corte-lhe o pescoço, antes que Golias volte a se levantar e a mente volte a funcionar. A carne machucada quando levanta é um perigo. Tem que ser morta. Cl. 2:12. Sepultados com ele no batismo... nascer da água e do Espírito. Jo. 3:5.
"Grande povo és, e grande força tens; mas nem todos terão a mesma sorte". Josué 17:17

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...